Cabo Verde e ONU adotam novo plano para acelerar avanços em 2017

 

Ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades elogia trabalho de António Guterres; coordenadora residente da ONU  fala de áreas de apoio aos mais desfavorecidos no arquipélago.

 

ONU ajuda atividades para favorecer o bem-estar dos cabo-verdianos. Foto: ONU Cabo Verde.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

Cabo Verde e as Nações Unidas reafirmaram a aposta de continuar com ações para combater a pobreza no arquipélago.

Falando da Cidade da Praia para a ONU News, o ministro cabo-verdiano dos Negócios Estrangeiros e Comunidades, Luís Filipe Tavares, considerou o modelo de cooperação “muito importante” para o sucesso de metas globais.

 

Prioridades

O governante mencionou como exemplo mais recente o mecanismo conjunto adotado pelas as duas partes para garantir que o arquipélago responda às suas prioridades em 2017.

“Nós acabamos de assinar um documento muito importante, o Undaf para 2017, Undaf esse vem na sequência do anterior, de 2012 e 2016, no valor de mais de US$ 90 milhões. O que nós acabamos de assinar hoje é de US$ 16,6 milhões.Queria aproveitar esta oportunidade que estou a falar com o sistema das Nações Unidas para agradecer ao secretário-geral e a toda a sua equipa pelo extraordinário trabalho que têm vindo a fazer em Cabo Verde.”

Uma parte das ações da nova parceria assinada este mês pelas duas partes vem destacada no Plano de Trabalho Anual ONE UN.

População

A coordenadora residente da ONU no país, Ulrika Richardson, explicou como a organização tem priorizado atividades das autoridades para favorecer o bem-estar dos cabo-verdianos.

“Reforçar políticas para um desenvolvimento mais inclusivo. Quer dizer que estamos a trabalhar com políticas de igualdade inclusiva, acesso à saúde de qualidade, nutrição de qualidade, igualdade de género e proteção de crianças. Estamos a trabalhar em prol de um ambiente e segurança mais saudáveis para a população, como o ambiente urbano por exemplo.”

A representante disse não haver um grande número de pessoas que vivem na pobreza extrema no arquipélago, mas que ainda assim é preciso apoiar a “pequena margem da população” mais desfavorecida.

Os próximos passos são criar uma estratégia e um plano de cooperação para promover avanços no arquipélago, de acordo com a Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável.

*Com reportagem da ONU Cabo Verde.

Notícias relacionadas: 

Entrevista: A plataforma online que atualiza sobre género de Cabo Verde

ONU apoia brochura com dados sobre população feminina em Cabo Verde

Nova ferramenta online avalia situação da igualdade de género em Cabo Verde

 

Notícias relacionadas

  1. img
    ANCA Responder

    Muito bem

    Este é um bom caminho, estando ciente de que muito, há a fazer,…

    A formação, qualificação de excelência, a informação, colaboração internacional, nesta matéria, área, domínio, com países sociedades mais avançados, é fulcral, é de extrema importância.

    A lembrar a questão de investimentos apetrechamento, e condições necessárias, a exercícios de investigação, pelas forças de segurança e investigação, civil, cibernética, desde infraestrutura, tecnologias, meios, organização e procedimentos, salvaguarda, dos deveres direitos patrimônios e garantias dos cidadanias, bem como do Estado, seus recursos, patrimônios, segurança do Território/População/Administração.

    Acreditar que é possível avançarmos, com dedicação, organização, procedimentos,a colaboração e trabalho muito trabalho.

    Se se queres ver o teu País(Território/População), a desenvolver

    Acredita há que ter conjugar vontade, trabalhar

    Acredita em ti, és capaz

    Juntos conseguimos, juntos somos mais fortes

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

Deixe um comentario

*