Economia

Porto de Taichung um motor de desenvolvimento de Taiwan que pode ser exemplo para o futuro Porto de Águas Profundas de Fernão Dias em São Tomé

porto-de-taichung-1.jpgNa terceira maior cidade de Taiwan-Taichung, o Téla Nón e uma equipa de jornalistas são-tomenses, inteirou-se do potencial de uma infra-estrutura portuária de prestação de serviço regional, para o desenvolvimento de um país. O porto com 15 quilómetros de comprimento e 5 de largura, funciona como uma placa giratória de prestação de serviço para os países da região asiática. O futuro porto de Fernão Dias também pretende ser placa de prestação de serviço para a sub-região do golfo da Guiné.

O porto de Taichung, o segundo mais movimentado de Taiwan, depois do de Kaochung, pode ser comparado a um enorme tabuleiro de contentores. A maior parte das operações de carga e descarga de mercadorias é feita pelos armadores da sub-região asiática. Correias do Sul, Japão Indonésia, Filipinas, etc, fazem parte de países que utilizam o porto de Taichung para o transbordo de contentores.

porto-de-taichung.jpgA posição estratégica da ilha formosa no chamado estreito de Taiwan, é uma valência que acabou por ser economicamente bem aproveitada. O estreito de Taiwan funciona como um corredor de passagem de navios mercantis entre os países do sudeste asiático e as potências económicas que nasceram na região, os chamados Tigres Asiáticos, nomeadamente o Japão, a Correia do Sul, o próprio Taiwan e a gigante China Popular.

São Tomé e Príncipe, também ocupa posição estratégica na região do Golfo da Guiné. Centenas de navios atravessam o mar territorial do país no transporte de mercadorias, desde petróleo, peixe etc entre a sub-região do golfo e o mundo. Uma posição que pode galvanizar o desenvolvimento nacional, como de forma inteligente os taiwaneses souberam aproveitar.

Com três portos de águas profundas, Taiwan é uma verdadeira placa giratória de prestação de serviço no estreito que liga os países da região asiática e o mundo. O porto de Taichung empresa cerca de 1000 pessoas. O volume de negócios é enorme, e contribui de forma determinada para o desenvolvimento do país e sobretudo da cidade de Taichung com mais de 1 milhão de habitantes.

Para além do transbordo de cargas, o porto está vocacionado também para o transporte marítimo de passageiros. Segundo um dos técnicos do porto nos últimos anos, a infra-estrutura transformou-se na principal porta de entrada marítima de turistas da República da Popular da China. A melhoria das relações entre a China Popular e Taiwan, está a desanuviar o estreito de Taiwan, permitindo o crescimento da actividade económica entre os dois países.

contentores.jpgDados divulgados pelas autoridades Taiwanesas indicam que 1 milhão de cidadãos da ilha formosa emigraram para a China Popular nos últimos anos, a maior parte investidores, que exploram vários negócios na china continental. A mão-de-obra barata na China Popular estimula os investidores taiwaneses, explicou um dos agentes do porto de Taichung. Consequentemente as trocas comerciais entre os dois países, começa a aumentar.

Numa altura em São Tomé e Príncipe, perspectiva a construção de um porto de águas profundas em Fernão Dias, o exemplo do porto de Taichung em Taiwan, indicia que o incremento das trocas comerciais a nível da sub-região do golfo da Guiné, é fundamental para promover o crescimento económico do arquipélago africano. Aliás o Governo já disse que pretende transformar o país numa placa giratória de prestação de serviços, coisa que não poderá acontecer sem a aderência também dos países da região, sobretudo os que economicamente têm crescido bastante nos últimos anos, como a Guiné Equatorial, Angola, ou Nigéria.

Abel Veiga

Recentemente

Topo