Fortaleza de São Sebastião em obras de restauro

O tecto do edifício histórico onde funciona o Museu Nacional, está a meter água da chuva, e nas traseiras, entra água do mar. As obras de restauro custam 100 mil dólares, e visam proteger a memória de São Tomé e Príncipe.

O forte construído a beira-mar, em 1575, para proteger a cidade de São Tomé da invasão de piratas, é um património histórico, que conserva a memória da nação são-tomense.

Alí funciona o Museu Nacional, que há muito tempo reclama por restauro tendo em conta o avançado estado de degradação do tecto. «Vai-se reabilitar o tecto e fazer uma espécie de contramaré para evitar a entrada da água no mar, e o tratamento das grandes fissuras nas paredes», explicou Ernesto Lima, Director do Museu Nacional.

As obras que vão demorar 120 dias, custam 100 mil dólares. O interior do museu também vai ser restaurado. Sala de arte sacra e de exposição das tartarugas marinhas são indicadas como zonas do forte em avançado estado de degradação.

Obras lançadas pelo Ministro da Educação e Cultura, Jorge Bom Jesus, que está a trabalhar no sentido de o forte São Sebastião vir a ser declarado pelo UNESCO em 2017, como Património da Humanidade.

Abel Veiga

  1. img
    Pantufas Responder

    Meus senhores, espero que nao fique apenas nas palavras, é preciso torna-las em pratica. Para quando inicio das obras? E porque nao aproveitar a estaçao seca ou seja Gravana.

    Um bem Haja a todos que lutam pela estas ilhas maravilhosas.

Deixe um comentario

*