Jerónimo Salvaterra lança mais uma obra literária

Publicado em 23 Jun 2009
Comentários; fechado

A Mediateca do Banco Internacional de S. Tomé e Príncipe acolheu na semana passada a cerimónia que marcou o lançamento do livro “Memórias que o Vento não Apagou” do escritor são-tomense Jerónimo Salvaterra. A obra retracta alguns aspectos sócio – económicos e culturais da sociedade são-tomense.

“Memórias que o Vento não apagou” é um romance intrigante na medida em que desenrola em torno de uma aluna do Liceu Nacional que desaparece nas vésperas de um grande festival. “O enigma surge em torno dessa trauma que no desenrolar da actividade vai até ao fim. No entanto, há várias passagens do livro onde se retracta também alguns aspectos da cultura são-tomense ao nível da figura mística do Rei Amador. O leitor também defrontará nesta obra com vivencias do nosso quotidiano, do nosso dia-a-dia”, Explicou o escritor.

O ministro da Educação e Cultura, considera que este livro vem enriquecer o panorama da “nossa literatura e da nossa história literária”. Jorge Bom Jesus considera que o escritor Jerónimo Salvaterra está de parabéns já que denota-se no seu livro uma grande maturidade, quer ao nível da escrita, como do enredo, das personagens e inclusive até na forma como está estruturada a obra. Portanto, significa um verdadeiro manual para os docentes. “Este livro é um verdadeiro manual de boas praticas pedagógicas para os professores, mas depois, também através do livro, nós vemos todo um esforço para a valorização da memória, por isso são “Memórias que o Vento não Apagou” para o enaltecimento dos nossos valores culturais”, sublinhou.

“Memórias que o Vento não apagou” é uma obra dedicada aos professores e educadores do país. Para a materialização deste projecto o escritor Jerónimo Salvaterra contou com o patrocínio do Banco Internacional de São Tomé e Príncipe. O escritor pensar lançar já no próximo ano um livro que considera ser a sua homenagem a 12 de Julho.

Fernando Ramos

Notícias relacionadas