“A nossa atitude em relação ao trabalho tem que mudar”

Publicado em 20 Dez 2008
Comentários; fechado

Advertrafael.jpgência do Primeiro Ministro Rafael Branco, quando questionado sobre as medidas que o seu governo deverá tomar para reduzir o alto custo de vida na ilha do Príncipe, onde por causa da descontinuidade geográfica, o preço dos produtos alimentares chegam a ser quádruplo dos praticados em São Tomé.O primeiro Ministro confessou ao Téla Nón, que o orçamento geral do estado para 2009, não apresenta soluções imediatas para o elevado custo de vida na ilha do Príncipe. Se em São Tomé os preços são insuportáveis naquela parte do território nacional a situação é mais complicada. «Como sabe o alto custo tem a ver com o custo de transporte. Creio que para o ano com as unidades que já existem no país e com as unidades (transporte marítimo) que o governo vai adquirir melhoraremos as condições de transporte para a região autónoma do Príncipe», declarou o chefe do Governo.

Rafael Branco aposta no programa de segurança alimentar do seu governo, como sendo a única saída para o problema. Segundo o Primeiro-ministro as acções de apoio a produção agrícola, vão contribuir para a manutenção do stock de produtos alimentares e os preços actualmente praticados vão baixar. «Estamos convencidos que ao longo de 2009 o resultado das políticas que elegemos vai começar a dar os seus frutos, para o bem da nossa população e se nós trabalharmos mais», pontuou.

No entanto a atitude de cada cidadão em relação ao trabalho é que tem que mudar. «Isso não é um processo automático. A nossa atitude em relação ao trabalho tem de mudar. Temos de trabalhar mais e aumentar a produtividade do nosso trabalho. Só assim é que nós conseguiremos. Porque não serão só com os fundos e políticas somente, que nós conseguiremos», enfatizou.

O chefe do Governo pede mais trabalho no sector fundamental para produção de alimentos e de riqueza, a agricultura.

Abel Veiga