Grupo de capoeira Raízes do Brasil de São Tomé e Príncipe brilha no Gabão na 22ª Noite de Artes Maciais de Libreville

No domingo, 19 de maio, se apresentou com grande êxito grupo de capoeira, constituído por cinco instrutores santomenses formados pelo Projeto de Cooperação Técnica “Capoeira:

Formação Técnico-Profissional e Cidadania” (parceria dos Governos brasileiro e santomense, no âmbito da CPLP, cuja execução está sob a responsabilidade da ONG Raízes do Brasil) e três capoeiristas graduados brasileiros.

A apresentação foi um dos destaques no tradicional evento de artes marciais gabonês “Grande Nuit des Arts Martiaux de Libreville”. Houve também apresentações gratuitas e abertas ao público em palcos nas praias degaboneses.

O evento foi transmitido ao vivo para todo o país pela maior rede de televisão  local, a Gabon Television (RTG), tendo sido realizado em ginásio com lotação esgotada (cerca de 4 mil pessoas) e presença de diversas autoridades locais, entre elas o Ministro da Cultura, Juventude e Esportes, Ernest Walker-Onewin. A história e os detalhes técnicos da capoeira foram longamente abordados pelos comentaristas da televisão gabonesa, com ênfase nas semelhanças culturais com manifestações congéneres gabonesas.

O grupo realizou, ainda, encontro com jovens gaboneses que haviam manifestado à Embaixada do Brasil no Gabão, por carta, interesse na capoeira. Foi ministrada aula prática e oficina técnica pelo Mestre Ralil Salomão, com participação de todo o grupo santomense-brasileiro, seguida de intercâmbio de informações, experiências e doação de materiais de capoeira ao grupo gabonês pelo Centro Cultural Raízes do Brasil.

No período da tarde, foi realizada apresentação em palco montado pela empresa de telefonia móvel Airtel Gabon na praia do Liceu Léon Mba, principal concentração da juventude gabonesa em momentos de lazer. O grupo mobilizou público estimado em mais de mil pessoas, com recepção entusiástica. Ao fim da tarde, foi realizada, ainda, nova apresentação na praia da Sablière, em frente ao restaurante Tropicana, outro ponto tradicional de encontro da população gabonesa nos fins-de-semana.

Imagens e vídeos dos eventos estão disponíveis na página do facebook do Centro Cultural Brasil-São Tomé e Príncipe.

Téla Nón

  1. img
    atento ao dossier Responder

    NÃO E ARTES “”MACIAIS”” MAS “MARCIAIS”….

    • img
      Cidadão Nacinal Responder

      Santomense deixem de ser otários , promovem a Cultura do Povo de São Tomé e Príncipe e não esteja a promover cultura dos outros povos, que não tem nada haver com a de RDSTP.

      Recria o que é nosso, esta capoeira é dos vadios da rua do Brasil, este dinheiro gasto serviria para, construir habitações sociais , casas de banhos do qual as pessoas necessitam e não têm.

      Tradição do povo de STP não é esta, acho que os jovens têm que estudar para saberem o que é bom e evoluir na sociedade, não esteja a espera que alguém dar-vos as migália e acomodam-se , porque não querem esforçar no estudo e trabalho.

      Se não abrir-mos os olhos, ponderam ficar sem espaço, já estão a ocupar todo nosso espaço e empurrando-nos para escravatura de trabalho forte e pouco salário por falta de inteligência dos políticos e da juventudes preguiçosos de vida fácil.

      Só existem politicas de interesses de sacar ao máximo a riqueza Africana,ajudam com 100 mil , apresentam Facturação de 500 mil sucessivamente.

      Tudo isto vai acabar, porque irá haver uma revolução Africana ao nível mundial, para que assumimos o controlo total das nossas riquezas Africanas,é necessário que todos estudam, organizando a sua carreira profissional , não se acomodam com misérias de migália.

      Reflectem bem a evolução do mundo, abrem os olhos.

  2. img
    gualter almeida Responder

    se fossem aplicados no trabalho como são nestas palhaçadas o pais estava mais desenvolvido

    • img
      Lupuye Responder

      Voce se esquece que “estas palhacadas” ocupam o tempo desses jovens que poderiam estar por ai a assaltar as pessoas as maos armadas. Artes marciais nao sao somente formas de luta mas sao tambem exercicio fisico, psiquico e estimulam o “self control” que muitos de nos nao temos. Muito pouca vezes ves gente educada em artes marciais que se metem em bulhas de rua so para mostrar que sabem lutar.

      • img
        gualter almeida Responder

        pois é verdade amigo LUPUYE ( cão vadio) mas não achas que se dedicassem ao trabalho o pais ganhava mais por favor explica que beneficio traz isto para o país nada se exportarem café, cacau copra coconut etc etc o pais ganhava mais. Compreendo que os jovens também tem que ter algum divertimento mas o problema que eu vejo é que preocupamos mais com os divertimentos do com o progresso que futuro destes jovens?

        • img
          rapaz de riboque Responder

          grande verdade amigo Gualter em festas, comer, beber e sexo somos os melhores do mundo a trabalhar ai é que á porca torce o rabo trabalho vai-te embora

          • img
            Pema Pema

            É muita estupides para uma só ideia, estamos a falar de arte, e o rapaz de riboque( pé sujo) fala de sexo……muito ignorante.Pela proxima nao escreva nada.

        • img
          blá-blá Responder

          Quanta Imbecilidade,
          as vezes eu fico pasmo diante de tanta ignorância!
          Mas a culpa não é sua!

      • img
        tonga Responder

        nem palhaçada sabes escrever

    • img
      fenomenal Responder

      O mr gualter almeida faz m rir ,és um verdeadeiro palhaço.Agora eu pergunto-t tens outro emprego pra eles? Isto é um projecto “irmão”, engloba formaçao profissionalizante e tira aquela gente da cronica monotonia , que habita no seio santomense , a capoeira ja tirou mta gente da rua e deu uma moral alta , isto é vida , é arte , é trabalha e a cima de td respeito brthr!N discrimine sem conhecimento9 de causa! fenomenal falando….

  3. img
    Rufino Espirito Santo Responder

    Viva Telanon,
    Meu grande elogio para o trabalho desenvolvido, suponho com meios escassos e em ambiente dificil, para manter este jornal digital e por manter a comunidade informada das principais atividades que passam em São tomé e Príncipe.
    Por reconhecer este trabalho e para que pequenos pormenores não venham a contribuir para desvalorizar o trabalho desenvolvido, aconselho que seja dada maior atenção a maneira como escrevem, evitando pequenos erros gramaticais e de linguagem. Tenho notado que muitos artigos trazem erros. Compreendo que não seja tarefa fácil manter um jornal como este mas não podem, em momento nenhum, esquecer que o vosso trabalho assenta sobre a lingua e que devem fazer todo o esforço para tratá-la com a maior correção possível.

    Cumprimentos e força que estão a fazer um bom trabalho
    Rufino Espirito Santo

  4. img
    minus Responder

    deve existir alguma explicacao plausivel pra que eu possa entender porque descabida razao, toda vez que abro as paginas deste jornal nos comentarios, somente percebo brigas,atropelos,zaragatas,disposicao animalesca pra desancarem-se por qualquer ninharia e um gosto doentio pra encaminhar tudo, absolutamente tudo pras sendas da politicagem, por favor,alguem me diga o que se esta a passar com essa gente?porque de tanto azedume e desgosto no siso e no linguajar,sera que poderiam dar uma tregua?

  5. img
    minus Responder

    o negocio e o seguinte caros leitores do tela nom, prometam-se jamais voltar a praguejar e devorar-vos uns aos outros que farei o impossivel pra arranjar um antidoto para o vosso desassossego, OK!

  6. img
    tonga Responder

    que terra de ignorantes tenho vergonha de ser desta terra ou seja estar no meio de tanta ignorância o Gualter Almeida tem razão mas são mesmo burros nesta terra

  7. img
    fuzileiro Responder

    tanta parvice e burrice para um pais tao pequeno como o nosso……….

    • img
      tonga Responder

      grande verdade amigo

  8. img
    edner barroso Responder

    que coisa

  9. img
    Bisco Responder

    Por isso o pais numca vai a frente ,antes de falar irforma-se primeiramente ,o grupo de capoeira foi convidado a libreville sob o patrocinio da Enbaixada do brazil no gabao para participar no evento nominado noite de artes marciais que contou com a colaboracao de varios grupos e aguns paises vizinhos e o Brazil foi convidado manisfestou atraves da
    Enbaixada do brazil em libreville ao pedido do responsavel do evento da parte gabonesa mestre Wapatcha mostrou o interesse sobre o grupo capoeira enves de fazer vir do brazil optou-se por via mais facil sabendo que a escola de capoeira em s.tome esta reconhecida internacionalmente sendo dois mestre vieram do brazil e os outros vieram de s.tome como tinha acima referido sobe o patrocinio da E B em libreville simplesmente , o meu teclado e arabe sei que houve alguns erros de pontuacao mas da pra etender.

Deixe um comentario

*