Destaques

Cine Brasileirinho de 18 de março – 18h – Sala Multiuso

“OS XERETAS”

(SP/BR, 2001, ficção, cor, 90’).

Direção: Michael Ruman

Elenco: Francisco Cuoco, Roberto Arduim, Eliana Fonseca, Elias Andreato, Fabio Lins, Fabio Henrique, José Batistella, José Eduardo Gomes e Jessyca Bueno Barth

Classificação Indicativa: 10 anos

Não faz parte das tradições do cinema brasileiro aventurar-se pelo chamado “cinema de gênero”, um cinema marcadamente desenvolvido pela e para a grande indústria hollywoodiana. Com “Os Xeretas”, Michael Ruman propõe uma adaptação para as nossas terras do cinema de aventuras infanto-juvenil, solucionando com bastante humor e muita criatividade as dificuldades inerentes a realizar tal filme dentro da realidade de produção do cinema nacional. Como complemento, temos a animação de Ale McHaddo, “A lasanha assassina”, que carrega ainda mais nas tintas do humor ao brincar com os códigos do cinema de horror.

Descrição: Duda, Tato e Nick são garotos entre 12 e 14 anos; os xeretas que descobrem uma rede de túneis, localizada abaixo da cidade, que acaba por levá-los muito, muito além do que eles poderiam imaginar.
Tudo tem início quando eles encontram uma pequena menina, com um estranho símbolo dourado, tatuado no braço, vagando perdida pelas ruas de Castro. Com a ajuda de Alana — uma mística que vive na cidade — descobrem que a menina é na realidade uma “viajante dos portais do tempo e do espaço”, perdida nos dias de hoje. Alana se vale de seus antigos e raros manuscritos, para contar aos xeretas a história dos aleph; o povo de viajantes responsável, desde sempre, pela segurança dos portais. Mas adverte: como todos de seu povo, a menina precisa de um medalhão — a chave dos portais — para retornar à sua casa. Pior: sem ele, ela não sobreviveria mais de um dia em nosso temo.

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo