Economia

Banco Central prevê crescimento económico acima de 5% em 2011

No balanço do ano económico, o Governador do Banco Central, Luís de Sousa(na foto), anunciou que a economia são-tomense cresceu acima de 4,5% em 2010, valor superior aos 4% registados em 2009. A inflação baixou bastante em consequência do acordo de paridade cambial, assinado entre São Tomé e Príncipe e Portugal, que permitiu indexar a moeda nacional, ao Euro. A inflação em 2010, fixou-se abaixo dos 13%, garantiu o governador do Banco Central. Para 2011 as perspectivas são óptimas, assegura Luís de Sousa. Apesar da conjuntura económica internacional desfavorável, o Banco Central, acredita que a economia nacional vai crescer acima dos 5% em 2011 e que a inflação vai oscilar entre os 7 e 8%.

    30 comentários

30 comentários

  1. Osama bin Laden

    29 de Dezembro de 2010 as 14:29

    O senhor governador deve estar a brincar com minha e a inteligência de muitos cidadão de STP.
    Como que A ECONOMIA vai crescer se não produzimos quase nada, se importamos mais do que as exportamos, se a receita fiscal ficou abaixo daquilo que foi previsto, Se taxa de desemprego é alta.
    Por favor publique um relatório como deve ser, com todas as variáveis macroeconómica para serem analisadas por outros utentes que não o banco central.
    Eu aposto que esses dados estão manipulados.

    • SN-FS

      31 de Dezembro de 2010 as 13:27

      Real este senhor está brincar com pouca escolaridade que a maioria dos santomenses demonstra….economia a crescer…poupa-me senhor governador …estes dados estão garantidamente manipulados….BOM ANO A TODOS SANTOMENSES

  2. london

    29 de Dezembro de 2010 as 14:36

    Sinceramente,
    Gostaria que este governador do banco,tornasse publico, os dados em que segundo ele e sustentavel o crescimento da nossa economia, porque eu nao consigo compeender, como e que uma economia onde o sector estado, que deve ser o fiscalizador,contribui para sua degradacao, onde praticamente nao existe exportacao de bens e servicos, onde praticamente nao existe investimento, etc…e acima de tudo, qualquer tentativa de injecao de verba ao cofre do estado, quer seja atravez dos negocios de petroleo ou outro, vai sempre para maos de terceiro, e nunca sao recoperado porque o tribunal constitucional e corupto.
    Como e possivel haver crescimento economico, nao nos venha enganar, pois estarias a te enganar a te proprio

    london

  3. jp

    29 de Dezembro de 2010 as 14:54

    Não se percebe com que bases o governador faz tais estimativas ! ou seja o que levará STP a crescer a cima de 5% !!! ainda assim, o ideal seria crescer pelo menos entre 8% a 10% …… Bom Ano Novo

    • Alberto Nascimento

      29 de Dezembro de 2010 as 18:33

      Como? o senhor ‘e doido!

    • Vanox

      29 de Dezembro de 2010 as 20:32

      A economia cresce, por incrível que pareça.

      O problema é o ritmo do crescimento, considerando as necessidades internas do país, em todos os seus aspectos.

      vocês têm que lembrar que estamos a falar de uma economia pequena, de um país que tem um enorme défice da balança de pagamentos (exterior) e um sério problema de sustentabilidade das contas públicas, total ausência de um sector privado na economia, entre outros problemas.

      Por isso, é uma boa notícia.
      Precisamos é melhorar a performance..

      G.L.

  4. Moreno

    29 de Dezembro de 2010 as 15:10

    Nao percebo nada de economia , mas a mim me surpreende o seguinte:existem paises com maior potencial que STP e que em termos de crescimento a economia nao atingiu essa cifra em 2010 se tivermos em conta a crise generalizada que existe.Se assim e um bem haja.

  5. Caixao Grande

    29 de Dezembro de 2010 as 15:28

    Eu nao acredito que a inflacao baixou bastante em consequencia do acordo de paridade cambial como diz o Sr gavernador do banco central.
    Porque embora com este acordo cambial, a nossa moeda continua a ser tao fraca em relacao ao Euro,o que nao estimula a importacao, ou seja, fazendo com que os bens importados do mercado Europeu para STP seja tao carro.
    Portanto, esse acordo, so nos ajudou a mnanter a inflacao numa taxa fixa, acabando assim com aquela flutuacao constante da taxa de cambio.
    STP so estaria em vantagem se houvesse exportacao,mas como o pais depende altamente da importacao seria necessario uma rapida apreciacao da Dobra face a Euro afim de reduzir a inflacao a um livel consideravelmente baixo.

  6. JorgeK

    29 de Dezembro de 2010 as 16:23

    Conversa para fazer boi dormir

  7. Carlos Ceita

    29 de Dezembro de 2010 as 17:31

    Caro jp tens razão não se percebe em quê é que STP esta crescer. Seria bom que governador ou quem o entrevistou fornecer mais informações sobre os indicadores do crescimento económico (Turismo, agricultura, serviços etc).
    Mas se o país estiver a crescer é bom se for capaz de gerar empregos e reduzir a pobreza.
    Abraços e aproveito para desejar a si e a todos compatriotas meus um ano de 2011 melhor que o anterior

  8. realista

    29 de Dezembro de 2010 as 18:30

    a economia ta crescer nos vossos bolsos mais milhares e milhares de cidadao nao sabe o k e ter um jantar dignamente com seus respectivos filhos e por isso vivem na linha de pobreza. por isso chama-se isto mais uma falsa esperanssa maribunda para ze povinho irem-se votar nas presidenciais nos nao querems so esses discurso lindos queremos ver o investimento feito para bem social.

  9. Governador

    29 de Dezembro de 2010 as 18:30

    A paridade cambial não trava a procura da moeda, para manter a tal paridade cambial existe um capital alheio, dinheiro que Portugal disponibilizou para seu funcionamento. O Banco central de S.T.P não faz estudos económetricos, Macroeconomia constante. Sabe-se ainda que existe poucos economistas no banco central do nosso País, a maioria dos tecnicos vivem através da cunha, têm pouco saber da área de económia. Aproveito para lembrar que dados disponíveis para realizar estudos no País têm elevada margem do erro, razão pela qual decredibiliza as informações do referido Governador.

    • london

      30 de Dezembro de 2010 as 10:41

      Meu caro,
      Penso que num pais com pessoas serias, um governador do banco central, sabendo ele que os dados sobre a situacao macroeconomica do pais nao sao as reais, nao vem ao publico dizer barbaridades.
      Por outro lado, falar de crecimento economico de um pais, tem que ser credivel, e basear em dadosb de curto e medio prazo dos indicadores macroeconomico

  10. Fia Luxinga

    29 de Dezembro de 2010 as 19:42

    Desde que este governador entrou, sempre economia te se crescido nos seus discursos, mas na pratica não se nota nada para melhor, a não ser piorar situção da população. Porque que não publiquem todos dados macroeconomicos a fim da sociedade tirar as prova de nove, até parece pau mandado para estar a passar estas frases

  11. OLHOS VIVOS

    29 de Dezembro de 2010 as 19:52

    Uma simples constatação:É assim que inicio o meu comentáriio. Com todo o respeito sr.governador do Banco Central de S.Tomé e Principe,textualmente,gostaria de questionar o seguinte e dizê-lo olhos nos olhos:
    1- V. Excia está a branquiar a verdade no que diz respeito ao indicador que nos vem apresenta ao menos que nos mostre os números através de um gráfico;
    2- Ou seja,com esta domonstração ao meu ver e para um documento de tamanha responsabilidade para a vida de País no que se refere a sua política económica deveria constar no relatório os dados mais credíveis,incluindo todos os indeces e os calculos que levou o BCSTP a prever estes resultados, e, em que contexto micro e macra-económico se baseou para trazer ao público este quadro de crescimento económico para o ano 2011, e qual foi o estudo que o permitiu a chegar a estas conclusões de modo a não induzir em erros qualquer cidadão ignorante na matéria a semelhança daquilo que é práttica corrente em qualquer País normal do mundo.
    3-Eu e tantos outros leitores, internautas deste jornal e os curiosos pretendemos conhecer os números concretos a fim de podermos confrontá-lo,junto de investidores estrangeiros e possíveis empreendedores que desejam fazer coisas sérias com vista a eleboração de projectos sérios com alguma durabilidade em STP, aguardando serenamente mais detalhes e reações de quem de direito.
    4-E mais não digo.!Eu sou Olhos vivos.

  12. jp

    29 de Dezembro de 2010 as 20:44

    Brigado Carlos Ceita é desses comentários lucidos que precisamos … Bom Ano para sí

  13. Batepá

    29 de Dezembro de 2010 as 20:45

    Caros compatriotas

    É natural que haja dúvidas sobre os fundamentos do anunciado nível de crescimento. Concordo plenamente que devem ser fornecidas informações complementares.

    Enquanto não tivermos acesso, faz confusão qualquer comentário outro.

    Importa termos presentes todos os elementos que compõem o PIB.

    FUI

  14. J. Maria Cardoso

    29 de Dezembro de 2010 as 22:19

    O Estado é uma instituição de bem e financeiramente representado pelo Banco Central, como é o nosso caso e aí de nós se o Governador do Banco no balanço do ano viesse chorar o leite derramado, ou seja, viesse trazer a praça pública o descalabro do nosso “império.”
    Pelo contrário, a TV ofereceu-nos o estado da nossa economia “saudável” nas palavras do Governo do Banco Central ladeado das mais altas patentes dessa instituição simpáticas e sorridentes numa demonstração do esforço consentido e da seriedade dos resultados obtidos pelas contas públicas.
    O PIB – Produto Interno Bruto é decisivo nas finanças públicas de qq país e calcula-se na produção anual de uma certa economia, óbvio de um país, portanto a riqueza nele criada, tendo de fora a produção da economia paralela, o auto-consumo das famílias e não só.
    Os estudos mais avalisados da matéria ensinam-nos k o aumento do PIB de um país não é o sinónimo do progresso social. Todavia, serve de referência para medir o défice e a dívida pública (outras conversas para vista longa).
    É evidente e exige dos especialistas uma perna atrás, pk nalgumas circunstâncias mesmo k suba o PIB de um país, a maioria da população caia muito mais no fosso ou não vê aumentada a riqueza na mesma dimensão, devido ao k sucede nos nossos paises com as assimetrias na repartição da “riqueza”, ao k vulgarmente acusamos de desvios de bens públicos em mãos alheias para citar um exemplo.
    Dos nossos cinco PALOPs não esperemos k algum, apesar da crise internacional, nos venha trazer um PIB de saldo negativo.
    Enquanto houver dinheiro a correr na praça pública, carros de alta gama, cidadão de 1ª e de primeiríssima linha, o estado social e produtivo são outras conversas.
    Andamos a busca de boas notícias k possam salvar a nossa auto-estima, graças a Deus, o senhor Governador do Banco Central consola-nos com estes resultados das nossas finanças públicas.
    Há k haver esperança!

  15. visão de domingo

    30 de Dezembro de 2010 as 8:38

    É um discurso de quem está com medo de perder emprego!!Deve-se ser uma encomenda do governo que ele leu.
    a economia deve ser k cresceu, mas no bolso do senhor Governador e senhores de colarinho branco…os senhores falsos doutores.

  16. xaroco

    30 de Dezembro de 2010 as 11:24

    Nesse País tudo é uma farsa,as coisa não feitas nem ditas com verdade,tudo é manipulado em funsão de quem ta la em sima.a frontalidade é uma virtude!london to contigo.so com verdade stp vai avançar

  17. Cubano

    30 de Dezembro de 2010 as 14:25

    O Senhor Governador está no meio de abutres,é jovem e tem visão. As ultimas frases da intervenção,explica tudo da nossa economia. O jovem G.B.C.S.T.P não tem alternativa naquele ambiente.

  18. cuidado com o boxeiro

    30 de Dezembro de 2010 as 19:46

    Crescimento economico de 5% que vai contribuir de forma significativa para a construção de mais mansões e casa de luxo de alguns São-Tomenses. Nos bolsos do Z+e Povinho entrarão 5% de Buzios do mato.

  19. Tentado a ler

    31 de Dezembro de 2010 as 5:52

    Essa Economia esta a crescer e pelos vistos as escuras.

    • Tentado a ler

      31 de Dezembro de 2010 as 6:11

      Do consumo, Investimos e despesas publicas, qual deles deu boost a econo? Certamente que a farra dos “ricos” cobriu a necessidade do misero povo. Ha que ter esperanca que a coisa se inverta.

      • Tentado a ler

        31 de Dezembro de 2010 as 7:46

        investimentos

        • london

          31 de Dezembro de 2010 as 13:30

          Meu caro,

          Alguem caiu de pau, e veio fazer essas declaracoes, nao tem qualquer cabimento.
          Para alem de nenhum indicador economico, mostrar sinais positivo (consumo+investimento+despesa publica), temos tambem um saldo negativo das exportacoes liquidas.
          Portanto, o que me deixa chateado e que esses responsaveis satomenses tem mta cara de pau, brincam conosco porque ate hoje ninguem faz nada.
          saudacoes

  20. justiça

    31 de Dezembro de 2010 as 11:09

    Com todo o respeito pelo governador, também tenho algumas reservas sobre os 4,5% do crescimento económico. Um tanto estranho quando este crescimento considerável verifica-se numa fase de crise financeira mundial, que afectou também a economia real (muitas empresas entram em falência e insolvência), o turismo internacional também foi gravemente afectado. Bós somos um país altamente dependente da economia externa, nomeadamente da zona euro, particularmente Portugal. Muitos paises tomaram medidas de austeridade o que terá um efeito recessivo, medidas estas para acalmarem os mercados financeros internacionais. Por outro lado, o acordo de paridade câmbial, num montante tão elevado (24500), um dos mais altos do nosso historial câmbial, deixa também muitas questões em abertas:
    1) Como é que vamos conseguir competir internacionalmente se temos um preço de moeda tão alto e isso por si só também incentiva importação?
    2)Até que ponto as reservas iriam se manter, sabendo que importamos muito, a taxa de crescimento de crédito em moeda estrangeira deve ser também muito alta?
    3)Como é que crescemos, se li há pouco tempo neste mesmo jornal que houve poucas receitas fiscais?
    4) Como é que podemos crescer 4% se nesta fase de crise os investidores são muito mais cautelosos e pouco aversos ao risco?
    5) Como é que vamos crescer se não há consistência na politica orçamental do estado, e logo isto compromete também a politica cambial e monetária, novo governo assumiu funções a pouco e disse que o estado estava com os cofres vazios?

    A outra questão, talvez mais técnica seria a seguinte?

    1)Quais os modelos e variaveis tomam em conta? Seriam aqueles que se baseiam em preços rigidos (a curto prazo) ou flexíveis (a longo prazo)?
    2)Será que a taxa de câmbio actual é a de equilibrio? Tomaram em conta as expectativas racionais e os erros de previsão. Ok, se sim, por favor apresente publicamente este estudo?
    3) Existe liberdade de circulação de capitais em STP? Se existir, esta liberdade de circulação de capitais poderá a médio e longo prazo “destruir a ancora” cambial.
    4)Qual o target da infalção? será que eles se ajustam as estruturas internas?

    É me um pouco imperceptível este crescimento.

  21. Alberto Nascimento

    31 de Dezembro de 2010 as 21:10

    A Economia primeiro tem de existir para depois crescer!

  22. A verade doi quando nao é aceite!!!!!!!

    1 de Janeiro de 2011 as 16:32

    depois da tanta verdade e de muitos factos que demostram a realidade fico feliz pelos comentarios dos meus caros colegas e amigos ,compatriotas do país ,para diser que neste termo da realidade e nos factos convoco o senhor governador a tirar a sua mascara porque os santomenses ja nao estao nesta onda de sim senhor,estamos na onda de ver pra crér o senhor só deve esta a abosar do povo isto porque este querido povo tao passifico nao demostra sinal de revolta está revolta que nao é só para o senhor mas tambem para todos lioes famintos da sua elíte e ao senhor ver se o senhor acorda e sai e tome um banho com agua fria para dispertar e cair na realidade e tentar sair da onda dos coruptos e procurar um lugar com deus ainda ha tempo nao deixe para amanhar o que pode faser hoje e ao meu povo eu pesso sejan sempre passifico porque se nao ganhamos na terra ganharemos no céu onde é mas importante. porque os que tiveram acto de mafé nesta terra en ela permaneceram só que com a temperatura muito mas elevada deque o abitual.

  23. Carlos Ceita

    3 de Janeiro de 2011 as 11:44

    Caros amigos espero que tenham entrado bem em 2011.
    Vejo muitas contribuições validas para este assunto. Acontece que quando quando intervi apenas estava a registado a opinião do jp. Não sei qual o critério de publicação nem tenho a pretensão de a por em causa mas a verdade é que vemo-nos ultrapassado nos assuntos em debate. Abraços a todos

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo