ll Torneio relâmpago “Alda Espírito Santo”

Encontra-se aberta a inscrição para as equipas de futsal feminino para participarem no ll Torneio relâmpago “Alda Espírito Santo”, organizado pela Ministério da Juventude e Desportos/ Direção dos Desportos, em parceria com a Câmara Distrital de Água Grande.

Local das inscrições: Direção dos Desportos
Limite de equipas:  Até 12 equipas
Máximo de jogadoras por equipa: 15 jogadoras
Data limite de inscrição: dia 13/09/2017 quarta feira
torneio aldaInformações: os jogos terão lugar no salão de jogos do Ex.Snecia e a final no Parque Popular.
Pretende -se com esse torneio relâmpago prestigiar o dia da mulher Santomense, incentivar a prática do futebol feminino no seio das mulheres e principalmente homenagear a poetisa e figura histórica Santomense “Alda Espírito Santo”

Notícias relacionadas

  1. img
    Liberdade de Expressão Responder

    É de louvar essa iniciativa e o Estado deve promover a massificação do Desporto em STP, pois o Desporto é a vida!Fui…

  2. img
    MIGBAI Responder

    Minha gente da descultura imposta pela ditadura do MLSTP.
    Desde quando esta senhora pode ser considerada “poetisa e figura histórica Santomense “Alda Espírito Santo””
    Chega de hipocrisias.
    Lutemos pela honestidade intelectual das nossas gentes e acabemos de vez com a imposição de figuras históricas que nunca existiram e nem existem em STP.
    Se existem algumas figuras histórias em STP, elas somente existem pela negativa tipo Gorgulho e pinto da costa.
    Chega minha gente de tentarem adormecer-nos.
    Temos que criar um movimento reconciliador que acabe de vez com esta miséria intelectual em que nos colocaram.
    O que está errado tem obrigatoriamente de ser corrigido doa a quem doer.
    Acabem lá com essa treta de poetisa, que de poetisa não teve nada e nem teve qualquer vocação para tal, tendo-se limitado a escrever algumas palavritas, um pouco mais elaboradas e eruditas e que os parvos aceitam como sendo detentora de uma veia poética de realçar.
    Meu querido STP o que te fez pinto da costa e outros oportunistas com a proclamação da dependência!

    • img
      Tristeza Responder

      O facto resultou que de “algumas palavritas, um pouco mais elaboradas e eruditas” surgiu a Independência total o Hino Nacional de São Tomé e Príncipe. Foi escrito por Alda do Espírito Santo e adotado logo após o país conquistar a independência de Portugal, em 12 de julho de 1975.
      Procura estudar mais e tentar ao menos aproximar dessa FIGURA HISTORICA que foi a POETISA ALDA DO ESPIRITO SANTO. Agora metem política em tudo, virou moda. Procura é ir ver os jogos das nossas queridas mulheres, participar no evento de 19 de Setembro, divertir e deixa de estar aí a falar atoa.
      Atençao isso aqui nao é um debate, por isso fui…….
      Tristeza.

      • img
        MIGBAI Responder

        Tristeza
        Efetivamente tens razão no seguinte ” Procura ir ver os jogos” somente nisto tens razão, porque no restante, o teu nick name diz tudo “TRISTEZA”.
        Como podes ignorar a nossa vida após a (in)dependência de 12 de Julho de 1975 e a ditadura que se seguiu e que durou 15 anos?

        Como podes ignorar com base na (in) dependência de 12 de Julho de 1975 a nossa ruina a todos os níveis sociais existentes?

        Como podes ignorar com base na (in) dependência de 12 de Julho de 1975 a ruina do Estado e da sua estrutura?

        Eu sei como tu podes ignorar tudo isto “Tristeza”! É ires ver um jogo de futebol, entre as nossas/tuas queridas mulheres, no evento dedicado á comunista alda espírito santo e tudo fica resolvido para ti.
        Fica sabendo que privei com ela em jovem, e ela tinha razão quando dizia “Em terra de cegos quem tem olho é rei”.
        Assim, “Tristeza” em terra de burros analfabetos e ignorantes, basta mandar cá para fora umas palavritas que é logo aproveitado para hino nacional.
        Vai ver o joguinho para ficares bem e menos Triste.

        • img
          Triste Sou Eu Responder

          É preciso ser-se rico de espírito para entender a riqueza do conteúdo das palavritas do Hino Nacional Houve ditadura? Era perigoso não era? Nessa altura é que se queriam heróis.
          “Ser herói na hora do perigo
          Ser herói no ressurgir do país”.

  3. img
    Horácio Will Responder

    O que é isso MIGBAI?
    Portugal libertou-se de Espanha e passou misérias que os espanhóis não passavam. Nunca vieram os portugueses mais lúcidos dizer que quereriam voltar a sujeitar o domínio do vizinho. O povo de São Tomé e de outras colónias sofreram tanta escravidão, desterro, desenraizamento para vendas, arbitrariedades no tratamento respeitoso para com seres da mesma raça (RAÇA HUMANA) e mais tarde, desrespeito cívico e pela igualdade de oportunidades. Todos vimos parte e ouvimos o resto. Também era mau. Hoje que somos independentes, em vez de tornarmos isentos na abordagem aos nossos políticos de modo a exigir deles, com seriedade e não lambe-botices, uma postura ideal para a construção do nosso pais, passamos a parecer meninos que choram diante da herança que têm porque precisavam sempre do paizinho para gerir enquanto mantemos a cabeça vazia e suportamos todo o tipo de tratamento inadequado a um adulto. Temos a herança sim! Vamos convergir para gerir e crescer. Não queremos saber dos culpados. Precisamos de detectar os erros e corrigí-los. Chega de perder tempo com recriminações.
    Ao assunto:
    A Drªa Alda foi uma excelente patriota tal como a Drªa Julieta. Ambas acreditavam na construção do país e na boa vontade dos filhos da terra e faleceram decepcionadas com o rumo das coisas. Penso que recordar pessoas com essas sensibilidades, pode estimular mais pessoas a sentirem que o patriotismo é justificado e bota-abaixismo não.

    • img
      MIGBAI Responder

      Meu caro Horácio Will.
      desculpe-me mas não em razão nenhuma no que escreveu.
      Como o meu caro está formatado para dizer o que disse não sou eu que o vai contrariar ou fazer mudar de ideias perante os factos que não quer ver.
      Assim, e só para terminar, quando o meu caro diz, “Não queremos saber dos culpados” erra copiosamente meu caro Horácio, pois se os culpados, desaparecessem da cena politica nacional até que concordava consigo, mas a realidade é que eles andam ai, e sempre prontos para de novo terem as rédeas do poder. Por isso, temos sim de olhar nos olhos deles e chamá-los de destruidores eunucos tal como o pinto da costa que continua sempre na mira do poder, como o que ele fez a STP já não fosse bastante mau!
      Sobre a independência de Portugal em relação aos espanhóis, se aprendeu história, verá que Portugal já era um pais independente de Espanha quando os espanhóis tomaram conta de Portugal em virtude da fuga da corte portuguesa para o Brasil. Não existe qualquer semelhança com o que pinto da costa fez em STP.
      Sobre a escravatura, a realidade é que passados tantos anos da triste independência de STP, existem agora mais escravos explorados pelos novos colonos pretos.
      Permita-me que lhe diga uma coisa Horácio Will; As independências obrigam a que se inventem heróis, e nós inventámos o amador a alda espirito santo e por ai adiante como heróis nacionais.
      Todos eles inventados tal como essa do rei amador.
      Essa alda nunca foi e nem tinha jeito para poetisa, mas tinha-se que inventar a heroína e pronto, ficou a grande poetisa de STP.
      Ficamos por aqui.
      Aquele abraço.

      Só para ter uma ideia da poetisa que diz ser a alda, aqui vai o texto que eu acima escrevi, sem tirar ou colocar uma palavra, e terá precisamente a técnica que ela usou e que se chama no meio dos estúpidos da poesia de “POESIA LIVRE”.
      Veja com os seus próprios olhos e depois chama a alda de poeta.

      Minha gente
      da descultura imposta
      pela ditadura do MLSTP.

      Desde quando
      esta senhora pode
      ser considerada “poetisa e figura histórica Santomense “
      Alda Espírito Santo””

      Chega de hipocrisias.

      Lutemos
      pela honestidade intelectual
      das nossas gentes e
      acabemos de vez
      com a imposição de figuras históricas
      que nunca existiram e nem existem em STP.

      Se existem algumas figuras histórias em STP,
      elas somente existem
      pela negativa tipo Gorgulho e pinto da costa.

      Chega minha gente
      de tentarem adormecer-nos.

      Temos que criar
      um movimento reconciliador
      que acabe de vez com esta
      miséria intelectual em que nos colocaram.

      O que está errado
      tem obrigatoriamente
      de ser corrigido
      doa a quem doer.

      Acabem lá com essa treta de poetisa
      que de poetisa não teve nada
      e nem teve qualquer vocação para tal
      tendo-se limitado a escrever algumas palavritas
      um pouco mais elaboradas
      e eruditas
      e que os parvos aceitam
      como sendo detentora de
      uma veia poética de realçar.

      Meu querido STP o que te fez pinto da costa e outros oportunistas!

  4. img
    Horácio Will Responder

    Caríssimo MIGBAI
    Só agora tive oportunidade de ver a sua resposta. Sempre achei que se pode pegar nas coisas que diz e fazermos uma boa conversa. Por isso nutro um grande respeito por si. Conforme respondeu desta vez, deixou de novo muitas coisas para uma boa conversa, mas teria de ser, para agrado meu, se possível, numa conversa sentados em respeitosa troca de argumentos. Quem se o acaso não venha a proporcionar!Acho que em relação aos espanhóis, Pinto da Costa, o pecado e pecadores (erro a ser corrigido em vez da necessidade de incriminar o culpado) que tudo isso daria um bom motivo para reflexão. Só a versificação da sua prosa para caracterizar o estilo da Dr.ª Alda Graça é que foi um perfeito desastre. Se continuar a não ver a diferença, eu poderei pensar que a tão desejada conversa que eu possa ter consigo talvez não se resulte produtiva.

    • img
      MIGBAI Responder

      Meu caro “Horácio Will”
      São formas diferentes de ver as coisas.
      O meu caro “Horácio Will” consegue ver sensibilidade no que essa senhora escreveu, eu contudo, um pouco mais exigente de quem se intitulava poetisa, por mim, não vejo nada que me estimule.
      Permita-me que lhe escreva um simples poema de uma verdadeira poetisa, sobre o ser-se poeta.
      diz ela:
      “Ser poeta é ser mais alto
      é ser maior do que os homens
      Morder como quem beija
      é ser mendigo e dar como quem seja
      Rei do reino de áquem e de Além Dor
      é ter mil desejos o esplendor
      e não saber sequer que se deseja
      é ter cá dentro um astro que flameja
      é ter garras e asas de condor
      é ter fome , é ter sede de infinito
      por Elmo, as manhãs de oiro e de cetim
      é condensar o mundo num só grito.
      e é amar-te assim perdidamente….
      é seres alma, e sangue, e vida em mim
      e dizê-lo cantando a toda a gente.

      Isto sim é poetisa!!
      Isto é sem sombra de dúvidas ter veia poética!!
      aliás, poema que a alda muito gostava.
      Contudo meu caro “Horácio Will” temos infelizmente que andar no anonimato, um dia quem sabe, estaremos sentados falando um pouco de tudo, sem máscaras.
      Aquele abraço.

Deixe um comentario

*