África ainda tem 70% dos casos de infeção por HIV

PARCERIA – Téla Nón / Rádio ONU

Conferência internacional no Zimbábue sobre Sida no continente tem como tema liderança e direitos humanos; no Dia Mundial de Luta contra a Sida, chefe de agência da ONU fala na ambição em acabar com a epidemia até 2030.

 

Em hospital no Sudão, mulheres recebem ensinamentos sobre prevenção da Sida. Foto: ONU/Albert González Farran

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque. 

Como em todos os anos, este 1° de dezembro marca o Dia Mundial de Luta contra a Sida, uma condição causada pelo vírus HIV, que está presente em 37 milhões de pessoas no mundo.

O diretor executivo do Programa Conjunto da ONU sobre HIV/Sida, Onusida, lembra que quase 16 milhões de pessoas estão a receber tratamento antirretroviral. Mas Michel Sidibé destaca que os líderes mundiais firmaram um compromisso ambicioso: acabar com a epidemia de Sida até 2030.

Novos Casos

Segundo um especialista da Organização Mundial da Saúde, OMS, a meta não significa que a doença será totalmente erradicada daqui a 15 anos. O médico Marco Vitória explica: o objetivo é baixar o número de novos casos dos atuais 2 milhões para menos de 200 mil por ano.

O representante da OMS falou com a Rádio ONU a partir de Harare, capital do Zimbábue, ocorre a 18ª Conferência Internacional sobre Sida em África. Segundo Marco Vitória, o evento é de extrema importância para o continente.

Progressos 

“Esta é uma das conferências internacionais mais importantes em termos de controlo da epidemia de Sida, já que cerca de 70% dos casos de infeção pelo HIV no mundo hoje estão no continente africano. (Mas) África foi o continente que melhor apresentou resultados. Houve um crescimento bastante importante nas ações de prevenção e tratamento da infeção pela Aids. Só como um exemplo, já que isso está a ser muito discutido aqui: no ano 2000, havia apenas cerca de 11 mil pessoas a tomar a terapia antirretroviral em África e hoje nós temos cerca de 11 milhões a tomar o medicamento.”

A reunião de alto nível no Zimbábue segue até o dia 4 de dezembro e tem como tema “liderança, ciência e direitos humanos”. O secretário-geral da ONU também enviou uma mensagem para o Dia Mundial de Luta contra a Sida.

Ban Ki-moon disse que este ano, a data é celebrada com uma nova esperança. O chefe da ONU aplaude o trabalho dos ativistas e dos trabalhadores de saúde. Ban também aproveita a ocasião para prestar tributo aos defensores dos direitos humanos e a todos aqueles que uniram forças para lutar pelos progressos contra a doença.

Leia Mais:

Entrevista: Progressos na luta contra o HIV

OMS: mais de 11 milhões recebem tratamento antirretroviral em África

 

 

Notícias relacionadas

  1. img
    TliapaCubega Responder

    O que deveria ser alvo realmente da notícia, seria o fato de informarem que temos 3 trinta e cinco mil infectados em STP, significando dizer que quase 20% da população é soropositiva, índice extremamente elevado, levando-se em consideração a nossa densidade demográfica. Que ações têm sido implementadas pelo governo visando minimizar esse flagelo?

    • img
      luisó Responder

      35 mil infectados em stp ?
      Quais são os dados para tal afirmação?

Deixe um comentario

*