Líderes da economia dos EUA dizem que permanecem dentro do Acordo de Paris

A Declaração do Clima representa 120 milhões de norteamericanos US$ 6,2 trilhões da economia dos EUA

Mais de 1.200 governadores, prefeitos, empresários, investidores, faculdades e universidades de todo os Estados  Unidos ou com operações significativas naquele pais, declararam seu objetivo de continuar assegurando a posição de liderança dos EUA na redução de emissões de carbono.  Esta é a mais ampla coalizão transversal da economia norteamericana unida em busca da ação climática.

Entre os signatários da Declaração do Clima estão líderes de 125 cidades, 9 estados, 902 empresas e investidores e 183 faculdades e universidades. As cidades e os estados participantes representam 120 milhões de americanos e contribuem com US$ 6,2 trilhões para a economia dos EUA, incluindo Califórnia e Oregon, cidades como Nova York, Los Angeles e Houston, bem como cidades menores como Pittsburgh, Pensilvânia e Dubuque, Iowa. Uma mistura de universidades privadas, escolas estaduais e faculdades comunitárias, pequenas e grandes, juntou-se à iniciativa. No total, as empresas signatárias e os investidores representam uma receita anual total de US $ 1,4 trilhão e incluem várias empresas da Fortune 500, como Apple, eBay, Gap Inc., Google, Intel, Microsoft e Nike, além de centenas de pequenas empresas.

Juntos, esses líderes estão enviando um sinal claro à comunidade internacional e às outras 194 partes do Acordo de Paris sobre a continuidade do compromisso dos EUA com a ação ambiciosa sobre as mudanças climáticas, ausente da liderança no nível federal daquele país. Juntos, os signatários estão alcançando reduções de emissões concretas que ajudarão a cumprir a promessa de corte nas emissões feita no Acordo de Paris.

A declaração classifica “O anúncio da administração do Trump [como um que] mina um pilar chave na luta contra a mudança climática [e está] fora de compasso com o que está acontecendo nos Estados Unidos”. Os signatários entendem que o Acordo de Paris é um modelo para criação de emprego, estabilidade e prosperidade global e que acelerar a transição da energia limpa dos Estados Unidos é uma oportunidade – não uma responsabilidade – para criar empregos, estimular a inovação, promover o comércio e garantir a competitividade americana. Ao declarar que “ainda estamos dentro”, os signatários estão colocando os melhores interesses de seus constituintes, clientes, estudantes e comunidades em primeiro lugar, assegurando ao resto do mundo que a liderança americana sobre mudanças climáticas se estende muito além do governo federal.

Desde o anúncio do presidente Trump de se retirar do Acordo de Paris, 211 prefeitos adotaram os objetivos do Acordo de Paris para suas cidades, 13 governadores formaram a Aliança bipartidária dos EUA e 17 governadores divulgaram declarações individuaisapoiando o Acordo de Paris. A declaração de hoje abrange esse movimento em rápido crescimento dos líderes subnacionais e da sociedade civil, anunciando não só que esses líderes estão avançando, mas que estão avançando juntos.

Para ver a declaração completa, aspas e a lista de signatários, visite: www.WeAreStillIn.org.

Um briefing para imprensa será realizado às 11h da manhã (ET-Eastern Time) de 6/6 para discutir a iniciativa We Are Still In e incluirá uma seção de perguntas e respostas. É possível participar on-line ou por telefone: + 1-408-638-0968, Webinar ID: 651-170-500.

https://medium.com/wearestillin

Fonte : UNFCCC

 

 

Notícias relacionadas

  1. img
    Ralph Responder

    Isto mostra que a situação já se virou, com o sentimento de que a maioria de gente está agora a favor de ação significativa contra as mudanças climáticas, reconhecendo que as energias renováveis são o futuro. Nada que aquele palhaço Trump decida fazer vai fazer muita diferença.

Deixe um comentario

*