Angola organiza conferência sobre segurança marítima com EUA e Itália

PARCERIA -Téla Nón /Rádio ONU

Vice-ministro angolano das Relações Exteriores disse à Rádio ONU que evento internacional está previsto para setembro; autoridades angolanas reiteram compromisso com a prevenção de atos criminosos no mar.

A conferência está prevista para setembro. Foto: Banco Mundial/Curt Carnemark

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Angola anunciou que vai acolher uma conferência internacional para abordar a segurança marítima e energética na região do Golfo da Guiné. Os Estados Unidos e a Itália participam na organização da iniciativa, prevista para setembro.

O vice-ministro angolano das Relações Exteriores, Manuel Domingos Augusto, fez a declaração à Rádio ONU, em Nova Iorque. Ele participou no debate do Conselho de Segurança sobre os desafios de Paz e Segurança nos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento.

Interesse

” É uma iniciativa coorganizada por Angola e pelos Estados Unidos da América. Teremos também como coorganizador a República Italiana. Acho que isso explica desde já o interesse que o país tem em todas as matérias com a segurança marítima, particularmente na nossa região mas também no resto do mundo.”

As autoridades angolanas revelam estar apreensivas com a utilização de países por redes criminosas, que transformam os territórios em locais para praticar pirataria, tráfico humano e terrorismo.

Grandes Potências

“Felizmente ainda Angola, não tem sido muito afetada por estas ações criminosas. Mas é exatamente por isso que está engajada num conceito de prevenção como um melhor remédio. Nós não estamos a ser vítimas diretas dos atos criminosos. Queremos, antes, criar condições para que tal não aconteça juntando-nos a aqueles que já são vítimas e a outros países, nomeadamente as grandes potências que estão interessados em parar de facto com essa utilização criminoso do mar e dos seus recursos.”

Alem de ter expressado solidariedade com países insulares, o membro do governo angolano disse ter  consciência de que como país costeiro e com recursos no mar deve apostar na segurança e na melhor utilização dos recursos.

O petróleo é o principal produto de exportação de Angola, e garante cerca de 70% das receitas públicas do país.

Notícias relacionadas

Deixe um comentario

*