ONU afirma que “massacre desprezível do Boko Haram tem que acabar”

Parceria – Téla Nón / Rádio ONU

Declaração foi feita pelo chefe do Escritório de Direitos Humanos em Genebra; Zeid Al Hussein afirmou que “a carnificina representa uma ameaça ao desenvolvimento, à paz e a segurança da região”.

 

Aldeias atacadas pelo Boko Haram. Foto: IRIN/Aminu Abubakar

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O alto comissário de Direitos Humanos da ONU, Zeid Al Hussein, afirmou esta quarta-feira que “o massacre desprezível do grupo Boko Haram tem que acabar”. Ele pediu ação da comunidade internacional contra os extremistas.

Em pronunciamento no Conselho de Direitos Humanos, em Genebra, Zeid afirmou que “essa carnificina representa uma ameaça clara e urgente ao desenvolvimento, à paz e à segurança, não só da Nigéria, mas também de Níger e dos Camarões”.

Sequestros e Abusos

Ele afirmou que desde 2009, quando o Boko Haram se tornou altamente violento, pelo menos 15 mil pessoas foram assassinadas.

O chefe de Direitos Humanos disse que durante esse período, “um número incontável de crianças, mulheres e homens foram sequestrados, sofreram abusos e recrutamento forçado”.

Além disso, mulheres e meninas foram usadas como escravas sexuais. Vilarejos e cidades foram saqueados e destruídos.

Ações Bárbaras

De Genebra, em entrevista à Rádio ONU, o embaixador de Angola junto às Nações Unidas, Apolinário Jorge Correa, falou sobre os ataques do grupo.

“São ações bárbaras e inqualificáveis e a comunidade internacional não pode ficar de braços cruzados reparando todas às partes. Se em algumas zonas do planeta são combatidos com todos os meios, em África também esses grupos devem ser combatidos e devem apoiar os países africanos que já têm, a iniciativa de colaborar com isso. Nós, em Angola, estamos a participar como presidentes da Conferência Internacional dos Grandes Lagos, onde também temos dado a nossa contribuição.”

Já o chefe de direitos humanos da ONU afirmou que o Boko Haram tem uma animosidade específica contra escolas, principalmente as que educam meninas. O grupo já destruiu ou causou grandes danos em pelo menos 300 colégios, matou vários estudantes e sequestrou centenas de alunas.

O representante da ONU declarou que os líderes do Boko Haram devem saber que serão levados à justiça por todas as violações cometidas contra os direitos humanos.

 

Notícias relacionadas

Deixe um comentario

*