Desporto

Federação Futebol de São Tomé recebida em Lisboa

Uma delegação da Federação Santomense de Futebol (FSF) esteve reunida, esta terça-feira, com o Secretário Geral da FPF, Ângelo Brou, num encontro que serviu para uma troca de impressões e de experiências entre os organismos dos dois países lusófonos.

“Na sequência da eleição da nova Direcção da FSF, no passado mês de Outubro, solicitámos este encontro com a FPF, no sentido, não só de apresentar os responsáveis que lideram, neste momento, o Futebol Santomense, como também de recolher informações preciosas em relação à estrutura organizativa da FPF, em áreas como as selecções de formação e femininas ou a orgânica da arbitragem portuguesa”, referiu o Presidente da FSF, Idalécio Pachire, em declarações ao  site da Federação Portuguesa de Futebol.

“Temos um programa de desenvolvimento para o Futebol em São Tomé para os próximos quatro anos e é fundamental, nesta fase, recolher experiências e estreitar relações com a FPF, no sentido de promover uma maior cooperação entre as duas Federações”, concluiu Idalécio Pachire que, na passada semana esteve em Zurique, onde se reuniu com o Presidente da FIFA, Joseph Blatter.

Por seu lado, Ângelo Brou lembrou que a relação com as federações dos Países da CPLP é uma das prioridades da Direcção da FPF. “É sempre um prazer receber os nossos irmãos dos Países de Língua Oficial Portuguesa. A Federação Portuguesa de Futebol está absolutamente empenhada – através da sua experiência e “know-how” em diferentes áreas – em ajudar ao desenvolvimento do Futebol naqueles países. Muitos elementos da FPF já estiveram, aliás, por diversas vezes em nações da CPLP para participarem em acções de formação dos diferentes agentes do Futebol”, explicou.

Além de Idalécio Pachire, marcaram também presença na reunião, o Vice-Presidente, Celestino Andrade, e o Secretário-geral da FSF, Leonel Vangente, além do Presidente do Conselho de Arbitragem da FPF, Carlos Esteves.

Vasco Antão

    14 comentários

14 comentários

  1. MASCARADO

    12 de Fevereiro de 2011 as 21:49

    quem disse q os cofres da federaçao estavao fazios? quem? uma viagem inutil a Portugal para quatro individus= uma semana em PT+ quatro suites sem contar com outras dispesas….
    Bom n quero ser alarmista mais nao estou vendo a diferença entre esta equipa e a equipa precedente.
    ou seja tudo mesma guaria.

    • jona

      14 de Fevereiro de 2011 as 19:49

      meu amigo, comprei todas ,as dividas desta instituicao santomense.podem viajar todos aqueles,que quizerem e paga o cunha!

  2. Obama

    12 de Fevereiro de 2011 as 22:59

    Os nossos dirigentes adoram viajar, passear. Resultados destas viagens…nada!!! Ahh, deve ser por causa do bolo que dão e para fugir ao intenso calor que se faz sentir em STP.
    Até quando vamos continuar nisto!! Já é tempo de por um basta nestas viagens sem nada de benéfico pro País. O Pachire juntamente com os outros dirigentes nacionais, adoram passear, andar ai no estrangeiro a gastar o dinheiro do Estado. Basta isso!!!
    Povo, começa a exigir os vossos direitos.
    Um bem haja ao povo de São Tomé e Príncipe.

  3. Fla von von

    13 de Fevereiro de 2011 as 1:27

    Caro Idalecio Pachire, muito obrigado pelo caminho que estás seguindo. De antemão, tenho um sonho pendurado, mas um sonho que só será realizado com empenho, Copa Mundial de Futebol 2014.
    Não estaremos correndo atrás da participação, mas sim estaremos atrás de reconhecimento.
    Peço por gentileza que procure por Jogadores SãoTomense em toda esfera da terra. Não façamos valer pela padrinhagem quando se trata de defender a nação. O Senhor como Tenente Coronel, deve entender e conduzir esses Atletas como Infanteiros numa batalha em defesa duma nação. Nação essa que tem 0,09% da População do Brasil.
    Isso mesmo, imagine um zero compentindo com 100%. Todo mundo espera que o 100% esmague, a surpresa é que o Infanteiros precisam lutar pra sobreviver e levar comida pra casa para os familiares. O que faremos?

  4. Buter teatro esquecido

    13 de Fevereiro de 2011 as 8:03

    Na verdade, precisamos de uma luz para melhorar o nosso futebol, um desporto que já conheceu melhores dias.
    A minha preocupação, está na incompatibilidade de funções, verificada na pessoa do presidente da Federação Santomense do Futebol. Há função que não é compatível, tratando de uma função tão complicada como o comandante dos militares. Espero que está situação não prevaleça, porque nenhum homem é insubstituível. Ninguèm deve atrasar uma instituição por interesses pessoais.

  5. De Longe

    13 de Fevereiro de 2011 as 8:15

    Lembro-me do Sr. Pachire, nome incontornável entre os atletas do futebol são-tomense após a independência. Desconheço a sua formação pessoal e daí não calcular o benefício que ela poderá trazer para o cargo. Mas acredito que se troxer a sua paixão por algo a que tanto dedicou, teremos mais sucesso com ele que com alguém que tenha grande formação académica e zero de paixão pela causa.
    Não vou divagar porque eu só queria lembrar ao sr Pachire que não se distraia porque contamos consigo. Pois, muitas vezes as viagens e pequenas compras que se vai podendo fazer no estrangeiro vicia a muitas pessoas que são boas e iniciam com boas intenções. Nessa altura, começam a se esquecer de equipamentos necessários para os atletas, de criação de infra-estruturas para prática desportiva e até de aproveitamento de bens já existentes.
    Não critco nada. Apenas alerto para pequenas armadilhas naturais que atinge os humanos que somos todos. Considero isso um pequeno apoio moral e espero um dia contribuir também sob outros aspectos.
    Bom trabalho.
    Viva STP.

  6. N.C

    13 de Fevereiro de 2011 as 17:05

    Realmente nao sei em algum outro pais do mundo isso funciona.Um comandante geral do exercito em viagens sob a presidencia e jurisdicao de outro orgao.Como sera ele recebido e tratado?Pelo Sr comandante,ou pelo sr Presidente.Numa altura que se fala de crise,contencoes e cortes de despesas publica 4 elementos da federacao viajarem/Seria necessrio todos esses elementos viajarem?Quem custeou as despesas inerantes a viagens,estadia e outro?

  7. realista

    14 de Fevereiro de 2011 as 10:20

    depois o ministro de educacao diz que nao ha verba pra os bolseiros. uma falta de respeito o GOVERNO DO PATRICE TROVOADA ja esta entrar no mesmo mundo dos seus principais opositores MLSTP/PSD. Que tanta traiccao senhor PATR. TROVOA. O POVO CONTOU CONSIGO ESTE E O PRESENTE POR AMOR K TENS COM A TUA FAMILIA LEMBRA AS PROMESSAS DO PASSADO AINDA O SENHOR TA A TEMPO DE ACORDAR.OBRIGADO

  8. Parlamento de STP

    14 de Fevereiro de 2011 as 16:54

    Pois Pachire já começaste a ganhar gosto com as viagens espero que não faças como outro que viajou mais do que o campeonato realizado em 12 anos.

    • Polvo Paul

      14 de Fevereiro de 2011 as 16:59

      Mais vocês andam iludidos acha que Pachire vai fazer algo de diferente na Federação?!! Isso não passa de mais do mesmo… Viajar ainda mais agora que temos um 1º Ministro que morre de amores pela viagens e passeios estou a falar de Patrice Viagem, o que outros vão fazer é viajar e pronto.

      Vocês sabiam que nosso 1º Ministro almoça e janta no Gabão.. Homem não pára pelo menos 48 horas em STP.
      Já aonde anda nosso Vice 1º Ministro Varela desde que meteu pé pela mãos sobre dinheiro do nosso petrleo nunca mais apareceu para dizer nada…

      • Pessoa Certa

        17 de Fevereiro de 2011 as 13:48

        Meu cara, você não acertou bem o nome do nosso primeiro ministro.

        Ele chame – se de Patrice Relampago ( o homem não para ).

  9. M

    14 de Fevereiro de 2011 as 17:38

    “Temos um programa de desenvolvimento para o Futebol em São Tomé…” palavras do Pachire…Sou do Príncipe e é lamentável que sistematicamente os ditos dirigentes quando falam de um projecto para o País falem em S. Tomé e não em S. Tomé e Príncipe. Também compreendo que para muitos, S. Tomé e Príncipe está circunscrita pela Água Grande. São os ditos dirigentes da Capital, porque 90% deles nem conhecem o País por dentro. Falta de união, falta de civismo, falta de formação pessoal como homem. Sugiro ao Ministério da Educação que incluam no curriculum escolar disciplinas que possa incutir e estimular alguns valores! Tenho e todos temos fé, que um dia provaremos o quão somos capazes de erguer a nossa querida Ilha e que nos vossos discursos jamais esquecerão de menciona-la como parte integrante do Território Nacional. E se o Sr. Pachire e muitos outros tiverem memórias, lembrarão que o Príncipe sempre teve grandes atletas e não só…! Comecemos a respeitar o território Nacional e lembrar sempre que o País é S. Tomé e Príncipe (o pacote incluí, todos os Distritos + Região Autónoma do Príncipe)! Passôôô… Viva o PRÍNCIPE!

  10. jona

    14 de Fevereiro de 2011 as 18:00

    viva,revulucao viva democracia,.Eu tamben quero ser dirigente em s.tome e principe…

  11. Filipe Samba

    15 de Fevereiro de 2011 as 6:27

    Ao
    Senhor Idalecio
    Os meus cumprimemtos,
    Desejo-lhe que tenha uma vida boa, e não andar na boa vida.
    A liderança exerce-se dando exemplos.
    As pessoas de Porto Alegre têm uma simpatia por te.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo