São Tomé e Príncipe, Angola e Brasil reduzem à metade pessoas com fome

PARCERIA – Téla Nón / Rádio ONU

 

 

Guiné-Bissau destaca-se no grupo pelo fraco progresso para baixar a desnutrição; Relatório da FAO alerta que África Subsaariana tem 23,2% da sua população desnutrida.

 

Estado da Insegurança Alimentar 2015. Foto: FAO

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Angola, Brasil e São Tomé e Príncipe são os únicos lusófonos no grupo dos 72 países que atingiram a meta do Milénio de reduzir à metade a fome entre os anos 2000 e 2015.

A informação consta do Relatório Estado da Insegurança Alimentar 2015, lançado esta quarta-feira, em Roma.

Objetivos

Em declarações à Rádio ONU, o representante da FAO junto à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Cplp, Hélder Muteia, falou de progressos no bloco para o alcance desse objetivo.

“O Brasil foi naturalmente um dos países que melhor resultado alcançou comparado aos países desenvolvidos com vista à segurança alimentar. Mas também temos outros países como Angola e São Tomé e Príncipe que deram saltos quantitativos e qualitativos muito significativos. E temos outros países como Moçambique, Cabo Verde e Timor-Leste que de um modo global estão perto ou já alcançaram as metas do milénio.”

O relatório analisa a queda dos índices de pessoas que passam fome pela metade, comparados aos dados registados de1990.

Guiné-Bissau

A Guiné-Bissau destaca-se no grupo pelo fraco progresso para baixar a desnutrição. Das 200 mil pessoas com fome em 1990, o país apresenta agora 400 mil. O país é realçado pela lentidão do progresso de combate à fome.

Em termos de percentagem de pessoas subalimentadas, o Brasil apresenta a menor proporção, com menos de 5%.  O documento revela que São Tomé e Príncipe tem 6,6% de pessoas desnutridas e Cabo Verde 9,4%.

África Subsaariana

Seguem-se Angola com 14,2%, Guiné-Bissau com 20,7%, Moçambique com 25,5% e Timor-Leste com 26,9%.

A FAO destaca que África Subsaariana tem 23,2% da sua população desnutrida. O estudo revela haver 795 milhões de pessoas que passam fome no planeta.

Leia Mais:

Entrevista: FAO, Cplp e redução de pessoas que passam fome

FAO diz que caiu para 795 milhões número de famintos no mundo

 

Notícias relacionadas

Deixe um comentario

*