Cultura

“A Lágrima Áurea do Mal”

Obra literária de Aíto Bonfim(na foto) que denuncia o estado empobrecido do continente africano, apesar da abundância de recursos naturais. Aíto Bonfim é considerado no meio literário são-tomense como um agitador de consciências.

“A Lágrima Áurea do Mal” é uma ficção, em que Aíto Bonfim denuncia a cumplicidade dos africanos num país, designado Télanom, que padece da maldição dos recursos naturais. A população do país, está dividida entre os filhos da terra e os donos da terra, que se digladiam pelo controlo dos minérios e outros recursos naturais.

A mais recente obra de Aíto Bonfim, foi lançada na cidade de Santo António – Príncipe, por ocasião de mais um aniversário da autonomia da ilha. «Os donos da terra são apoiados pelo imperialismo e os filhos da terra são os vencidos dessa guerra. É uma obra de ficção em que ele utiliza como personagens para retractar a sua obra, os amigos com os quais está habituado a conviver», explicou Natália Umbelina, que apresentou a obra.

Segundo Natália Umbelina, o escritor de “A Lágrima Áurea do Mal”, é um agitador de consciências. «Ele enquanto agitador de consciências esteve a retractar-nos os
grandes problemas que os países africanos enfrentam
», precisou.

“A Lágrima Áurea do Mal”, é uma prosa literária, que ilustra dois grupos de interesses no continente africano. «Uns que são os donos da terra e outros são os filhos da terra. E há um conflito entre os dois. Os donos da terra são apoiados pelo imperialismo e os filhos da
terra são os vencidos dessa guerra. É uma obra de ficção em que ele utiliza como personagens para retractar a sua obra, os amigos com os quais está habituado a conviver
», explicou Natália Umbelina.

Filinto Costa Alegre que escreveu o prefácio da obra, refere que «no seio da história central, coexistem inúmeras outras estórias que em conjunto, conferem a A Lágrima Áurea do Mal, uma dimensão e impacto de obra literária de primeiro plano no quadro da prosa literária são-tomense».

Aíto de Jesus Bonfim, licenciado em direito pela Universidade Clássica de Lisboa, em 1982, fez também curso de magistratura judicial no Centro de Estudos Judiciários em Lisboa.  É mestre em administração de Portos e de Companhias Marítimas pela World Maritime University em Malmo, Suécia.

Enquanto assessor jurídico do Presidente da República Fradique de Menezes, nos últimos 10 anos, Aíto Bonfim participou em todas as negociações com vista a exploração do petróleo. Por isso conhece o nível de conflito que o continente africano vive por causa de recursos minerais.

O escritor que para além de “A Lágrima Áurea do Mal”,já publicou 4 obras literárias, nomeadamente “ A Berlinização ou Partilha de África-teatro”, “Poemas”, “o Suicídio Cultural-Romance” e “ O Golpe(uma Autópsia)-teatro”, diz que para além das actividades jurídicas e literárias, ocupa parte do seu tempo, a plantar bananeiras, jaqueiras, Sape-Sape, e ananaseiros.

Depois de Príncipe a obra é lançada esta semana em São Tomé.

Abel Veiga

.

    15 comentários

15 comentários

  1. albertino pires sousa

    5 de Maio de 2011 as 10:40

    parabens! siga escrevendo tao bem como dizem escrever. saudacoes e espero um dia poder adquirir um livro seu.
    Abracos!

  2. Militante muito Zangado com Isto...

    5 de Maio de 2011 as 15:21

    Se não fosse que este homem gosta muito caneca, seria uma das mente mais brilhante de STP.. Mais esse senhor gosta muito de caneca….Mesmo assim por vezes dá bom ar da sua graça…

  3. Osama bin Laden

    5 de Maio de 2011 as 15:27

    Pois o comportamento que senhor Fradique teve enquanto Presidente é que faz com África continua na miséria, fez cair mais de 10 governos .
    Gostaria que senhor escrevesse um livro sobre o (fracasso da Presidência nos últimos 10 anos em STP). Pois isso não o convêm porque assim teria que cuspir no prato que comeu e come

  4. josé maria gomes botelho

    5 de Maio de 2011 as 18:18

    Agora! começa a renascer o que de bom essas ilhas plantadas no mar têm.Muito bem, transcenda mostra ao Mundo o que podemos fazer. Meu muito obrigado, DR. Aíto Bonfim.

  5. Horácio Will

    5 de Maio de 2011 as 18:32

    Tendo a dimensão humana que reconheço em ti, Aíto, difícil torna veres o que vês e sentires o que sentes, sem te refugiares na caneca. Se tens a importância que tens, será a caneca que te dá a lucidez para cultivar plantas para o bem de todos nós quando os outros…? Se for o caso, aconselha uma ou outra caneca a toda a gente para todos sermos gente como tu. Se for muita a caneca que usas, reduza um pouco pela tua saúde que muito prezo.
    Um abraço muito grande, Aíto.
    Como te estimo!

  6. jaka doxi

    5 de Maio de 2011 as 20:32

    Gosta de caneca mas é inteligente.

  7. Sulila Miranda

    6 de Maio de 2011 as 22:40

    E o que tem a ver com o gosto do sr? Se ele gosta ou nao de caneca, o que tem as pessoas a ver.
    Falem do que ele escreveu e não do que ele gosta de beber.
    Com certeza que nem entenderam o que ele escreveu, mas isso é próprio dos santomenses, só Veem mal!

  8. Santa Margarida

    9 de Maio de 2011 as 11:05

    Obra da Pontifice!!

  9. eliseu neto vaz

    10 de Maio de 2011 as 12:08

    acho brilhante essa sua obra.

  10. agnaldo fonseca

    10 de Maio de 2011 as 18:01

    parabens tio aito bonfim por dizer um pouco que vai na alma mais ainda falta dizer muito mais nao tenha medo de escrever tudo o que sabe aserca da nossa terra.obrigado(dudu)

  11. r.rivas

    13 de Maio de 2011 as 9:42

    Afinal faz qlq coisa !!!
    É de valorizar o espírito do homem que vive a 13% de álcool diário e que escreve um livro com alguma qualidade!
    Os artistas são assim, e quase ninguém percebe… Força e parabens caro amigo.
    Queremos ver o próximo !

    • Januário Ceita

      16 de Maio de 2011 as 10:05

      Deixem de mesquinhez. O Aito é bom e vocês têm inveja dele. Sempre foi assim no nosso país. Como não podemos e sabemos fazer as coisas tão bem como as outras pessoas fazem temos que argumentar o sucesso dos outros, de forma envergonhada e mesquinha, com outros atributos pessoais que não são para aqui chamados. Deixem disso. Trabalhem e façam qualquer coisa de útil para o país como o Aito tem feito.
      Analisem a obra do rapaz, façam críticas sobre a mesma e deixem estas porcarias que são de âmbito pessoal nesta análise.
      Cresçam e apareçam e não se deixem ficar acantonados por detrás de máscaras e da vossa crónica incompetência.
      Depois queixam que o país está mal… Pudera! Com tantos incompetentes e burros que só sabem fazer este papel na nossa sociedade, o país nunca avançará.
      Januário Ceita

      • charimbo

        22 de Maio de 2011 as 22:21

        Caro Januário, comecei a ficar muito preocupado com os comentários acima ate chegar ao seu pequeno oásis… 1000% apoiado, vamos deixar de mesquinhez, inveja e pobreza de espirito, o desenvolvimento de STP exige que formaremos a nossa mente com novos valores, sei que e muito difícil fazê-lo

  12. ir.jordao

    13 de Maio de 2011 as 16:54

    Obrigado . Reconheço a suas capacidades intectual . Mas o senhor um a um dia fogo!!!Da cada bandeira!!!SO com Cristo.vou ficar a espera de mas obras suas para enteder o k afinal passa no seu outro lado humano.obrigado Aito Bomfim

  13. Chimberlingue

    19 de Maio de 2011 as 14:18

    Literatura e a arte de usar a linguagem como meio de expressão; E o conjunto de produção literária de um Pais,de uma época;conjunto de obras autores literários,disciplinas, matérias e cursos etc;E a teoria do estudo da composição literária.Portanto quando bem usada seja para que fim for,e uma mais valia. São Tome e Príncipe tem um défice muito grande de escritor,Por isso vamos-nos deixar de ignorância e solidarizar com Sr AITO que predispôs a nos brindar com esta fabulosa obra literária.Coragem e saúde junto aos seus familiares,que Deus lhe abençoa e de forca para outras tantas.EM NOME DE TODOS OS SAOTOMENSES RESIDENTE EM ANGOLA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo