Os “Leões do Mar” continuam imbatíveis no campeonato

Num jogo difícil com a equipa de Sardinha Caça de Água – Izé, no último fim de semana, os leões da Praia Cruz, venceram dessa vez por uma bola a zero.

O golo foi apontado através da marcação de um livre indireto dentro da área da equipa adversária. A equipa de Água Izé reagiu com protesto ao golo, alegando que o livre foi marcado injustamente.

Segundo o treinador Tó Adão em entrevista ao Téla Nón nocampo da UDESCAI, o jogo foi muito difícil para a sua equipa. «A princípio desprezamos o adversário e em várias situações criou-nos muitas dificuldades», declarou.

Por outro lado o treinador da UDESCAI, apesar da derrota mostrou-se satisfeito com o empenho da sua equipa e criticou duramente arbitragem. «Fizemos tudo para que pudéssemos sair deste jogo pelo menos com um ponto, mas infelizmente fomos penalizados por uma injustiça, um erro técnico, ou seja, por um motivo desconhecido é certo que eu posso certificar que foi uma arbitragem muito negativa no sentido de facilitar mesmo a equipa adversária», pontuou.

Com este resultado, a equipa da Praia Cruz soma 24 pontos e assume a liderança do campeonato com diferença de 4 pontos em relação ao seu adversário mais direto a UDRA, que também venceu nesta jornada a sua congénere de Guadalupe por duas bolas a zero.

Bendzaison Lima

  1. img
    Fonseca Responder

    Desculpa meus senhores, ja não tem outra imagem para publicar? A quanto passam essa imagem, sejam mais creativos

  2. img
    tchuna baby Responder

    Vencer sem justiça… tudo isso acontece em S. Tomé… os árbitros, jornalistas, juízes tem que ser justos o que é isto…1.º livre foi injusto(não aconteceu) depois livre foi direto… mas é S. Tomé os grandes não são censurados

  3. img
    cubanito Responder

    Para que saibam o que verdadeiramente aconteceu, leia a nota de protesto enviado a CDFSF

    UNIÃO DESPORTIVA SARDINHA CAÇA DE AGUA IZÉ (UDESCAI)

    Excelentíssimo Senhor:
    Presidente do Conselho de Disciplina da
    Federação Santomense de Futebol (FSF)

    Assunto: Protesto do Jogo Praia Cruz /UDESCAI

    São Tomé

    Excelência a Direção do Clube «UNIÃO DESPORTIVO SARDINHA CAÇA DE AGUA IZÉ (UDESCAI)»,vem por este meio protestar o Gogo realizado no dia 16 de junho de 2013 realizado no campo de Praia Cruz correspondente a 8ª jornada do campeonato nacional de primeira divisão.

    Segundo o Artigo 137 (Dos protestos dos jogos) do Regulamento Disciplinar da FSF, são admitidos protestos sobre a validade dos jogos com fundamento seguinte: Qualificação de Jogadores; Irregulares condições dos campos de jogos e Erro de arbitragem. Sendo assim vimos protestar com fundamento no erro de arbitragem, já que o arbitro da partida aplicou erradamente as regras do jogo e que teve influenciam direta no resultado da partida.

    Trata-se de um lance que inicia com remate de um jogador da Praia Cruz e que foi defendido por o Guardardes da UDESCAI. Na sequência o mesmo lance, o guardardes demora alguns segundos com a bola no chão, levanta-se bate a bola no solo uma vez, na tentativa de repor o esférico em jogo, nesta altura foi interrompido pelo árbitro da partida que assinalou livre indireto a favor da Praia Cruz. Na sequência da marcação do livre indireto que na verdade foi convertido deliberadamente em livre direto pelo jogador de Praia Cruz aos olhos de todos os espetadores e a comunicação social presente. Ressalva- se a quando da execução do livre a não saiu do seu perímetro conforme as regras do jogo resultando no golo da equipa adversaria. É importante salientar que um dos laine da partida sempre mantéu a bandeirola levantada porque no seu intender existiu em primeiro lugar ouve má aplicação de regra de jogo no que diz respeito a marcação do livre indireto; em segundo lugar momento da marcação do livre a bola não saiu do seu perímetro neste lance, aspeto que não fora considerado pelo árbitro principal que validou o golo.

    Importa frisar ainda, que durante a partida o guarda-redes da UDESCAI não foi advertido nem de forma verbal nem através de cartões, por isso a nossa estranheza na marcação de livre indireto dentro da área neste tipo de jogadas, quando observamos em todo o mundo guarda-redes que demoram alguns segundo com a bola no chão e primeiramente são advertidos de forma verbal ou através de cartão e se repõe a bola no jogo; não se entente a atitude do árbitro principal da partida claramente intencional para prejudicar a UDESCAI.

    Podemos afirmar que existiram varias violações da regra do jogo nesta situação, dando enfase ao protesto de direito pelo facto existir erro técnico do árbitro da partida:

    1- Não deveria ser assinalado o livre indireto, porque não ouve nenhuma infração cometida pelo guarda-redes que já estava pondo a bola no jogo, se existisse alguma situação de violação de regras pelo guarda-rede, neste caso deveria ser advertido de forma verbal ou através do cartão e não sancionar a cobrança de livre indireto.
    2- A marcação do livre indireto foi executada por um só jogador pelo facto da bola não se mover do perímetro onde estava colocada considerando a marcações de livre indireto em livre direto. Esta situação foi assinalada por um dos laine da partida que manteve sempre a bandeirola levantada.

    Sendo assim a Direção da UDESCAI vem oficializar o protesto feito durante a partida do referido jogo junto ao órgão competente como forma de verificar a realidades dos factos e pede a repetição do jogo ou a anulação do resultado em prol da verdade desportiva.

    Informamos ainda que segundo o parágrafo 2º do artigo 139º podem ser admitidos outros testemunhos como provas circunstanciais como; imagens televisivas, registro sonoro de relatos do jogo produzido por radio quando protesto se baseie em erros grosseiros de arbitragem.

    Ciente que esta situação merecerá atenção especial deste órgão agradecemos desde já a vossa colaboração para clarificação dos factos acima mencionados.
    Nota: Gostaríamos que esta situação resolve-se antes do início da segunda volta do campeonato. Para quaisquer informações e esclarecimento contactar os números telefónicos: (2225180) (9904646)
    As nossas melhores saudações
    C/C para COCAM
    Presidente da FSF
    Secretario Geral da FSF

    São Tomé 17 de Junho 2013

Deixe um comentario

*