Nigéria: maior crise humanitária de África precisa de US$ 1 mil milhão

PARCERIA – Téla Nón / Rádio ONU

Áreas mais afetadas são territórios antes controlados pelas milícias Boko Haram; novo plano quer apoiar cerca de 7 milhões de pessoas no país; conflito e dispositivos improvisados não detonados limitam produção.

Foto: Acnur/Ibrahim Abdo

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

As Nações Unidas precisam de US$ 1 mil milhão de doadores para abordar as necessidades humanitárias da Nigéria em 2017.

A maior crise humanitária do continente africano afeta os estados nordestinos de Borno, Yobe e Adamawa. São as áreas mais afetadas pela ofensiva do exército que recuperou territórios assolados pelas milícias Boko Haram.

Plano

De acordo com a ONU, a dimensão do sofrimento humano tornou-se mais evidente e agências humanitárias ampliaram a resposta nesses locais.

O coordenador humanitário adjunto das Nações Unidas na Nigéria, Peter Lundberg, revelou um Plano de Resposta Humanitária para responder às necessidades de quase 7 milhões de pessoas.

Os problemas mais urgentes são nutrição, alimentação, moradia, saúde, educação, proteção e necessidades de água e saneamento da população considerada “muito vulnerável”.

Explosivos

Há um risco de 5,1 milhões de pessoas enfrentarem a grave falta de alimentos porque os riscos do conflito e dos dispositivos improvisados não detonados impedem os agricultores de plantar pelo terceiro ano consecutivo.

As Nações Unidas destacam que essa é uma das causas da grave crise alimentar.

Compromisso

Em nome do governo nigeriano, a ministra de Estado, Orçamento e Planeamento, Zainab Ahmed, disse que as autoridades demonstraram vontade e disposição de um compromisso forte no trabalho com a comunidade humanitária.
Entretanto, Lundberg pediu aos países “que a narrativa da crise nigeriana não seja ignorada” ao pedir ajudar para evitar a morte de milhares de civis inocentes no próximo ano.

*Apresentação: Michelle Alves de Lima.

 

Notícias relacionadas

Deixe um comentario

*