00 239 - 9906263 contact@telanon.info

Get Adobe Flash player

Téla Nón entrevistou Quimilson do Espírito Santo da Cruz médio são-tomense que evolui no campeonato português

Téla Nón descobriu em Portugal mais um jovem natural de São Tomé e Príncipe a praticar futebol. Quimilson Cruz, jovem de 21 anos alinha no Luso Morense de Évora, em 2012/2013 e tem conseguido ter prestações meritórias. Apesar da distancia o atleta nunca esquece São Tomé e Príncipe.

Gostava de representar meu pais

Vasco Antão

Quimilson fala me do teu percurso desportivo desde começaste ate agora?

Vim para Portugal (Nov. 1998, tinha 7 anos, devido a um acidente em que parti o maxilar e foi dito que iria ser transferido para Portugal para ser operado. Entretanto, em Portugal depois de operado o meu pai percebeu que poderia ficar mas algum tempo para eu por estudar e assim sucedeu-se, isto alguns meses depois de sair do Hospital em 1999.

Na escola os primeiros contactos com a bola em Queluz-Belas, nos recreios e depois das aulas com os amigos. Algum tempo depois de mudar de localidade chamada Samouco na margem sul, em que fiz amigos que me levaram para o clube da localidade a Associação Desportiva Samouquense (AF Setúbal), onde comecei a Defesa Direito nos iniciados e ainda cheguei a jogar a Guarda-Redes, nos Juvenis comecei por jogar a avançado, tinha entre os 12 e os 14 anos e gostei bastante desta posição. Nesta fase da idade, joguei também futsal, grupo organizou um torneio entre algumas equipas da AF Setúbal, onde o nosso grupo tinha dois escalões inscritos, joguei em ambos os escalões, ficando em 3º Lugar se não me engano no escalão Juvenil, depois do torneio foi organizado uma selecção, eu e outro jogador da equipa fomos chamados a essa selecção, onde conheci o Kiko e o Cami (que viriam a jogar comigo no CD Montijo) excelentes miúdos quando se trata de drible em progressão.

Como se deu a tua evolução no Olímpico Montijo?

Bem. Ainda juvenil e agora a viver no Montijo fui para CD Montijo que mudou o nome para Olímpico Montijo onde fiquei até a época 2009/10, tinha 18 anos. Nesta equipa treinei 1 ano sem jogar devido as novas regras estipuladas pela federação em relação as inscrições de jogadores estrangeiros, no ano a seguir para meu espanto e com muita vontade por parte do treinador conseguiram inscrever-me, quase sempre a médio defensivo e defesa direito, jogar a MD foi bastante compensatório e posicionamento em campo e outras qualidades técnicas foram muito aperfeiçoadas nesta fase. Nesta ultima época, ainda fui ao Sporting em Dez. 2009 num EATT, (estágio de aperfeiçoamento técnico/ tácnico) onde levaram-me em ultima hora com intuito de me observarem, no Olímpico do Montijo ainda tive a ser observado alguns jogos pelo Benfica.

Na época 2010/11, não joguei futebol 11, devido a documentos e porque o meu pai mudou-se para a Cruz de Pau, onde tive estágio escolar e tive limitado durante algum tempo ficando assim sem jogar. Em 2012 passei o verão a treinar bastante com corrida e muita bola com os colegas, bem como exercício físico para poder ir a captações as equipas seniores para a época 2012/13, voltei assim ao Olímpico do Montijo onde fiz captações mas acabei por torcer o tornozelo, não podendo ir a alguns treinos e nos fui joguei muito limitado, mas o treinador gostou bastante de mim e ficou com o meu contacto telemóvel para me poder indicar uma equipa. Em casa, e um pouco desanimado ligou-me o jogador Humberto Simões (Luso Morense), a contacto do treinador Tiago Fatia para eu poder ir para o Luso Morense (AF Évora), fiz alguns treinos com o grupo e o treinador gostou e assim com muito trabalho, fizemos 4 jogos, todos eles fiz os 90 minutos em campo, os dois primeiros jogos como Médio Direito e Avançado, e os últimos dois jogos como Defesa Direito, posição esta em que fiz duas assistencias e apontei um golo.
Em que clube te sentiste melhor?

O clube em que me senti melhor foi no Olímpico do Montijo, pois foi onde aprendi mais e ganhei mais conhecimento em campo, conheci jogadores excecionais, como Carlos Ventura e o Rudi Fortuna e treinadores que me ensinaram bastante como o mister Alain Soares, por quem tenho bastante admiração.

Como surgiu esta possibilidade deste novo clube esta temporada?

Este novo clube surgiu, através de Humberto Simões jogador do Luso Morense (AF Évora), que ao falar com Tiago Fatia treinador do Olímpico Montijo que observou-me em captações e gostou, trocaram assim o meu contacto de telemóvel, acabei sendo contactado por Humberto que levou-me ao clube para ser observado pelo mister. Estou neste clube e gosto bastante do grupo, apesar da distancia que fazemos sempre que a treinos e as horas que chegamos a casa, mas vale a pena, pois nunca se sabe o dia de amanhã.

O que esperas deste novo passo na tua carreira?

Este é o meu primeiro ano como sénior inscrito, apesar de algumas vezes já ter treinado com os seniores no Olímpico do Montijo, mas pelos motivos já referidos fiquei sem jogar a minha primeira época como sénior. Esta nova oportunidade surgiu e vou agarra-la para recuperar a forma física e mental dentro do campo e assim aumentar o meu rendimento como jogador com muito trabalho perseverança e dedicação, para assim ser uma mais valia para a equipa e como todos os jogadores que jogam com o coração e amor pela bola “um dia quero ser reconhecido e dar um passo mas alto como jogador, uma III Liga, II Liga, I Liga, até mesmo gostava de ir para outro país ”.

O que o futebol representa para ti?

Estou a mais ou menos 13 anos em Portugal e já passei por situações muito tristes em Portugal, graças ao futebol pode abstrair-me da saudade da terra, afastar-me de problemas e manter sempre a concentração nas coisas que realmente importavam para mim. Sem dúvida como pessoa cresci bastante, devido ao futebol, o lidar com as pessoas, as relações com os colegas. O futebol representa para minha uma vida, uma forma de expressar emoções, algo que vejo como sendo a única coisa que realmente sei fazer, seria o meu trabalho ideal, pois é algo que adoro e tenho paixão pela bola, apesar de muitas coisas terem acontecido na minha vida nunca desiste e mantenho o empenho para ser jogador profissional. O futebol é uma arte e é uma arte que quero trabalhar a fundo e dedicar-me para o futuro, espero que este sonho um dia se concretizar vou lutar por ele e esperar pela oportunidade.

Aonde pretendes chegar na tua carreira?

Neste momento quero ir a um patamar acima e chegar a profissional, em qualquer uma das ligas ou mesmo no estrangeiro, trabalhar forte para ser reconhecido. Gostava de chegar ao campeonato nacional de Portugal e jogar em equipas fora de Portugal, mas para isso tenho de me empenhar bastante pois sei que existem jogadores muitos bons em Portugal e tenho de elevar-me ao nível deles.

Como analisas o futebol actual em ST Príncipe?

Costumo ler artigos e ver noticias sobre o futebol em STP e penso que o futebol de la tem vindo a desenvolver bastante, vê-se pelo desempenho da selecção de ST Príncipe no apuramento para a CAN e tendo subido no ranking de selecções. Espero que esse desempenho se mantenha, pois S. Tomé tem muitos bons atletas que merecem ser vistos e precisam de apoio do seu país.


Gostavas de alinhar pela selecção de ST Príncipe?

Gostava bastante, pois é o país onde nasci e apesar de estar em Portugal desde os 7 anos.

Amo bastante STP e vivo para um dia poder regressar, e ajudar para o empreendimento do país, pois é uma ilha que tem muito para dar mas falta pessoas que investem para o desenvolver do mesmo, incluindo a selecção de STP e as equipas do país.

Tens mantido contacto com o dia-a-dia de ST Príncipe?

Tenho sim, falo sempre que posso com a minha mãe para saber noticias de Ribeira Afonso e Alto Douro, localidades que estas onde vive a maior parte de minha vida e onde vivo também. E para matar a saudade que por vezes não é fácil.

Agradeço a Tela Non e a Vasco Américo Lopes Antão por esta oportunidade.

Gostava muito que a comunidade de STP não esquecesse os nossos atletas fora do país e ajudasse para o reconhecimento deles, pois continuam a ser pessoas da terra a lutarem por um objetivo nas suas vidas, mas nem sempre é fácil e falta alguém para aquele apoio, uma mão amiga e profissional, o que também para o desporto no país será uma mais valia.

Os mais sinceros cumprimentos e Obrigado a todos.

DADOS DO ATLETA

NOME – Quimilson do Espírito Santo da Cruz

IDADE - 6-11-1991 (21 anos)

NATURALIDADE- São Tome e Príncipe (Santomense)

ALTURA – 1. 80 cm

PESO – 71 kg

POSIÇÃO – Médio

  1. img
    Féde ká Dóxi Responder

    Força Kimilson. Siga em frente. Gostaria de saber mais de ti, como gente de Alto Douro.
    Joana Sousa

    • img
      Quimilson Responder

      Obrigado pela força. É sempre bom receber apoio, ajuda na moral e confiança. vim de la com +/- 7; 8 anos, mas lembro de muitas coisas, podes sempre questionar-me que eu respondo. O que desejas saber ?

      • img
        Olderito Espirito Santo da Cruz Responder

        Grande Primota Quimilson vai em frente e boa sorte para ti…espero ver te um dia na seleção nacional de sao tomé e príncipe…

  2. img
    Tiberio Responder

    Gostaria muito de congratular o Télamon, pelo facto de publicar noticias sobre os santomenses que têm tido algum sucesso nas suas respectivas carreiras na diáspora.
    Eu até sugeria que esse tipo de acção deveria se estender à outras actividades para além do desporto. Mas, o mais importante é o que corre a vista de todos, mundialmente. São as notícias do Télamon, são os textos do Télamon. Textos esses que demostram a nossa fraca capacidade de conhecimento da língua do Camões como também a nossa teimosia em fazer trabalhos sem nos preocuparmos com a qualidade. Não é admissível que hoje em dia, com tantas ferramentas de informática na língua Portuguesa disponíveis, que as noticias to Télamon, continue a publicar textos com muitos erros ortográficos. Isto é inadmissível. Não custava nada ao Télamon, antes de publicar o texto, fizer no software Microsoft Word a correcção do texto. Isto é uma vergonha. Esta notícia está carregada de erros ortográficos inadmissíveis.

    • img
      Afinal Responder

      Isto é verdade! Mas, começando em ti: não se diz Telamón, mas sim, Téla Nón!
      Com Humildade

  3. img
    N.C Responder

    Meu caro Tiberio em certa medida estas certo porque de facto tem havidos imensos erros na publicacao nao so das noticas bem como dos comentarios.No meu caso por ex uso um teclado ingles e alguns erros sao recorrentes.O tela non nao pode ser culpabilizado por isso.Erros sao humanos e todos nos cometemos,uns mais do que outros e se reparares bem o teu comentario tambem tem erro gramatical e ortografo

  4. img
    DEUSA Responder

    Assinto contigo Tiberio. Sem mais exegese.

  5. img
    Afinal Responder

    Isto é verdade! Mas, começando em ti: não se diz Telamón, mas sim, Téla Nón!
    Com Humildade

  6. img
    CAÇÔ SÁN ZUWANA Responder

    boa…..
    Força rapaz, tens futuro pela frente….

    • img
      Quimilson Cruz Responder

      Obrigado pela força

  7. img
    charles Responder

    mano força e muita força, não deixe ser derrotadop por nada vai em frenta

    • img
      Quimilson Cruz Responder

      Mesmo .. :D
      Sempre.. com trabalho arduo e dedicação chego lá ! Obrigado

  8. img
    Bruno Responder

    Caro colega e amigo Quimilson desejo-te muita força e coragem na tua carreia com um futebolista que queres engessar na tua vida. E espero que mostras o teu melhor de um dia chegares a jogar na Selecção do nosso país STP.

    Boa Sorte

    Ass: Miller
    Sou de Ribeira Afonso.

    • img
      Quimilson Cruz Responder

      Obrigado ..

      Também sou de Ribeira Afonso, vivia em Alto Douro ..

      Abraço amigo

      • img
        Quintas Responder

        Saúde,Força e dedicação que venhas ter exito no futuro em representar STP não só.

Deixe um comentario

*