Mundo conseguiu atingir meta de redução dos casos de malária

PARCERIA – Téla Nón / Rádio ONU

Iniciativa da OMS e da Parceria Roll Back Malaria, RBM, afirmou que progresso na luta contra a doença desde o ano 2000 conseguiu evitar 6,2 milhões de mortes; 97% desses casos foram de crianças.

 

Redução de 69% no número de óbitos entre crianças com menos de cinco anos desde o ano 2000. Foto: Unicef/Jan Grarup

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.*

A ONU afirmou que o mundo conseguiu atingir o Objetivo de Desenvolvimento do Milênio, ODM, número seis que busca deter e reverter a incidência de malária até o fim deste ano.

Segundo a iniciativa da Organização Mundial da Saúde e da parceria “Roll Back Malaria”, isso foi possível graças aos esforços coletivos e ao aumento dos financiamentos no setor.

Progressos

Os progressos alcançados na luta contra a doença desde o ano 2000 conseguiram evitar a morte de mais de 6,2 milhões de pessoas, sendo 97% delas crianças.

O presidente da Assembleia Geral da ONU, Mogens Lykketoft, afirmou que “o sucesso mundial para reverter os casos de malária mostra o que pode ser atingido com a determinação e a parceria corretas”.

Ele disse que o resultado fornece “inspiração a todas as nações que buscam criar um ambiente saudável para as crianças e adultos”.

Lykketoft declarou que “o mundo pode e deve eliminar a malária até 2030″. Para o chefe da Assembleia Geral, isso vai exigir a implementação da nova estratégia desenvolvida pela parceria “Roll Back Malaria” e pela OMS.

África

A ONU afirmou que somente na África, onde são registradas 90% das mortes de malária, houve uma redução de 69% no número de óbitos entre crianças com menos de cinco anos desde o ano 2000.

Atualmente, mais de 100 países estão livres da doença e pelo menos outros 55 caminham para reduzir a incidência da doença em 75% até o final do ano.

Pelos dados da OMS e da parceria “Roll Back Malaria”, pela primeira vez na história menos pessoas estão sendo infectadas na África. Além disso, muitos países não só na África, mas também nas Américas, no Mediterrâneo e na Ásia-Pacífico têm como meta a eliminação da doença.

Casos

Apesar dos avanços, a OMS alerta que 214 milhões de casos de malária vão ocorrer este ano. A doença deve matar 472 mil pessoas, sendo a maioria crianças menores de cinco anos na África.

Com mais da metade da população mundial em risco de contrair uma infecção, a malária continua sendo uma das principais causas e consequência de pobreza e desigualdade no mundo.

Mas para alcançar a meta de eliminar a doença até 2030, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse que são necessários mais investimentos.

Financiamento

Na Conferência Internacional sobre Financiamento para Desenvolvimento, realizada em Adis Abeba, em julho, os países participantes debateram os planos para atingir essa meta.

Segundo a parceria “Roll Back Malaria”, o mundo vai precisar investir US$ 100 bilhões para reduzir em 90% a incidência da doença até 2030. Além disso, outros US$ 10 bilhões vão ser necessários para financiar pesquisas e o desenvolvimento de novas técnicas, incluindo medicamentos e inseticidas.

Os especialistas explicam que os investimentos anuais devem aumentar para US$ 6,4 bilhões até 2020, comparados com os US$ 2,7 bilhões registrados em 2013.

*Apresentação: Leda Letra.

Leia Mais:

Mundo precisa de US100 bilhões para acabar com a malária até 2030

Com início do Mundial, Drogba é estrela de campanha contra a malária

 

Notícias relacionadas

Deixe um comentario

*