Cultura

São Tomé e Príncipe e Taiwan unidos pela cultura

A cultura de um país é a identidade do seu povo, sendo assim as ilhas formosas de São Tomé e Príncipe e da China-Taiwan, promoveram o intercâmbio cultural no Palácio dos Congressos na capital são-tomense.

Antes do espectáculo um cocktail foi apresentado as mais altas individualidades nacionais e estrangeiras. Para o Ministro da Educação Cultura e Formação esta parceria cultural é enriquecedora para os dois países. »A cultura é a expressão mais fiel do pensar, do sentir e agir de cada povo, significa o verdadeiro pulsar da alma identitária, daí a sua singularidade. É sabido que todas as culturas estão igualmente válidas, porque não há um conceito de hierarquização do fenómeno cultural, somos todos iguais e todos diferentes», afirmou Jorge Bom Jesus

A embaixada de Taiwan em São Tomé garantiu que o «encontro de cultura não fique por aqui, a embaixada com o apoio e colaboração de todos vamos trabalhar mais ainda para reforçar o intercâmbio cultural», pontou o representante Taiwanês.

Durante o cocktail os presentes deixaram expressos seus desejos na lanterna celeste que no fim do espectáculo foi lançada aos céus num ritual taiwanês.

A medida que o grupo de dança da universidade nacional de arte de Taipei subia ao palco era visível a alegria do público São-tomense que pela primeira vez assistia um espectáculo desta natureza.

Foram mais da 20 horas de espectáculo em que participou o grupo de dança São-tomense apresentando os mais diversos ritmos nacionais.

Bendzaison Lima

    2 comentários

2 comentários

  1. Me Pombo

    11 de Setembro de 2013 as 6:44

    Tudo isto faz-me lembrar a frase do celebre pintor e escultor Travinsk que dizia:a arte (cultura) e o contrario dos caos.E isto que interressa a nacao intercambios no sentido de promover,identificar, e salvaguardar a nossa identidade, num mundo aonde a Cultura esta cada vez mais a ser reconhecida e diversos estudos em torno dela estao a ser desenvolvidos para dar uma melhor projeccao ao novos desafios trazidos por este “pecado” da civilizacao que e a Globalizacao.

  2. Barão de Água Izé

    17 de Setembro de 2013 as 9:58

    Caro Me Pombo: A Cultura é essencial ao desenvolvimento dos povos, nela incluindo-se o ensino e formação profissional. Cultura em sentido lato, não é só escultura, música, pintura, literatura.
    Um povo que não saiba ler, escrever correctamente; interpretar; que não tenha Cultura geral; não tenha capacidade de raciocínio lógico (Ah! essa matemática!), que não domine bem a sua Língua, como pode “sentir” a Cultura, qualquer que seja o meio em que ela se manifeste?
    Sendo ensino em STP, a todos os níveis, altamente deficitário, nas competências mínimas que atrás apontei, como podemos fazer intercâmbio cultural em pé de igualdade com outros Países?
    Organizemos melhor a “nossa casa”, para que a Globalização não nos faça desaparecer.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo