China e Rússia vetam resolução para cessar-fogo em Alepo

PARCERIA – Téla Nón /Rádio ONU

Texto do Conselho de Segurança exigia pausa nos ataques que ocorrem na cidade síria, para que fosse possível a entrada de ajuda humanitária; outro pedido era pelo fim de colaborações de partes com o movimento terrorista islâmico Isil.

Conselho de Segurança vota em resolução sobre a Síria. Foto: ONU/Rick Bajornas

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

A China e a Rússia vetaram uma resolução do Conselho de Segurança que exigia um cessar-fogo de sete dias na cidade de Alepo, na Síria.

Dois países com assentos rotativos no Conselho, Venezuela votou contra a proposta e Angola se absteve da consulta, ocorrida na tarde desta segunda-feira em Nova York.

Ajuda humanitária

O Conselho de Segurança é formado por 15 países-membros, mas cinco têm o poder de veto: China, Estados Unidos, França, Reino Unido e Rússia.

O texto pedia que dentro de 24 horas, os lados em conflito fizessem uma pausa em todos os ataques e deixassem de utilizar qualquer tipo de arma, incluindo foguetes, morteiros e tanques de guerra.

A ideia era que com o cessar-fogo, a ajuda humanitária pudesse entrar em Alepo, algo que o Conselho destaca ser necessário acontecer com urgência.

Terroristas

A resolução do Conselho de Segurança também fazia uma outra outra exigência: que todos os lados envolvidos no conflito sírio encerrassem suas colaborações com grupos terroristas como o Isil e a Frente Al-Nusra.

O boletim divulgado esta segunda-feira pelo Escritório da ONU para Coordenação de Assuntos Humanitários, Ocha, destaca que a violência continua em Alepo e somente na zona leste, 31,5 mil pessoas fugiram de suas casas e agora estão desalojadas em outras áreas da cidade.

Leia e Ouça:

Acnur lança novas orientações sobre civis que fogem de guerras

Cerca de 400 mil pessoas deslocadas em Alepo precisam de abrigo urgente

Ataques se intensificam em Alepo, e em toda a Síria 700 mil estão sob cerco 

 

Notícias relacionadas

Deixe um comentario

*