Na China, Guterres fala em “revitalizar cooperação para o bem comum”

PARCERIA – Téla Nón /Rádio ONU

Secretário-geral da ONU participou da abertura de fórum internacional de cooperação na capital chinesa, Pequim; para ele é crucial fortalecer ligações entre iniciativa da Nova Rota da Seda e Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Secretário-geral da ONU, António Guterres, na abertura de fórum sobre cooperação internacional em Pequim. Foto: ONU/ Zhao Yun.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, está em Pequim, na China onde participa de um fórum sobre cooperação internacional. Na aberta do encontro, ao lado do presidente Xi Jinping, Guterres defendeu que o país é um “pilar central do multilateralismo”.

Para o chefe das Nações Unidas, o mundo enfrenta atualmente “desafios sem precedentes e oportunidades únicas” com o potencial para futuros muito diferentes.

Avanços e desigualdades

Ele destacou que nas últimas décadas o mundo teve grandes avanços em desenvolvimento humano, lembrando que a proporção de pessoas vivendo na extrema pobreza caiu pela metade.

Guterres citou ainda avanço em áreas como acesso à água, educação e saúde. No entanto, ele lembrou que milhões de pessoas foram esquecidas.

O secretário-geral ressaltou que desigualdades dentro dos países e entre nações estão causando tensões sociais e às vezes conflitos. Ele alertou ainda para a degradação “em ritmo alarmante” dos ecossistemas do planeta e afirmou que a mudança climática tornou-se um “grave perigo”.

Desafio e cooperação

Segundo o chefe da ONU, a “incapacidade de resolver antigos conflitos e evitar novos causou sofrimento imenso”, afirmando que terrorismo e fragilidade estão em alta.

Ao mesmo tempo, ele afirmou que a confiança em governos, na globalização e em valores comuns está em queda.

Para o secretário-geral, o desafio é “revitalizar a cooperação para o bem comum e construir vidas de paz e dignidade para todos”.

Estratégias

Guterres declarou que pela primeira vez na história, “o mundo tem a sua disposição recursos suficientes e tecnologia avançada para acabar com a extrema pobreza, reduzir desigualdades e colocar o planeta em uma trajetória sustentável”.

Ele também defendeu que há “novas estratégias inspiradoras”, acordadas por todos há dois anos: a Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável, o Acordo de Paris sobre mudança climática e a Agenda de Ação de Adis Abeba sobre financiamento para o desenvolvimento.

Para o chefe da ONU, transformar esses planos em realidade exige ação, investimento e liderança.

Desenvolvimento Sustentável

Neste contexto, o secretário-geral acredita que a iniciativa da Nova Rota da Seda tem “grande potencial”. Presente na Ásia, Europa e África, o projeto tem, segundo o secretário-geral, longo alcance em “geografia e ambição”.

Guterres declarou ainda ser crucial fortalecer as ligações entre a iniciativa da Nova Rota da Seda com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Ele lembrou que são esperados grandes investimentos em infraestrura no projeto e defendeu que esse momento seja usado para ajudar países a fazerem a transição para energia limpa.

O chefe da ONU defendeu ainda que a liderança chinesa na questão da mudança climática continuará sendo essencial.

Notícias Relacionadas:

ONU quer mais US$ 900 milhões para ajudar 6 milhões na Somália 

Unesco: mundo precisa do “poder suave” da educação, cultura e ciência 

Agência da ONU analisa potencial chinês no turismo em África

Notícias relacionadas

Deixe um comentario

*