Agência da ONU analisa potencial chinês no turismo em África

Capital da Etiópia abrigou reunião com 21 ministros africanos do sector; Organização Mundial do Turismo acredita que continente será uma das principais escolhas de viagens no futuro; China colabora com orientações.

Estrada de Swakopmund, na Namíbia, em direção ao Parque Nacional da Costa dos Esqueletos. Foto: Banco Mundial/John Hogg

Leda Letra, da ONU News em Nova Iorque.*

A capital da Etiópia, Adis Abeba, abrigou recentemente o encontro da Comissão para África da Organização Mundial do Turismo, OMT. A agência da ONU explica que os representantes debateram o potencial do sector para o continente.

Participaram 21 ministros do Turismo de países africanos e um dos principais pontos de discussão foi como a China pode ajudar África neste sentido. O vice-presidente da Administração Nacional do Turismo da China, Hongato Wei, também esteve presente na cimeira.

Investimentos e orientações

A OMT explica que a China tornou-se o principal investidor no continente africano, a contribuir com o desenvolvimento da infraestrutura e a ajudar a remodelar o cenário económico.

Na reunião, discutiu-se como o mercado chinês pode também fornecer orientações para políticas e estratégias do sector de turismo africano.

Futuro

O secretário-geral da agência da ONU, Taleb Rifai, declarou que “África foi a primeira fonte de mercado da história”. O chefe da OMT acredita que África “é o futuro e a Etiópia é a alma e o coração do continente”.

Já o ministro da Boa Governança da Etiópia, Muktar Kedir, espera que seu país “torne-se uma das primeiras escolhas dos turistas num futuro próximo, a desfrutar com segurança de sua estadia numa terra quase inexplorada”.

Apresentação: Denise Costa.

 

Notícias relacionadas

  1. img
    Brasileiro Responder

    Realmente parece que a China está cada dia mais presente no continente africano.

Deixe um comentario

*