São Tomé e Príncipe, brilha no campeonato africano de canoagem

Publicado em 27 Out 2009
Comentários; fechado

presidente-federacao-de-canoagem.jpgCom duas medalhas de prata e 6 de bronze, a equipa nacional que tomou parte no campeonato africano de canoagem em Abdjan – Costa do Marfim, regressou este fim-de-semana ao país. São provas do potencial são-tomense numa modalidade recente no desporto nacional. Em declarações esta terça-feira ao Téla Nón, o Presidente da Federação de canoagem, João Costa Alegre(na foto), disse que o próximo objectivo são os jogos olímpicos de 2012 em Londres. De 22 a 24 de Outubro, São Tomé e Príncipe brilhou no VI campeonato africano de canoagem que decorreu na Costa do Marfim. O arquipélago conquistou 8 medalhas, sendo duas de prata e 6 de bronze.

Alcino Gomes, nos 200 metros K1 senior, conquistou prata para São Tomé e Príncipe, e Vanderley Assunção nos 1000 metros, C1, também subiu o pódio conquistando a medalha de prata.

Altamiro Ceita, conseguiu subhir o terceiro degrau do pódio nos 200 metros C1. Recebeu a medalha de Bronze.

Nos 500 metros K2, na categoria júnior Vanderley Assunção, segurou a medalha de bronze. No sector feminino Genanilza Ceita, viu bronze nos 500 metros.

Sucesso da canoagem são-tomense, uma modalidade que recentemente começou a ser praticada no país. O Presidente da Federação de Canoagem, anunciou que os atletas nacionais pelo menos 3, deverão ser formados no centro de alto rendimento do Brasil. João Costa Alegre, disse ao Téla Nón, que durante a competição em Abdjan, entabulou contactos com entidades da federação brasileira de canoagem no sentido da execução do acordo assinado entre as partes, com vista a melhorar o rendimento dos atletas são-tomenses. «No primeiro trimestre do próximo ano vamos enviar entre 2 ou 3 atletas para formação no centro de alto rendimento do Brasil», precisou.

João Costa Alegre, disse ao Téla Nón que o projecto de reforço das capacidades competitivas dos atletas visa tem como alvo principal os jogos olímpicos de 2012 em Londres. São Tomé e Príncipe quer provar nas olimpíadas inglesas, que sabe remar e rápido.

Abel Veiga