Selecção Nacional: Grito da reviravolta

Foi terrível em Cabo-Verde, 7-1.

Foi penalizado, mas alegre com Marrocos, 3-0.

Agora é a vez de ser emocionante, alegre e glorioso, de modo que eu, você, e todos outros que fazem parte desta família, santomense, possamos sair a rua para festejar com os nossos, a morte da Etiópia, imitando o filme do dia 29 de Fevereiro de 2012, no antigo Sarmento Rodrigues “Estádio Nacional 12 de Julho”, quando o Jair Nunes e Lasset Costa, decidiram rubricar aquela cambalhota, que eu não sei fazer mais vibrei, 2-1 frente à Serra Leoa, 2-1.

Como vês, eu não esqueço, tenho essa data cravada na minha mente, na esperança que daqui a mais alguns anos, irei narrar este filme aos meus filhos, e posterior aos netos.

Quem não quer voltar a assistir este filme, e sentir aquela adrenalina?

Eu quero, e sei que você também quer, porque sei que sentes, o que eu sinto na minha alma “aquela alegria que somente nós sentimos e não sabemos explicarquando a minha selecção vence um jogo”, foi assim em 2012, e assim será em 2015.

O livro sagrado ensina “depois do sofrimento vem a alegria, depois da morte vem a ressurreição foi assim com o Jesus Cristo, que morreu na cruz para a nossa salvação, alegria e paz, porquê que não haveria de ser com o “Santo” e o “Príncipe”, depois de vários dessabores?

Que venha à Etiópia no dia 08, e depois no dia 11 de Outubro.

Já ouvir falar do seu poder de fogo, mas para isso temos em volta das nossas ilhas, muita água para apaga-lo, e se a mãe natureza marcar a sua presença no Estádio Nacional 12 de Julho, teremos também muita chuva.

Também já ouvir a falar por este mundo muito complexo, que somos como uma panela, com apenas 1001 km2. Sobre isso não vejo pecado, mas o maior pecado cometido por eles, é comparar o nosso poder, o nosso credo, e o nosso amor a pátria, com a nossa dimensão territorial, porque quando se fala das honras do nosso “Santo” e do nosso “Príncipe”, a música é outra.

Pela ironia do destino, juntamente com a falta de maturidade e um pouco de indisciplina táctica, Cabo-Verde e Marrocos conseguiram fazer com que os nossos jogadores dançassem as suas músicas.

Basta de dançar a música dos outros.

Neste grito chegou aos meus ouvidos que o maestro da orquestra “Gimbôa” está a compor uma nova letra, para ser apresentada neste jogo, que esperemos ser o da cambalhota, frente á Etiópia no dia 08.

Até que a Etiópia possa conseguir dançar, mas para isso, terá que correr, pensar, ter muita disciplina táctica, e marcar mais golos do que nós, caso não será a morte do “bandido”.

Na última semana fartei-me de rir quando, ouvi e vi comentários de alguns internautas, frisando que a Etiópia virá para dizimar com a utopia de STP, porque sei que os nossos jogadores, que deram o sinal da reviravolta no confronto com o Marrocos, estão a trabalhar com um e único propósito, que é de trazer para 3D o sonho de vencer à Etiópia.

Mesmo somente com os jogadores das ligas domésticas, o Gimbôa vai compondo a nova letra, na esperança de poder contar com os da Região Autónoma do Príncipe, RAP, bem como da diáspora, Luiz Leal, William Barbosa, Harramiz Soares, Jony Ramos, que já sentiram o peso da camisola nacional.

Mas surge vozes que dão conta que poderão estar de caminho para além dos citados, mais artilharias pesadas para reforçar o nosso contingente.

Dizer que não será difícil, estaríamos a ser falsos connosco mesmo, sobre tudo no embate da segunda mão em Adis-Abeba, capital da Etiópia.

Mas antes da Adis-Abeba, temos que pensar em São Tomé, aqui sim será o palco do primeiro duelo, onde os mais de 190 mil corações irão palpitar em paralelo, e quase 6 mil deslocarão ao palco do jogo, Estádio Nacional 12 de Julho, de modo a gritar numa só voz “força São Tomé e Príncipe”, “somos os melhores”, “quem que manda nas ilhas somos nós”, gritos e citação que perturbarão os visitantes, que não conhecem o labirinto em que irão se meter.

O seleccionador Gimbôa prometeu em fazer mais e melhor do que fez com Cabo-Verde e Marrocos, a FSF credenciou e prolongou o seu vínculo, e nós também.

Nesta linha, vamos todos durante estas duas semanas que faltam para o confronto, empreender os esforços para ajudar o “ Falcão e Papagaio” a voarem bem alto no dia 08, e depois no dia 11 de Outubro próximo.

Eu sei que muitos estão inquietados em como apoiar. É fácil. Basta você aderir a campanha “Diáspora” promovida pela Associação dos Treinadores de Futebol, ligando para os terminais móveis, +2399910737 ou +2399022115, ou fazendo o seu depósito no Banco Internacional de São Tomé e Príncipe, BISTP, nesta conta: 1307555/101.

Os outros poderão contribuir, fornecendo alguns produtos locais, bem como os não perecíveis de modo a enriquecer ainda mais, a dieta alimentar dos nossos guerreiros, que em contra partida, prometeram lutar até o último apito do árbitro, para transformar o que muitos pensam ser mito, em realidade.

Para o jogo com o Cabo-Verde e Marrocos, nas últimas semanas eram calafrios e mais calafrios, que só passava depois do jogo, onde no final eu tinha que contentar com a derrota.

Mas para este duelo, já não estou a sentir os ditos calafrios. Isso quer dizer que o meu Deus que também é teu Deus, mais os dois dos nossos maiores santos, “Tomé” e “António”, e outros que temos por aí, estão a compilar algo de bom para os que sentem como eu, amor à pátria, possa jamais esquecer do dia 08 de Outubro, como fizeram nesta data, 29-02-2015.

Não poderia fechar este texto sem citar o desabafo de um jovem e amigo meu, que está desapontado com o país, e a forma como estão a tomar alguma decisão, porque foi-lhe tirado o seu único ganha-pão, somente pelo facto de ser extraordinário no seu antigo posto de trabalho “estou desapontado com este país, mas espero que a nossa selecção possa-me dar este prazer de sentir a paixão que sinto, o amor que tenho, e prazer de viver nestas terras abençoadas por Deus, mas mal gerida por homens. Eu poderia desejar tudo de mal para selecção nacional, como muitos que estão na mesma situação como eu, estão a fazer. Mas o meu amor e a paixão que sinto por esta nação está a falar mais alto, por isso vou mover todo o meu credo para que possamos vencer no dia 08, porque sei que muitos estão apenas a precisar desta vitória para ser feliz. Só eu sei o quanto estou a sentir, parece que me espetaram uma espada no coração. Só Deus para nos livrar e proteger. Viva a selecção Nacional”.

Com este depoimento emocionante de um jovem despontado com o país, termino esta história, acreditando que no dia 08 de Outubro, no antigo Sarmento Rodrigues, esta história sairá da tela para a realidade. Agora é a nossa vez.

Gil Vaz

 

 

 

 

Notícias relacionadas

  1. img
    Adolfo Silva Responder

    força selecção nacional, todos junto venceremos

  2. img
    Força seleção Responder

    É isso vamos contudo para cima da Etiópia. Eu quero você quer nós queremos. Vamos rapazes vocês conseguem.

  3. img
    Santola Responder

    Que venha a Etiópia que estamos aguardando, só espero uma vitória da nossa selecção. :)

  4. img
    Olivio Diogo Responder

    Vamos Rapazes, o país está convosco. Estarei lá para gritar bem alto.
    Olívio Diogo

  5. img
    Olivio Diogo Responder

    Força rapazes! Nós estamos convosco, estaremos lá para vos apoiar.
    Olívio Diogo

  6. img
    Addon Tiny da Cruz Responder

    Eu não conheço o futebol da Etiopia, mas acho que eles não são tão fortes ou famosos, e penso que S.Tomé não esta muito a quem deles,sobre tudo depois de o jogo que demonstrou frente a Marrocos.
    Se a nossa selecção encarrar o jogo como encarrou frente a Marrocos com vontade, caracter determinação, estou convencido que a selecção poderá ganhar o jogo.
    Por outro lado é preciso que a FSF de futebol conjuntamente com outras entidades tais como(governo, pessoas singulares ,sectores privados)ajudem a FSF isto porque so a Fsf não consegui da resposta a todas necessidades da selecção, e poe a disposição do selecionador todas a condiçoes necessaria a tempo e hora para que ele possa fazer o seu trabalho e tragam os reforços que vieram da diaspora para jogar frente a Marrocos e outros que ainda não vieram mas que temos boas indicações e não essa coisa de hoje vem um jogador amanha vem outro grupo de jogadores, depois de amanha não vem nenhum,etc.Temos que ter um leque de jogadores internacionais identificados que são da selecção seja 10 ou 8, mas que contamos com ele e que temos que criar condições para os trazer sempre que ouver jogos da selecção. No jogo contra Marrocos acredito que se o Luis leal estivesse presente ao lado desses que vieram quem sabi o resultado poderia ser outro.
    Por isso quer apelar a nossa selecção para terem força e curagem que vamos ganhar( na nossa giria vamos comer essa boca kkkkkkkkkk)e levar uma vantagem de 3 : 0 para discutir a eliminatoria fora, isto é na Etiopia.

  7. img
    Addon Tiny da Cruz Responder

    desculpa correção houver

  8. img
    Yuri Eusébio Responder

    Eu acredito que desta vez daremos sova aos Etiópios de forma relançarmos as nossas motivações para os desafios de qualificação CAN 2017. Vamos la rapazes estarei na bancada torcendo por vós e nós.

  9. img
    precisamos de pessoas serias Responder

    A prova que racionais e irracionais se aplica ao ser humano, é o que se passa em s.tomé com a seleção. Estes indivíduos não pensam. Falar com eles, é tempo perdido. Só entendem uma linguagem, ignorância.

Deixe um comentario

*