00 239 - 9906263 contact@telanon.info

Get Adobe Flash player

Investimento estrangeiro direto deve cair entre 10% e 15% este ano

PARCERIA – Téla Nón / Rádio ONU

Estimativa é da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento, Unctad; cálculos são em comparação a 2015.

Nos últimos anos o fluxo de investimento estrangeiro direto tem sido volátil. Foto: Unctad

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

O fluxos de investimento estrangeiro direto, IED, devem cair para entre US$ 1,5 trilhão e US$ 1,6 trilhão esse ano, uma queda de 10% a 15% em relação a 2015, antes de uma recuperação planejada para 2017 e 2018.

As estimativas estão num documento da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento, Unctad.

Preocupação 

Segundo a agência, o fluxo de investimento estrangeiro direto tem sido volátil nos últimos anos. Analistas alertam que esta incerteza terá aspectos negativos nas cadeias de valor global e de comércio.

Ao mesmo tempo, o chefe da Unctad, Mukhisa Kituyi, afirmou que o caminho para a recuperação dos IEDs parece difícil.

Para Kituyi, esta queda é preocupante porque a economia global precisa “urgentemente” da recuperação dos investimentos.

Ele declarou que a agência prevê uma recuperação dos investimentos estrangeiros diretos em 2017, que chegariam a US$ 1,8 trilhão em 2018, “mas devem permanecer abaixo do pico pré-crise”.

Regiões

O Unctad ressalta diversidades entre regiões. Na África, por exemplo, a entrada de IEDs deve voltar a crescer em 2016 e após profundas quedas nos últimos três anos, os fluxos para economias em transição também devem ter crescimento modesto.

No entanto, nos países em desenvolvimento da Ásia e na América Latina e Caribe, deve haver um declínio nos investimentos estrangeiros diretos.

Em economias desenvolvidas, os IEDs tiveram crescimento acentuado em 2015, mas isto não deve durar este ano.

Leia e Ouça:

Investimento estrangeiro direto para o Brasil caiu 23% no ano passado

Investimento estrangeiro deu salto de 36% em 2015, batendo US$ 1,7 tri

América Latina e Caribe podem descarbonizar economias 

 

Notícias relacionadas

  1. img
    paulo pedro Responder

    Ola a todos.inv, estr direto deve cair,.
    K noticia é essa!k jornalismo?!ied caiu em k país?k zona?ceu,terra,mar
    Pf sejam profissionais..coloquem titulos ilucidativos.um obgd

  2. img
    Preto Responder

    Senhores do “Telanon” evitem dar noticias de economia, já que não entendem nada do assunto. Boa tarde!

Deixe um comentario

*