“Mundo está se dirigindo para um terremoto na área de direitos humanos”

PARCERIA – Téla Nón / Rádio ONU

Alerta foi feito pelo alto comissário da ONU, Zeid Al Hussein, na abertura da 31ª sessão do Conselho de Direitos Humanos; secretário-geral Ban Ki-moon afirmou que Agenda 2030 é um grande passo para os direitos humanos.

Abertura da 31ª sessão do Conselho de Direitos Humanos em Genebra. Foto: ONU/Jean-Marc Ferré

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O alto comissário da ONU para Direitos Humanos, Zeid Al Hussein, alertou que “o mundo está seguindo em direção a um terremoto na área de direitos humanos”.

A declaração foi feita esta segunda-feira, em Genebra, na abertura da 31ª sessão do Conselho de Direitos Humanos.

Terremoto

Zeid disse que as violações dos direitos humanos são como um sinal de zigue-zague de um sismógrafo alertando sobre a chegada de um terremoto. Ele afirmou que atualmente essas linhas estão subindo e descendo cada vez mais rápido e mais alto.

O representante da ONU declarou que isso está sendo causado por “más decisões e ações criminosas e sem princípios”. Segundo Zeid, a lei internacional de direitos humanos está sendo violada em “múltiplos conflitos” e com “total impunidade”, enquanto milhares de pessoas morrem de fome na Síria e 450 mil vivem em regiões sitiadas.

O alto comissário afirmou que “hospitais, clínicas médicas e pessoal de saúde” têm uma proteção especial de acordo com a legislação internacional.

Mesmo assim, Zeid disse que, pelo menos, 10 hospitais e clínicas foram destruídos ou danificados desde janeiro, uma média de mais de um por semana.

Ele declarou ainda que a entrega de ajuda humanitária, como alimentos e remédios, está sendo repetidamente bloqueada.

Agenda 2030

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-mmon, disse que a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável representa um grande passo para os direitos humanos”.

Falando em francês, Ban afirmou que o Conselho “é o guardião dos direitos humanos” e que seus mecanismos dão às vítimas e aos defensores dessa área um caminho e uma voz.

Segundo ele, os relatórios preparados pelo órgão “chamam a atenção mundial para os abusos cometidos em vários países e situações”.

Ban disse que “paz duradoura e segurança” não podem existir sem direitos humanos para todos. Desenvolvimento sustentável é impossível sem paz e segurança e os direitos humanos representam a base da humanidade.

Desenvolvimento e Paz

O presidente da Assembleia Geral, Mogens Lykketoft afirmou que o Conselho de Direitos Humanos se tornou “parte vital da arquitetura das Nações Unidas”.

Lykketoft disse que “não haverá desenvolvimento sustentável e paz duradoura se os direitos das pessoas forem violados e ignorados”.

Ele declarou que o desenvolvimento e a paz “estão no coração da política de frente do Conselho de Direitos Humanos” .

Leia Mais:

Conselho debate como Agenda 2030 pode promover os direitos humanos

Relatores pedem prestação de contas para violações em Guantánamo

ONU pede que Rússia não implemente tratado com Coreia do Norte

 

Notícias relacionadas

  1. img
    artur pina Responder

    Grande verdade. Na verdade o mundo esta descontrolado e nosso sto esta em corda banba. Então não e que ADI esta a namorar MDFM para as presidenciais? Pinto da costa e maria das neves que se poem a pau porque o mdfm e fradique continuam a ter o seu peso.

Deixe um comentario

*