Desporto

FSF reage ao sorteio rumo ao CAN 2017

72 horas depois do sorteio para apuramento rumo Campeonato Africano das Nações, CAN 2017, no Gabão, que ditou São Tomé e Príncipe no Grupo F, juntamente com as congéneres de Cabo-Verde, Marrocos e Líbia, eis que veio a reacção da Federação Santomense de Futebol, FSF, na voz do seu Vice-presidente, Adalberto Catambi, que considerou de difícil, mas não impossível o nosso apuramento.

São Tomé e Príncipe, que pela primeira vez na sua história, se não me falha a memória, jogará o primeiro jogo fora de portas, para o arranque de um apuramento, não terá vida fácil, como nos avançou, Adalberto Catambi, vice-presidente da FSF, reconhecendo desta forma, a superioridade dos adversários.

“Bom, bom, bom, muito difícil é o que eu posso dizer sobre este grupo, porque estamos a falar das selecções da primeira linha de futebol africano. Mas contudo, não é impossível sonhar com o apuramento, mesmo sendo remota a nossa chance”. 

Catambi apontou à “Tela non” que, o caminho para sucesso em qualquer parte de mundo está simplesmente no trabalho.

“ Se trabalhamos mais e melhor do que as outras vezes, a possibilidade de seguimos em frente é maior, mas se não o fizemos, já sabem o que vai acontecer”.

Sabe-se que, até a presente data, ainda não foi anunciado o sucessor de Gustav Clement, a frente da selecção nacional, mas contudo, algumas vozes já começam a especular que, Gimboa, actual treinador da UDRA de Angolares, Paulino Costa, ex- Caixão Grande, e Vladimir Viegas, ex-Sporting de Príncipe, poderão está na calha para assegurar suceder, o Gustavo Clemente.

Falando dos nossos adversários, é de informar que, das três selecções que vão atravessar a nossa estrada, apenas a Líbia é que já cruzou o nosso caminho.

Este cruzamento, aconteceu em 2006, quando do apuramento para CAN e Campeonato de Mundo 2006, na Alemanha, onde fomos suplantando por 8×0, no embate da segunda mão, em Líbia, depois da derrota por 1×0, na Arena 12 de Julho.

De informar que, o confronto de abertura, está agendado para o mês de Junho ou Julho, na cidade da Praia, diante dos “Tubarões Azuis”, Cabo-Verde, orientado pelo técnico português, Rui Águas, que procura a sua terceira presença, numa fase final do CAN. 

Eis a constituição dos grupos: 

Grupo A: Tunísia, Togo, Libéria, Djibouti;
Grupo B: Madagáscar, DRC, Angola, CAR;
Grupo C: Mali, Guiné-Equatorial, Benim, Sudão do Sul;
Grupo D: Burkina Faso, Uganda, Botswana, Comoros;
Grupo E: Zâmbia, Congo, Kenya, Guine Bissau;
Grupo FCabo Verde, Marrocos, Líbia, SÃO TOME E PRINCIPE;
Grupo G: Nigéria, Egipto, Tanzânia, Chade;
Grupo H: Gana, Moçambique, Ruanda, Mauritius;
Grupo I: Costa do Marfim, Sudão, Serra Leoa, Gabão;
Grupo J: Algeria, Etiópia, Lesoto, Seychelles;
Grupo K: Senegal, Níger, Namíbia, Burundi;
Grupo L: Guine, Malawi, Zimbabwe, Suazilândia;
Grupo M: Camarões, África do Sul, Gâmbia, Mauritânia.

Gil Vaz

 

 

 

 

    6 comentários

6 comentários

  1. Zmaria Cardoso

    11 de Abril de 2015 as 5:35

    A noticia deixa a acreditar que esta na mira da Federaçao Santomense de Futebol a caça de um novo selecionador.
    Para atrapalhar a lista dos três nomeados, nao obstante aos resultados caseiros que fazem deles de técnicos com bagagem para mais alto desafio do nosso futebol na cena continental, ha um futebolista de outros tempos ou seja de outra geraçao esquecido por ai.
    Foi futebolista de elite, treinador admirado por todos desde as camadas jovens de outros tempos do desporto nacional e se, o tempo nao apaga memorias, também ja assumiu a selecçao nacional.
    Tem formaçao no estrangeiro para lidar com o futebol de alto nivel.
    Tudo bem! Tem um defecit para certa visao. Vive no estrangeiro.
    Todavia, essa vivência, creio, tem sido uma mais-valia nao negada por aqueles chutadores de bola em Portugal na vitalizaçao e vlorizaçao do nome das nossas ilhas.
    O actual ministro dos desportos foi seu miudo e colega de futebol riboquino e nacional.
    O exemplo de Cabo Verde com um técnico português, STP tem um contrapeso na pessoa do meu admirador, ao qual devem ser dado as mesmas condiçoes do actual selecionador para o seu regresso.
    Tudo isso para acertar no nome. Professor Cardoso, a pessoa certa. Aposto sim, o professor Cardoso de Riboque, levara Sao Tomé e Principe bem longe.
    Bem-haja!

  2. Bem de S.Tomé e príncipe

    13 de Abril de 2015 as 9:43

    Concordo plenamente consigo, sr.Zmaria Cardoso.É de facto um grande treinador, mas a sua vinda, as condiçoes que o mesmo ia exigir, a nossa pobre Federação não estaria em altura para despender esses custos.Nós temos Gustave Clemente, que conhece os jogadores, porque acompanhou o ultimo campeonato,já foi treinador da selecção e teve um saldo positivo, e que não despenderia muita despesa como o tal Cardoso que referiu.

  3. Futebol de STP Parado a Espera de Nino

    13 de Abril de 2015 as 14:40

    Como é possível termos jogos de apuramento daqui a poucos meses e ainda não temos selecionador?
    É este o resultado que o senhor Nino e a equipa de incompetentes que lhe acompanham começam a demostrar.
    Primeiro subornaram todos os votantes pra conseguirem subir ao poleiro, e agora passados 3 meses todos esses que se deixaram vender já estão arrependidos pois nada do que lhes foi prometido o Nino não conseguiu e nem vai cumprir pois agora ele nem atende os telefonemas de pessoas a quem ele prometeu mundos e fundos pra conseguir estar a frente da FSF…resumindo e concluindo ,,, fomos todos enganados mas verdade seja dita é bem feito pra todos esses que se deixaram vender…

  4. Hernane Prazeres

    13 de Abril de 2015 as 17:31

    Também concordo plenamente convosco, e acredito para o desenvolvimento do nosso futebol, o dinheiro não será problema, o estado entendera que terá que pagar bem, para podermos ter sucessos, futebol é dinheiro, e para termos dinheiro, temos que investir mais e mais, portanto camaradas acredito que a federação São Tomense saberá ouvir bem a nossas ideias, senhor Professor Cardoso de Riboque, levara São Tomé e Príncipe bem longe.
    Bem-haja! Meus camaradas…………

  5. ANCA

    14 de Abril de 2015 as 11:13

    Boa São Tomé e Príncipe vai disputar o apuramento para CAN 2017.

    Somente um parentese.

    Temos que mudar a forma como olha-mos para os nossos atletas e seleção bem como o País em si.

    Sr Vice Presidente da Federação,
    antes de mais um abraço, votos de um bom trabalho que tem pela frente.

    Entenda esta crítica como um incentivo jamais uma derrota ou um abate pessoal.

    A notícia é ótima excelente.

    Mas dizer palavras como;

    “é difícil, que São Tomé e Príncipe não terá vida fácil, não é impossível sonhar com apuramento”

    É a partida sentir derrotado, atirar a toalha ao chão.

    No mundo do futebol, como na da competição os grandes também caem.

    São Tomé e Príncipe é um País, os dirigentes, atletas bem como os jogadores da seleção devem sentir orgulhosos de usar e vestir a camisola, que representam, devem estar motivados, quando trabalham e jogam pelo País, fazer mais e melhor que sabem e podem.

    Pois é possível o apuramento sim, com trabalho e vontade de vencer.

    É necessário organizar-mos melhor, ter regras/metas bem definidas, apoiar, motivar, dar condições e equipamentos necessários para o apuramento do CAN 2017, bem como para evolução do Desporto Nacional, em todas as modalidades, neste caso em particular- o Futebol Nacional.

    Na vida nada é fácil.

    Os jogadores chamados a seleção, devem ver e perceber a possibilidades de serem grandes jogadores com um contrato milionário, a nível regional e internacional, na Europa, America, Asia, Africa, no CAN 2017, o mundo estará de olhos no Gabão.

    Têm exemplo do Pélé, do Maradona, Eusébio, do Figo, Drogba, de muitos outros, referências mundial, no mundo do futebol.

    Mas é necessário primeiro, serem humildes jogar para equipa, terem força de vontade de jogar, jogar e marcar golos, pois a vitórias conseguem-se marcando golos na baliza contraria, estarem unidos dentro do campo, jogar como uma equipa e jamais cada um por si, mostrar talento na hora certa, rematar, passar a bola, defender com convicção e jamais rastejar e limpar o adversário a perna, pois o jogo é com a bola, serem disciplinados dentro do campo, para conseguirem a qualificação e apuramento.

    Com força e coragem conseguiremos

    Acreditem

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  6. Respeito

    1 de Maio de 2015 as 6:48

    Sera que esse eo tal Cardoso que foi a Portugal de ferias abandonando a esposa e filhos sem nada e na pobresa sem enviar nada? Esse e capaz de abandonar a selecao em Marrocos ou CV e ficar pour la…”déjà vu”.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo