Conselho de Segurança aprova sanções contra o Isil

PARCERIA – Téla Nón / Rádio ONU

Resolução foi confirmada por unanimidade; fundos do grupo devem ser congelados imediatamente; países e entidades estão proibidos de fornecer de forma direta ou indireta armas e munições aos integrantes do Daesh.

 

Conselho de Segurança aprova resolução. Foto: ONU/Evan Schneider

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O Conselho de Segurança aprovou por unanimidade uma resolução que inclui o Estado Islâmico do Iraque e do Levante, Isil, na lista de sanções da Al Qaeda. Pelo documento, todos os países que integram a ONU devem respeitar várias medidas.

A primeira está ligada ao congelamento de bens e de todos os recursos financeiros do Isil e de indivíduos que fazem parte do grupo. As viagens também estão proibidas, cabendo aos Estados evitar a entrada ou o trânsito em seus territórios de pessoas ligadas ao Isil.

Armamentos

A resolução prevê ainda o embargo de armas, para que seja evitado o fornecimento, a venda ou a transferência de armamentos, munições e veículos militares aos integrantes do grupo.

O Conselho de Segurança decidiu incluir na lista de sanções pessoas, grupos ou entidades envolvidos em atividades que indiquem ligação com o Isil ou a Al Qaeda.

Algumas dessas atividades são: participar do financiamento ou planejamento de ações; fornecer ou transferir armas; e recrutar os serviços do Isil ou da Al Qaeda.  A resolução nota que o financiamento está ligado a recursos de todos os tipos, incluindo até o fornecimento de internet ou de serviços ligados à rede.

Investigação

A resolução também destaca que todos os que “cometerem, organizarem ou apoiarem atos terroristas” devem ser responsabilizados e para isso, é essencial que os países apoiem as investigações criminosas ligadas a atividades desses grupos.

O secretário-geral da ONU participou do debate no Conselho de Segurança e declarou que “os terroristas continuam adaptando suas táticas e diversificando suas fontes de financiamento”.

Segundo Ban Ki-moon, o Daesh (acrônimo em árabe para o Isil), “gere uma economia multimilionária nos territórios que controla”, conseguindo dinheiro por meio do comércio do petróleo, de sequestros e do tráfico de pessoas.

Combate

Ban destacou que o Isil saqueia propriedades culturais e rouba objetos preciosos, levantando capital por meio da destruição do patrimônio da humanidade. O chefe da ONU citou ainda as mídias sociais, muito exploradas para radicalização, recrutamento de pessoas e para conseguir financiamento.

O secretário-geral acredita que a resolução do Conselho de Segurança vai ajudar a intensificar esforços e promover regimes regulatórios mais fortes e eficientes. Ban anunciou também que será ampliado o programa da ONU sobre o combate ao financiamento do terrorismo.

 

Notícias relacionadas

Deixe um comentario

*