Economia

São Tomé e Príncipe aguarda ansioso por notícias do primeiro leilão de petróleo da ZEE

O governo ainda não sabe o resultado do leilão dos 7 blocos de petróleo, lançados no mercado internacional desde Março passado. O concurso público aberto em Londres terminou esta segunda feira.

O Primeiro-ministro considera que é preciso mais algum tempo para ter notícias seguras sobre o resultado do leilão dos 7 blocos de petróleo colocados no mercado internacional. Na primeira semana de Março o governo são-tomense abriu pela primeira vez o leilão de blocos de petróleo da sua zona económica exclusiva (ZEE).

O concurso público aberto em Londres, pelas mãos do anterior governo de Rafael Branco, deveria encerrar em Setembro último. O novo governo de Patrice Trovoada nascido em Agosto, decidiu prorrogar o prazo para 15 de Novembro. Exactamente esta segunda feira, o último dia do leilão, o chefe do governo Patrice Trovoada não estava ainda em condições de se pronunciar sobre o resultado do concurso público. «Hoje, encerra-se a recolha da documentação. O governo avisará quando é que serão abertas as propostas», declarou o Primeiro-ministro.

Patrice Trovoada reconheceu que as companhias petrolíferas reagiram, tendo apresentado propostas para os blocos leiloados, mas disse que não está em condições de quantifica-las.

No entanto o Chefe do Governo acredita que o resultado da venda dos 7 blocos de petróleo pode ajudar a financiar o Orçamento Geral do Estado para 2011. «É evidente que as empresas fazem propostas em que o lado financeiro faz a diferença. Mas nós queremos nos agarrar em números reais, concretos», sublinhou.

São Tomé e Príncipe aguarda ansioso pelo resultado do leilão dos 7 blocos de petróleo da zona económica exclusiva.

Abel Veiga

    7 comentários

7 comentários

  1. Alberto Nascimento

    17 de Novembro de 2010 as 13:56

    Mais dinheiro para desaparecer que nem magia!

    bummmmmmmmm

  2. Maria leva leva

    17 de Novembro de 2010 as 15:32

    Minha gente cria um fundo de petróleo, que só era autorizado a ser usado pela Assembleia Nacional com consenso de todos partidos com assento parlamentar em situação estritamente necessária. Deixa de fazer palha fato com esse dinheiro.
    Até porque a exploração de petróleo tem consequência no futuro para o meio ambiente, e será a gerações vindouras que terá que acarretar com essas consequência.
    Pensem nisso obrigado.

  3. Santolas

    17 de Novembro de 2010 as 17:37

    Sera que havera transperência? Pelo menos até agora este Governo tem dado conta de recado? Vamos a haver quanto tempo dura?

    • KUA MUNTU

      18 de Novembro de 2010 as 15:44

      Quando a namorada e nova fazemos de todo para a conquistar ou vice versa…xi bo mece aua eca ba buka machi clalo da bo…depois de 6 meses quando pede agua ela diz :vai la tu.

  4. Ernestino

    20 de Novembro de 2010 as 15:08

    Espero que o dinheiro do petróleo seja para uso de interesse do povo Santomense,podendo assim aumentar a reforma, criar um fundo que serve do meio de subrevivência para os Santomenses que não têm emprego ou pessos idosas que não podem trabalhar e não têm reforma, o que permite a maior poderde compra dos Cidadão e desenvolvimento económico finaceiro do País.

  5. Edson

    21 de Novembro de 2010 as 19:16

    E a història continua!!!

  6. morena alves

    22 de Novembro de 2010 as 13:29

    Nem me vou pronunciar, porque já estou vendo o fim do filme!
    Mas de qualquer forma, seria bom criarem mecanismos de controle ….!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo