Mesaro Soares, é um nome cada vez mais conhecido no dicionário musical são-tomense

O cantor de 30 anos é mais um dos representantes da música nacional radicado no estrangeiro. Assume que os dois álbuns que tem no mercado lhe proporcionaram respeito e espaço no panorama musical das ilhas, por outro lado, pede apoio de outros atores nacionais no sentido de elevar ainda mais o universo musical do país.

A música, desde sempre faz parte da sua vida.

“O meu pai é músico, sempre tivemos muita música em casa” salientou.

Mas, foi em 2006 que apareceu para o mundo com o seu primeiro trabalho a solo, denominado “On the Rocks”. Com nove faixas, duas bem cedo destacaram-se no seio do público são-tomense, a música “Africana” e a música “Make You Happy”.

Em Julho de 2012, apresentou o seu segundo álbum de nome “Voltage”. Garante que a aceitação do público é muito boa. Afirma mesmo que já conquistou o respeito de outros músicos e o seu espaço no panorama musical das ilhas.

“Neste momento, graças a Deus e com muito trabalho, já sou reconhecido no país como músico nacional residente em Londres” garante.

O cantor de 30 anos já está a trabalhar em novas canções para o próximo álbum, entretanto explicou que desta vez vai usar uma nova metodologia.

“ Decidi ir gravando e pondo à disposição do público, ao invés da maneira antiga que era pôr tudo de uma só vez num álbum. Neste momento já tenho quatro músicas novas, só ainda não decidi quando as devo colocar no mercado” explicou.

O músico disse ainda, que está nesse momento a produzir o videoclipe da música “Vamos pro meio” um dos sucessos do seu último álbum.

Por outro lado, questionado pelo www.reporterstp.info, sobre o atual estado da música nacional, Mesaro Soares garantiu que esta anda de boa saúde. No entanto pede o envolvimento de outros atores nacionais, sobretudo da comunicação social no sentido de uma maior divulgação dos músicos e das músicas são-tomenses.

Brany Cunha Lisboa

  1. img
    Preto Responder

    Hoje qualquer “sapateiro” é cantor, basta abrir a boca! Com esse stilo nao enganas ninguém! Procura uma picareta que te fica melhor!

    • img
      Fitxím di Flôgô. Responder

      Também, não é assim. Dá de César o que é de César. Dá a Deus o que é de Deus. Aprende-se com êrro. É verdade que tenho estado a ouvir do Mesaro – Músico Santomense nas Terras Estrangeiras, procurando divulgar as músicas do País, outras de estrangeiro,assim vai a vida. O que me preocupa, é que ele e os outros cantores devem empenhar mais na divulgação da música típica santomense, nas enterpretações nacionais. Comparadamente com as de Cabo Verde, elas são cantadas em crioulo, sem qualquer razura. Assim é que eu gostaria que as nossas músicas fossem divulgadas internacionalmente. Um bem haja. Todavia, é o meu dever encorajar o Mesaro a enfrentar o desafio.

      • img
        zumbakuê Responder

        Plenamente de acordo com Fitxím di Flôgô.
        Qualquer forma, vão fazendo alguma coisa. É uma questão que sempre coloquei, e as respostas obtidas foram “O COMERCIAL”. Se não fizerem musicas nesses moldes, não venderão. É necessário que haja intervenção do ministério da cultura, para que os músicos comecem a dedicar mais ao que é Nacional.

  2. img
    100guero Responder

    forsa cota
    asim mismo

  3. img
    Caos, Caos , Caos Responder

    lolololol Grande Mesas. Um abç

Deixe um comentario

*