Mudança climática ameaça cada vez mais a segurança alimentar

PARCERIA – Téla Nón / Rádio ONU

Afirmação é do diretor da agência da ONU para Agricultura e Alimentação; José Graziano da Silva diz que pequenos agricultores e pescadores já estão a sentir efeitos de ciclones, secas, cheias e terremotos.

 

Muitos desastres naturais estão a contribuir para a insegurança alimentar

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, alerta: cada vez mais desastres naturais causados pela mudança climática estão a ameaçar a segurança alimentar.

José Graziano da Silva afirma que somente neste ano, agricultores de pequena escala, pescadores, criadores de ovelhas e de gado e floresteiros já viram seus meios de subsistência serem afetados ou destruídos por ciclones, secas, cheias e terremotos.

Perdas Económicas

Segundo Graziano, isso ocorreu em países como Mianmar, Guatemala, Vanuatu e Malaui. A FAO descobriu que no mundo todo, entre 2003 e 2013, a média de desastres naturais quase dobrou desde 1980. Os danos económicos chegam a US$ 1,5 bilião.

Cerca de 25% desses impactos negativos foram nos setores agrícola, pesqueiro, de florestas e no gado. No caso das secas, mais de 80% dos danos e das perdas afetaram a agricultura.

Impactos

Para fazer o levantamento, a FAO retirou informações ligadas a 140 desastres que atingiram pelo menos 250 mil pessoas cada. Segundo o documento, esses desastres naturais causam grande impacto na agricultura e assim prejudicam a erradicação da fome, da pobreza e o alcance do desenvolvimento sustentável.

Se medidas não forem tomadas para reforçar a resiliência do setor agrícola e se os investimentos não forem ampliados, a FAO acredita que a situação possa piorar. Graziano da Silva diz que são essenciais estratégias nacionais para reduzir os riscos de desastres e a adaptação à mudança climática.

Notícias relacionadas

Deixe um comentario

*