Angolanos batem recorde na primeira etapa da 4ª Edição da Volta do Cacau em bicicleta

A quarta edição da Volta do Cacau em bicicleta arrancou ontem com os angolanos do Benfica de Luanda a conquistarem as três primeiras camisolas. A etapa denominada circuito urbano com a partida e chegada na Praça da Independência, contou com as presenças de duas equipas são-tomenses, os Mucumblis e a STP CECAB, duas equipas angolanas, o Benfica de Luanda e a selecção de Esperanças de Angola e a equipa estreante de Macau.

Na etapa inaugural marcaram presença individualidades nacionais e estrangeiras, nomeadamente o Ministro da Juventude e Desporto,   Danilson Côtu, o Director Nacional dos Desportos, Yuri Espírito Santo, e representante da embaixada de Angola.

Todos partiram quando eram 9:36 minutos e logo na primeira das 9 voltas, os angolanos do Benfica de Luanda isolaram-se no primeiro pelotão até ao fim da partida.

O experiente Igor Silva, da equipa de Benfica de Luanda, o vencedor da Volta do Cacau do ano transato, conquistou a camisola amarela, a mais desejada por todos em aproximadamente duas horas.

«Não foi difícil, porque tínhamos praticamente dominado desde do princípio, a seleção de Angola e a equipa do Benfica de Luanda. Logo no segundo ataque conseguimos fugir, três ciclistas da selecção de Angola e e concluímos a parte final que foi a mais importante que é para a equipa se destacar».

Igor Silva defendeu que esta vitória é fruto de muito e longo trabalho, «isso já vínhamos a trabalhar desde princípios do ano, nós tivemos uma participação na volta ao Algarve em Portugal e agora eu e o Walter da Silva estamos a vir da volta praticamente quinze dias atrás».

O atleta angolano aproveitou ainda para parabenizar a organização e a população-

«Está de parabéns a organização que mais uma vez conseguiu organizar a volta, a população de São Tomé está de parabéns porque é uma população muito acolhedora e tem dado muita força e não lhes interessam se é angolano ou santomense e até a equipa de Macau que é a equipa chinesa foram bem acolhidos, portanto o povo de São Tomé é um povo amigo e um povo irmão».

O treinador do Benfica de Luanda, Carlos Araújo, ficou surpreendido com o fraco empenho dos ciclistas são-tomense e por outro lado reconheceu que as equipas de Angola apresentaram-se com melhores materiais e que as equipas são-tomenses precisam de maior apoio dos clubes e do governo.

«Estou decepcionado com os ciclistas são-tomenses, porque no ano passado deram uma boa réplica, realmente já os vi a treinar muito mais organizados e muito bem perfilados e então em função desta forma que eles estavam a treinar eu pensei que realmente eles já estariam muito mais duros este ano e que poderiam ter mais resistência, mas me surpreendeu, todavia temos que ter em conta que tanto a equipa de seleção de Angola e de Benfica de Luanda estão aqui com materiais novos, equipamentos novos e podemos dizer não bem assim o que se diz topo de gama mais ou menos materiais atualizados e os ciclistas de São Tomé já não têm, portanto os clubes, o governo podem dar um bocadinho mais de atenção, porque é uma modalidade que realmente chama muita atenção e muita gente a assistir à corrida e este ano há mais gente a assistir à corrida do que no ano passado e tudo isto é derivado da própria resistência que os ciclistas são-tomenses no ano passado fizeram».          

Daladier Coelho ciclista internacional e o mais experiente ciclista de São Tomé, actualmente radicado em Portugal que representou nesta etapa a equipa de Mucumbli disse à imprensa que faltou o trabalho de equipa.

«Faltou aquele trabalho da equipa, foi pena que não tive apoio dos outros meus colegas, mas eu dei o meu melhor, sempre que foi preciso ir lá para a frente trabalhar fui, poupei as energias, portanto sinto-me bem, mas desistir está fora de questão»

Classificação da 1ª etapa da 4ª edição da Volta do Cacau em bicicleta:

Melhor equipa:  Benfica de Luanda

  1. Camisola amarela, classificação geral, Igor Silva (Benfica de Luanda);
  2. Camisola verde,  Osvaldo Manuel (Benfica de Luanda);
  3. Camisola a bolinhas da montanha, Walter Silva (Benfica de Luanda);
  4. Camisola dilas sprits intermédios, Marcelino Augusto (selecção nacional de Angola);
  5. Camisola branca, melhor jovem, António Dário (Angola);
  6. 6. Camisola cor-de-rosa, melhor são-tomense, Edney Nascimento

A volta prossegue hoje na estrada nº 2 de São Tomé, da Cidade Capital a Porto Alegre.

Bendzaison Lima

  1. img
    Pen Drive Responder

    Apoios só existem para festas e simpatizantes dos partidos politicos e das altas figuras politicas

  2. img
    Bacano Responder

    Saotome,não temos,futebol,Basketbol,natação,ciclismo,andebol,etc.KE KUA!só temos grandes Campeões em roubar dinheiro do povo,ai sim somos melhor.

  3. img
    Francisca CL Responder

    Nós somos a terra de Leve – Leve. Estes negócios de correr para cima e para baixo é dar corpo maçada só de graça…

  4. img
    Armindo Responder

    Eu garanto que se fosse corrida de moto em campanha presidencial ou legislativas forro é que gamhava.Nesta modalidade e especialidade forro náo maya.

  5. img
    STP Responder

    Porquê tanta morozidade na publicação de noticias tão importante como é o caso da agreção do militares contra a equipa de arbitragem no passado fim de semana! É desta forma que queremos desenvolver o desporto no nosso país? ou vosses também foram ameassados por eles? Até quando?

  6. img
    STP Responder

    (dos militares queria eu dizer)

  7. img
    Barão de Água Izé Responder

    Para quando uma maratona e, ou um corta-mato internacional, denominado CAFÉ?
    O desporto amador ou profissional é uma componente formativa essencial na vida dos povos.

    • img
      José Quaresma Responder

      Se tens ideias tente mobilizar “forças” no sentido de atingires a meta desejada . Não podemos ficar de mãos entrelaçadas à espera que outros façam qualquer coisa , pois como dizia o poeta …” Quando o Homem sonha o Mundo pula e avança como uma bola colorida , nas mãos de uma criança..” Felicidades meu Caro o país a todos pertence !

      • img
        Barão de Água Izé Responder

        Caro José Quaresma: De acordo, cada um de nós deve agir dentro das suas capacidades.
        Eu sugeri algo muito fácil de organizar que o novo Ministro dos Desportos pode desencadear sem muito trabalhoi e marcar história. O Clube Naútico, está a vista de todos, mas está morto. Até parece que os Governos da nossa Terra desconhecem quem é o dono e nada fazem para corrigir esse cancro visual, social e desportivo. Saúde!

  8. img
    Mestre do costume juridico Responder

    Dizem nos bastidores da Prova Cacau que os nossos miúdos têm bicicletas pré-históricas. Cadê os típicos patrocinadores das festas de fundões e das Santas de todos os distritos para patrocinarem algumas bicicletas modernas para que os nossos bicicleteiros possam cortar a meta não atrás dos Angolanos, mas sim a frente deles, já que somos os anfitriões, e é costume ganhar, quem organiza os eventos.

  9. img
    Bacano Responder

    Para quando uma corrida do fim de ano,denominada volta da virada,pelo menos para animar o nosso povo.

  10. img
    minus de aguamole Responder

    mambos e makas nas voltas que provocam revoltas…

Deixe um comentario

*