Comunidade internacional segue “com atenção” a situação na Guiné-Bissau

PARCERIA – Téla Nón – Rádio ONU

Após reunir com presidente e primeiro-ministro delegados apelaram ao diálogo para “ultrapassar as diferenças que se apresentam”; Conselho de Estado  manteve um encontro com o líder do país esta segunda-feira.

Sede da Uniogbis na Guiné-Bissau. Foto: Uniogbis

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Representantes da comunidade internacional expressaram “grande apreensão com contornos institucionais da atual situação da instabilidade política” na Guiné-Bissau.

O Gabinete Integrado da ONU para a Consolidação da Paz no país, Uniogbis, emitiu uma nota esta terça-feira, dia em que decorreu um encontro entre o presidente José Mário Vaz e o Conselho de Estado.

Presidente e Primeiro-ministro

O documento destaca uma reunião realizada “à luz da atual situação política”, na segunda-feira. Os participantes ao encontro, ocorrido na representação da ONU, foram delegados de vários países em Bissau.

Quatro dias antes, os representantes encontraram-se com o presidente guineense após uma reunião na quarta-feira  com o primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Domingos Simões Pereira.

O comunicado menciona o contributo do secretário-geral da ONU, ao saudar os esforços da Comunidade dos Estados da África Ocidental, Cedeao, através do presidente senegalês Macky Sall, da União Africana e dos parceiros do país.

Estabilidade

O comunicado reitera a disposição dos países para continuarem a apoiar à nação guineense, mas frisa que “só um clima de paz e de estabilidade” permite seguir e implementar plenamente a visão estratégica e o plano operacional para a Guiné-Bissau.

Os delegados internacionais elogiam a vontade guineense de “romper com perturbações político-militares do passado e criar um quadro político propício” para promover o desenvolvimento económico e o progresso.

Aos líderes políticos do país, os representantes disseram que o diálogo irá permitir ultrapassar as “diferenças que se apresentam no quadro de respetivas competências institucionais”.

A nota reitera que o diálogo é o único meio para solução durável de quaisquer diferendos políticos, e destaca que o evoluir  da situação continua a ser acompanhado com atenção.

Leia Mais:

Conselho de Segurança: Guiné-Bissau será tema durante presidência da Nigéria

Especialista aplaude medidas para melhorar finanças públicas na Guiné-Bissau

 

Notícias relacionadas

  1. img
    Roberto Moreno Responder

    A Fundação Geolíngua da Guiné-Bissau, possui uma proposta para a situação política, ética e moral, para este país, via o Projeto Geolíngua, apresentado desde 2002, aos vários órgãos do Governo e da Comunicação Social, incluindo Portugal. – O GEO projeto foi ilustrado, em detalhes e a cores, pessoalmente, ao Primeiro ministro Domingos Simões Pereira, em Lisboa, quando o mesmo era Secretario Geral da CPLP. – José Ramos Horta, premio Nobel da Paz de 1996, também conhece, desde 1994, o Projecto Geolíngua. – Sugiro aos jornalistas que se faça uma Grande Reportagem, sobre o porque que este GEO projeto está a ser ignorado e boicotado à anos e anos em Portugal e, não só. – Estou à disposição para ilustrar, com farta documentação, à cores e em texto, áudio e vídeo, tudo o que aqui foi narrado.

Deixe um comentario

*