Retracto Social livro de Chamora Vera Cruz Ramos

Esta quarta – feira as 17 e 30 na UNEAS. Jovem, antigo enfermeiro do hospital Ayres de Menezes, Chamora Ramos, formou-se em Portugal no domínio de psicologia clínica na vertente omiopática – naturopática. É autor do livro retracto social, que  mostra a identidade são-tomense.

Porquê este retrato social ?

O livro retrato social foi feito com base numa análise profunda ao

longo destes anos todos de vida e de experiência profissional.

Como sabem ser psicólogo (conselheiro) em momento nenhum

é ou se torna tarefa fácil, por vezes se chega a esquecer-se de si

próprio para se lembrar do próximo, pensar no próximo, buscar

possíveis soluções para diferentes situações que aparecem aos

conselheiros.

E também depois de uma análise reflectiva de diferentes

situações que pude acopanhar, cheguei a conclusão de que a

maior parte delas (situações), estão na base e ou são resultados

de voltuosas fofocas bem ou mal tecidas e de boa ou má

interpretação, por isso, tomei a liberdade em tecer também

algumas considerações a volta deste assunto que para mim,

muito profundamente tem sido uma catástofre social, embora

ela ( a fofoca) não ser de hoje nem de ontem, mas de todo

sempre e que tudo indica para todo sempre.

Não é em duas ou três páginas que vamos fofocar sobre a

fofoca; ela por si só é um tema vasto, mas como o objetivo é

simplismente alertar para os efeitos desastrosos resultante

dela fez conque

simplificasse no máximo e de forma mas direta para que a

mensagem seja ela direta e de fácil interpretação.

Por isso carros leitores ao tomarem contacto com esta obra

espero estar junto a vós a construir novas mentes, mentes

essas que possam na medida do possivel criar ou mesmo,

construir num futuro próximo, uma sociedade onde o diálugo

possa ele ser construtivo e não destrutivo com basa nas ditas

fofocas.

Com os melhores comprimentos e agradecimento do autor.

CHAMORA RAMOS

Ele é da Trindade filho do Sr. José e de dona Ivone, fez os

estudos primários na escola primária Trindade Sousa Pontes,

estudos secundários na escola secundária básica da Trindade e

pré universitário no liceu nacional de S. Tomé e Príncipe é

Enfermeiro formado em S. Tomé, conselheiro, também

formado em Psicologia e Psicoterapias naturais em Portugal.

Agora deu para ser escritor e esta é a primeira obra dele, mas

ele não viu outra coisa para escrever a não ser fofoca, é porque

ele também é um bom fofoqueiro.

  1. img
    A.V. Teles Responder

    Cada dia cada brincadeira. Agora é outro que aparece com autor de um livro sobre “fofoca” como quadro normativo da identidade de S.Tomé e Príncipe. O povo tem sempre coisas para o fazer rir não obstante a pobreza crónica.

    • img
      De Longe Responder

      Já leu?
      Quem souber sentir a vida até com a crianças aprende. É preciso ver antes de definir o que está bem ou mal.

  2. img
    Addon Tiny Responder

    Meus parabens ao meu antigo colega da turma dos antigos tempos do liceu nacional.Fico muito satisfeito por te em saber que estas cá no País depois de algum tempo ausente e tambem em saber que vais fazer lançamento de um livro produzido por te.

  3. img
    Inicio Silveira Responder

    Os meus parabéns. Fico satisfeito quando vejo jovens em querer avançar, contribuindo significativamente para o seu país. Desejo- te muita força e muitas felicidades, tudo de bom e do melhor para ti e para tua família.Parabéns S. Tomé e Príncipe.

  4. img
    MBeba Responder

    Fico Feliz por ver um jovem santomense lançar um livro, no entanto não posso deixar de alertar por alguns erros que encontrei no texto acima, não sei se são palavras do autor do livro ou da pessoa que colocou a notícia, neste caso o jornalista do Téla Nón. “…simplismente alertar para os efeitos desastrosos resultante dela fez conque simplificasse no máximo…” …dela fez com que… e não conque como esta no texto acima; Simplesmente e não simplismente”…uma sociedade onde o diálugo possa ele ser…” diálogo e não dialugo. Dentre muitos outros.
    Saudações a todos!

  5. img
    Mina Zequentxi Responder

    Addon Tiny, gostaria de dizer que “POR TE”, A PALAVRA TE ESCREVE-SE COM I, neste caso, “por ti”! Em Portugues nos entendemos.

  6. img
    Mina Zequentxi Responder

    Ao Autor e em jeito de FOFOCA de que ele tanto gosta, faco referencia a uma das frases do texto acima e Cito: … “simplismente alertar para os efeitos desastrosos resultante dela fez conque” NOTE QUE A PALAVRA SIMPLESMENTE VEM DA PALAVRA SIMPLES E escreve-se COM “E” e nao “I” como vem no texto; e a PALAVRA CONQUE, sao 2 palavras e nao apenas 1 como ele escreveu, SENDO COM (com M) e QUE separadamente e NAO UMA SO PALAVRA!
    A seguir… faco referencia a frase
    “construir num futuro próximo, uma sociedade onde o diálugo” fim de citacao! A PALAVRA DIALOGO ESCREVE-SE COM “O” e nao com “U”… em Portugues nos entendemos!

  7. img
    Gente da Terra!!! Responder

    Bom rapaz…
    Sucessos para ti. Espero que escrevas mais e mais mas creio que deves ter presente que começa-se a gatinhar só depois consegui-se andar…vá com calma.
    Sobre a fofoca tenho apenas que dizer…”fofocar é bom muito heim” quem não fofoca problema é dele.

  8. img
    minus Responder

    ainda nao dei uma espreitadela no seu arsenal , porem, elogio a sua coragem e disposicao…

  9. img
    Barão de Água Izé Responder

    Um psicólogo clínico usa a palavra “fofoca”? Só se for para divertimento, ou então já é palavra “cientifica” incluída nos protocolos clínicos de Psicologia.

  10. img
    Adilson Pinto Responder

    Aos olhos aleios, Tudor parece facil, mas, se pudessemos deixar de criticar de forma perjurativa initiativas dos outros, estariamos mais unidos e a contribuicao para um futuro melhor seria mais eficaz. Ha um ditado que diz” se nao sabes fazer melhor, nao critique” Força Chamora, nóis é de Folha-Fede.

Deixe um comentario

*