Destaques

Metade da população mundial poderá ter dificuldades para obter água em 2030

PARCERIA – Téla Nón /Rádio ONU

Painel internacional cita atuais níveis de consumo de água e de poluição como problemas; se a tendência continuar, a demanda por água poderá crescer 40%, exigindo gastos de US$ 200 bilhões por ano.

Redução do desperdício ea 120 bilhões de metros cúbicos de água. Foto: Banco Mundial

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York. 

Se os atuais níveis de consumo e de poluição da água continuarem, é possível que metade da população mundial enfrente dificuldades para obter o recurso natural em 2030.

O alerta é do Painel Internacional de Pesquisa, ligado ao Programa da ONU para o Meio Ambiente, Pnuma. Vários fatores poderão aumentar de forma dramática a demanda por água: aumento da urbanização e da população, mudança climática e consumo de alimentos.

Custos

Se a tendência atual continuar, a demanda por água será 40% maior daqui a 15 anos. Com isso, o relatório indica que os governos serão forçados a gastar US$ 200 bilhões por ano com o abastecimento de água, sendo que a média histórica alcançada é entre US$ 40 bi a US$ 45 bilhões.

O diretor-executivo do Pnuma comentou os dados divulgados esta segunda-feira e lembrou que o “acesso à água limpa é a base do desenvolvimento sustentável”.

Segundo Achim Steiner, quando as pessoas mais pobres não têm acesso à água potável, elas acabam gastando boa parte da renda comprando água ou passam muito tempo transportando o bem natural.

África

O Painel Internacional de Pesquisa do Pnuma é um grupo formado por 27 cientistas renomados, 33 governos nacionais e outros grupos. Os pesquisadores revelam que na África Subsaariana, a demanda por água pode aumentar 283% em 2030, se for feita a comparação com os níveis de 2005.

O estudo mostra ser possível separar o uso de água do crescimento econômico. Na Austrália, por exemplo, o consumo de água caiu 40% entre 2001 e 2009, enquanto a economia cresceu 30%.

O relatório traz uma lista de fatores que irão levar ao aumento da demanda por água. O setor agrícola, por exemplo, é responsável por 70% da retirada de água fresca. Com o aumento da população, aumentará a demanda por comida e consequentemente, a pressão sobre o recurso natural.

Mas na Índia, é possível reduzir a lacuna entre estoque de água e demanda em até 80%, se forem utilizadas técnicas específicas na produção agrícola, como o uso de fertilizantes orgânicos.

Possível Economia

Na África do Sul, a lacuna entre estoque e demanda é de 2,9 bilhões de metros cúbicos. Se o país melhorar a produtividade da água, será possível economizar US$ 150 milhões por ano até 2030.

Nos centros urbanos, será possível economizar entre 100 bilhões a 120 bilhões de metros cúbicos de água se forem reduzidos os vazamentos em residências e prédios públicos ou comerciais.

Os especialistas observam que os governos investem de forma pesada em mega projetos como canais, aquedutos, reservatórios de água e sistemas de encanamento. Para o painel, na maioria das vezes essas soluções são ineficazes e muitas não são amigas do ambiente.

A recomendação vai para a criação de planos de manejo de água que levem em conta a fonte, a distribuição do recurso, o uso econômico, o tratamento, a reciclagem, o reuso da água e seu retorno para o meio ambiente.

 

    1 comentário

1 comentário

  1. ANCA

    24 de Março de 2016 as 10:01

    Este artigo é de importância extrema.

    Existe um ditado que diz a água é vida.

    Bem mais precioso da humanidade, a par do ar que respiramos.

    Recurso esgotável, exemplos no seio da nosso Território/População, rios que em tempos escorriam hoje secaram, já não existem, outros que os caudais reduziram drasticamente.

    -Apesar de alguns investimentos, no nosso território/população/Administração, para acesso das populações para algumas localidades a esse bem precioso, existem locais que as populações ainda têm que percorrer Kms, para obtenção desse bem através de bidões latas.

    -Outra questão prende-se com a qualidade da água para o consumo.

    A questão de agua para produção agrícola, para produção de energia, produção industrial.

    As nossas Instituições Públicas/Privadas, bem como a sociedade organizada, os nossos cidadãos, ainda temos um longo caminho pela frente, no que toca a gestão, conservação, tratamento, desperdícios, renovação, ambiente, etc, etc,…sensibilização, educação, formação para desenvolvimento sustentável, gerações presentes futuras, à nível social, cultural, ambiental, desportivo, água, energético, político, económico e financeiro do Território/População, Administração.

    Uma das consequências do que se relata neste artigo no presente e no futura, será certamente a luta, a procura de água, pelas populações, como sabemos a temperatura do planeta está a aumentar de ano para ano, o nível do mar está a subir, existem alterações climáticas, mais algumas sociedade ainda nada despertaram para está realidade.

    A falta de água, fará com que haja secas, fome, pobreza, emigração de grandes números de populações, guerras.

    Hoje o bem é o bem económico combustíveis fósseis, petróleo no futuro será o bem que sustenta a vida no planeta. A água e o futuro começa hoje.

    Se se queres ver o País(Território/População/Administração) bem

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo