00 239 - 9906263 contact@telanon.info

Get Adobe Flash player

Cancro em África é um problema mais das mulheres, diz chefe da Aiea

PARCERIA – Téla Nón / Rádio ONU

Yukiya Amano explica que combate ao cancro de mama e cervical é parte importante do trabalho da agência no continente; o director considera “uma tragédia humana” milhões de pacientes morrerem apesar de haver tratamento.

Yukiya Amano. Foto: Aiea/D. Calma

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O director-geral da Agência Internacional de Energia Atómica, Aiea, está a alertar para o facto de que “em África, o cancro é mais uma questão das mulheres”. Yukiya Amano fez a declaração em Nairobi, no Quénia, durante a Cimeira Internacional Tóquio sobre Desenvolvimento Africano, Ticad.

O chefe da agência explicou que combater cancro cervical e de mama é parte importante da cooperação da Aiea com os países africanos. Amano falou a várias primeiras-damas africanas numa palestra sobre saúde materna e infantil.

Diagnóstico

Controlar o cancro em países em desenvolvimento é prioridade para a agência. Amano lembrou de “milhões de pacientes nestas nações, que morrem porque não há acesso adequado ao tratamento do cancro”.

Para o chefe da Aiea, trata-se de “uma tragédia humana” e é importante para os líderes mundiais entenderem a escala do problema. A agência tem o Programa de Ação para a Terapia do Cancro, que ajuda os países criar projetos de controlo da doença e fornecer diagnóstico e tratamento adequado, utilizando técnicas de medicina nuclear e radioterapia.

Radioterapia

Na cimeira, Amano explicou ser “crucial garantir a segurança” ao usar essas técnicas e garantir que os pacientes com cancro recebam doses corretas de radiação. A Aiea tem um meio para ajudar os países a garantir que os equipamentos de radioterapia estejam corretamente calibrados.

Segundo Yukiya Amano, países africanos estão a fazer progressos. Foram criados novos centros especializados em cancro. Oncologistas estão a retornar para casa após treinamento intensivo em outras partes do mundo.

Financiamento

Mas as necessidades ainda são muitas. Nem todos os bancos de desenvolvimento e organizações que podem fornecer financiamento estão cientes da seriedade do problema do cancro em África.

Durante a Cimeira sobre Desenvolvimento Africano, encerrada no domingo, o Banco Mundial e o Fundo Global de Combate à Sida, Tuberculose e Malária se comprometerem em investir US$ 24 mil milhões nos próximos cinco anos. O dinheiro será utilizado para melhorias no sector de saúde do continente.

Leia e Oiça:

Entrevista: sobrepreso, obesidade e câncer

Pesquisa revela que sobrepeso pode estar ligado a outros tipos de câncer

Cada vez mais pacientes precisam do auxílio da medicina nuclear 

 

Notícias relacionadas

  1. img
    ANCA Responder

    Estas e outras problemáticas sobre a situação das mulheres e Crianças, em África, em São Tomé e Príncipe, deve merecer atenção Institucional, Cooperação Internacional( a que agir neste sentido em vez de somente alertar e apontar o dedo), assim como da sociedade civil organizada, dos cidadãos São-tomenses de São Tomé e Príncipe em particular.

    As diversas Organizações das Mulheres São-tomenses, a organização das mulheres na Diáspora Mém Nón, a organização das mulhedes do partido ADI, as mulhres do partido MLSTP/PSD, a OMSTP, do PCD, do MDFM, bem como a sociedade civil organizada, devemos discutir, debater, propor melhorias, na lei, criando novos hábitos mudanças na sociedade, nomeadamente, actos de responsabilização dos membros que compõem a instituição Família, famílias estas que compõem o Estado dos cidadãos de São Tomé e do Príncipe.

    Existem problemas; desvantagens, atraso social, cultural, medicinal, técnico, no saber e saber fazer, nos conhecimentos e boas praticas…

    Nos cuidados materno infantis, de maternidade, de aleitamento,a questão da boa alimentação, falta de higiene, a questão do cancro do útero, do cancro da mama, gravidez precoce, violência domestica, emprego, diferenças salarial, discriminação masculina discriminação no acesso a cargos de execução, direcção, nos ministerial, na assembleia da república, nos partidos políticos, na formas de tratamento social, cultural, no acesso a escolaridade e educação, partilha de responsabilidade nos cuidados educação formação dos filhos, violação, estupro, a questão das deficiência motoras e físicas nas mulheres o seu condicionalismos.

    Problemática da Classe Populacional Crianças e Jovens

    Aleitamento Materno, Falta de Peso, Maus Tratos Infantis, violação infantil, suas consequências, no desenvolvimento cognitivo, social, cultural.

    Trabalho Infantil(vendas nas ruas, nos mercados, em vez de estarem na escola), Consumo de álcool e drogas nas Crianças e Jovens, falta de emprego e ocupação jovem, desistência escolar nas classes femininas crianças, adolescentes(“quatorzinhas”), devido a gravidez precoce ou violação infantil, casamentos infantil, falta de informação sobre planeamento familiar reprodutivo, sobre transmissão de doenças sexualmente transmissíveis(DST´s/SIDA)na sociedade, nas escolas suas consequenciais sociais culturais.

    Falta de acesso, falta de saber utilização de das novas tecnologias de informação.

    Meios de Integração no mercado de trabalho, que se quer pretende diversificado, de modo a permitir acesso a criação de empregos, empresas, empreendedorismos, logo criação de posto de trabalhos, rendimentos, produção.

    Criminalidade Infantil/Jovem, etc, etc,…

    É tempo de dar-mos as mãos debater, agir ajudar debelar minimizar, os danos sociais culturais, nestas classes populacional, se se queremos alterar o rumo social cultural de degradação inversãos de valores de bem de paz.

    Se se queres ver o País Território/População/Administração Bem

    Acredita juntos somos mais fortes

    Juntos somos capaz, por um São Tomé e Príncipe melhor

    Acredita em ti

    És capaz

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

Deixe um comentario

*