Cultura

Música são-tomense tomou Boleia para o sucesso

Composto por 10 músicas o disco Boleia, foi lançado numa cerimónia com mais de 200 convidados. Apanharam Boleia, em direcção as raízes da expressão musical são-tomense. Composições cantadas no crioulo forro e em português, fazem o ritmo da Boleia que Kalu Mendes oferece ao público no final do ano. 

A realidade do país e do mundo é reflectida nas melodias do álbum. Antes de brindar o público com três músicas do disco, Kalu Mendes, homenageou Nelson Mandela, com uma composição improvisada. «6 de Dezembro de 2013, um dia extraordinário. O sol brilhou rijo no céu num misto de nobreza e adeus, a dialéctica da partida sem partir. Morreu o astro Mandela, vamos enterrar Madiba, e das entranhas da mãe África solta-se um estridente grito de pantera negra corporizada na voz crioula de Kalu, esta voz da mestiçagem», declarou o Ministro da Educação e Cultura, Jorge Bom Jesus.

Kalu Mendes, se notabilizou na música desde pequeno. «Nós vimos Kalu crescer, nós crescemos ouvindo a música de Kalu Mendes. O seu sucesso é também nosso», reforçou o ministro da Cultura.

Nasceu no seio de uma família com música no sangue. Ainda menino arrebatou o prémio do da terceira gala internacional dos pequenos cantores realizada na Figueira da Foz em Portugal.

Com o álbum Leve-Leve, ganhou disco de ouro. A força do ritmo de Boleia, o seu sexto álbum, deverá conduzir Kalu Mendes para mais um sucesso na praça discográfica internacional. «Um verdadeiro cultor da música moderna são-tomense», desabafou o ministro da cultura Jorge Bom Jesus.

O som da Rumba, estilo musical tradicional de São Tomé e Príncipe, vive no disco Boleia, que traz a ribalta as metáforas que caracterizam as músicas cantadas no crioulo forro. «Grande profissionalismo. Ele habituou-nos a qualidade e a excelência, acho que são elementos muito importantes para o sucesso de qualquer artista em qualquer área. O Kalu viaja pelo país com a mesma facilidade como ele viaja pelo mundo», defendeu o pintor e escultor, João Carlos Silva.

Gilberto Gil Umbelina, também músico, apelou o país a seguir na Boleia que Kalu Mendes oferece. «Eu penso que todos devemos ir a boleia do Kalu Mendes, porque na minha leitura a boleia descreve a solidariedade que se perdeu, que desapareceu da nossa sociedade. Uma forma de reactivar os nossos bons hábitos», pontuou.

Abel Veiga

    10 comentários

10 comentários

  1. Auditor Senior

    11 de Dezembro de 2013 as 8:32

    Meus parabéns Calu.
    Quando poderes cantas a canção que cantaste na Figueira da Foz a uns 30 anos ( no nosso S. Tomé os meninos também catam….)
    Continua assim que vais longe

  2. homem honesto

    11 de Dezembro de 2013 as 9:22

    Muito obrigado Kalú Mendes pelo disco BOLEIA.É uma realidade neste País. Porque até os partidos políticos que não ganham eleições,vão ao poder através da magnífica BOLEIA.
    Sucessos para que, este àlbum te dá sorte para mais um disco de ouro.

  3. Lévé-Léngue

    12 de Dezembro de 2013 as 12:32

    Obrigado Kalu pela “Boleia”.
    Mais uma vez brindaste o país e o mundo com uma obra de excelente qualidade. Da primeira à última faixa, as letras e as melodias abrem as portas ao novo Disco de Ouro.
    Parabéns merecidos!

  4. mana

    13 de Dezembro de 2013 as 12:11

    Parabéns Calú. A tua musica é dirigida ao Abel Veiga. O maior apanhador de BOLEIA.

  5. Sjingo

    16 de Dezembro de 2013 as 10:45

    Gracas ao dedinho da Alda.
    Ate o presente momento nao houve qualquer crianca que teve a tal ajada como foi o seu caso.O tio, tambem foi determinante no percurso,quase que se dispunha como sendo o tapete para que o menino andasse.

    • Bela Santos

      19 de Dezembro de 2013 as 18:06

      caro “”nada a ver”

      voce tem Inveja e dor de cotovelo. O Kalu Mendes sempre tentou fazer as coisas bem. Deixa de ser invejoso e inventa algo e faz também para gente ver.

  6. claudino Monteiro tavares

    16 de Dezembro de 2013 as 13:42

    Grande Calú Mende , como aquele disse , para reproduzires aquela musica k ganhaste na fegueira da foz qdo era pequeno “Bomba e mais bombas estão fabricand….”

  7. claudino Monteiro tavares

    16 de Dezembro de 2013 as 13:43

    canta ” bomba e mais bombas estão fabricando e…..”

  8. nada a ver

    16 de Dezembro de 2013 as 15:33

    O Titulo desta noticia é deprimente, ainda tentei vê-lo de vários ângulos mas isto não faz sentido de forma alguma.

    • Bela Santos

      19 de Dezembro de 2013 as 18:07

      Assim voce esta a se destruir a si mesma. Procura criar algo seu também e deixe de denegrir aqueles que tentam.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo