Economia

Associação dos Economistas de São Tomé e Príncipe promete processar o governo

A associação dos economistas  promete levar o governo são-tomense a justiça, caso as autoridades adjudiquem blocos de petróleo da Zona Económica Exclusiva à petrolíferas, sem que a comissão de fiscalização acompanhe todo o processo.

Todas as grandes empresas que andavam atrás do anterior primeiro-ministro não vieram agora porque elas sabem que não podem ter petróleo, isto porque, todos os contratos que se fizerem enquanto a comissão de fiscalização não existir, não tenham menor dúvida, eu irei processar quem fizer o contrário, não tenha dúvidas disto”, Declarações de Teotónio Torres, Presidente da Mesa da Assembleia, da Associação dos Economistas de São Tomé e Príncipe, proferidas, no termo de uma palestra sobre a segunda carta aberta dirigida ao primeiro-ministro Patrice Trovoada.

Os economistas nacionais, exigem a suspensão do leilão dos blocos de petróleo na zona económica exclusiva. Na carta dirigida ao chefe do executivo são-tomense, a ADESTP esclarece que as 4 petrolíferas que manifestaram interesse na exploração do petróleo do fundo do mar são-tomense, não têm condições técnicas nem financeiras. “Serão puros intermediários que se vão limitar a vender no futuro os seus direitos participativos, o que não deve ser permitido pelo país

Nessa carta que o Téla Nón teve acesso, a associação sugere a todos os dirigentes com cargos políticos do pais sem excepção, para apresentarem aos tribunais a declaração de todos os bens. “Começando pelo Presidente da República da Assembleia Nacional, Primeiro-Ministro Ministros directores etc”, esclarece o documento

É a segunda carta aberta da associação dos economistas nacionais ao primeiro-ministro Patrice Emery Trovoada num espaço de três meses.

A primeira carta foi a que despoletou a polémica sobre o paradeiro do dinheiro de trinta mil barris de petróleo referente ao ano 2009, oferecidos pela Nigéria.

Na altura Ângela Viegas, deputada do MLSTP/PSD disse que o negocio dós 30 mil barris de petróleo era feito na presidência da república.

Fradique de Menezes não gostou e pediu ao Ministério Publico que instaurasse um inquérito com objectivo de apurar responsabilidades criminais.

Ramusel Graça

    17 comentários

17 comentários

  1. madalena

    27 de Janeiro de 2011 as 17:46

    Afinal
    onde pára os 30 mil baris de petroleo
    Onde pára?
    Estamos a brincar com fogo.

  2. Helves Santola

    27 de Janeiro de 2011 as 18:21

    …vamos procurar o rumo certo, meus senhores, vocês têm responsabilidades para com o povo….

  3. Paracetamol 500mg

    27 de Janeiro de 2011 as 19:22

    Quais as entidades que fazem parte da comissão de fiscalização?

  4. Catcibo

    27 de Janeiro de 2011 as 19:36

    È uma pena para o povo de S,Tomé e Príncipe pela qualidade dos nossos dirigentes.Muitos países como Guiné Equatorial e outros nunca perduraram a problemática do petróleo por longos anos como se tem no nosso país! Sabemos que existem muitos truque de bandidagem por detrás do dossier petróleo! famílias e indivíduos preferem bloquear este negócio prejudicando todo um povo. Pergunto eu? Será que o nosso primeiro ministro quando viaja, não leve consigo delegações? Cuidado com muitos negócios do país, porque qualquer dia o país pode estar vendido ou penhorado e o povo inocente é que vai pagar as favas. Por isso é agora que se deve fazer um negócio sério em prol deste povo mártir a 36 anos! Haja lufada de ar para que respirem um pouco enchendo e esvaziando o peito de ar!

  5. N.C

    27 de Janeiro de 2011 as 20:50

    O petroleo ainda nao e realidade no pais ja ha essa confusao toda.Uns por obsecao,outros por ganancias e outros por vinganca criticam e sugerem isso e aquilo.Nem imagino quando efectivamente o petrleo comecar a a ser realidade.Ninguem nem associacao alguma esta preocupado com o o real bem do pais e do povo.Cada um esta e mais preocupado com o tacho e a sua quota parte.Quanto a declaracao dos bens,isso e uma materia que a Assembleia tinha que discutir e aprovar.Todos aqueles que concoressem a cargos politicos ou candidatar se as eleicoes saberiam que juntos a numeros de assnaturas que tinham que apresentar ao tribunal,bem como outras condicoes exigidas teria que constar a declaracao de todo o patrimonio devidamente detalhada e legalizada.Isso nao foi feito em eleicoes anteriores nem se quer a governos anteriores.Infeliz do governo de Patrice ja receberam duas cartas a exigir a declaracao dos bens.E necessario que nao haja dois pesos e duas medidas.Se fizessemos isso desde 1975 ou mesmo apartir de 1990 quando da mudanca do regime politico de certeza absoluta que o apsi nao se encontraria nesse poco e lamacal

  6. Drª . Margarida Bragança

    27 de Janeiro de 2011 as 22:02

    Processar o Governo em que Tribunal?
    Nós não temos tribunais, temos sim, salas de teatralização, como apontou o jovem sociólogo Hector Costa.

  7. Fernanda Alegre

    28 de Janeiro de 2011 as 10:09

    Finalmente, gostei da atitude dos economistas! sinceramente a muito que fazer mais com ajuda de todos chegaremos lá!!

  8. Edson Costa

    28 de Janeiro de 2011 as 10:52

    Mais uma vez estes pseudo-politicos conseguiram aldrabar o povo santomense! Aonde foi parar de facto o dinheiro dos 30 mil barris de petroleo? A senhora Angela Viegas diz que a presidência da Repùblia é responsàvel, o senhor Fradique de Menezes por sua vez diz que não tem nada a ver com isso. Afinal, o quê que se passa? Aonde é que estamos? Quero apelar a tela non e ao tribunal de contas para que estejam atentos quanto ao desenrolar deste processo. O povo exije um esclarecimento sobre o paradeiro dos dolàres destes barris de petroleo!!!

  9. Edson Costa

    28 de Janeiro de 2011 as 11:04

    Assim tem sido as ações dos governos santomenses nesses ùltimos tempos, ou seja vendem acções e bens pùblicos as empresas estrangeiras e ninguém fica a conhecer o destino dessas verbas. Quando o governo do sr Rafael Branco na representação da senhora Angela Viega (ex ministra de plano e finanças) vendeu as acções da ENCO q pertenciam ao estado santomense, descubriu-se depois que faltavam mais de 900 mil dolàres deste negòcio. Verba essa que não teria entrado de imediato nos cofres de estado. Foi necessàrio muita pressão do tribunal de contas para que os santomenses soubessem do paradeiro deste dinheiro. Assim foi e vem sendo os negòcios secretos dos governanates santomenses com as empresas estrangeiras. Por essa e outra queria pedir aos santomenses que ficassem alertas e de olhos abertos quanto a este proximo passo dos politicos santomenses!

  10. dinheiro é areia

    28 de Janeiro de 2011 as 12:52

    Queria dizer dinheiro é areia

  11. dinheiro é areia

    28 de Janeiro de 2011 as 12:57

    Estou muito indignado e decepcionado face à está situação, porque antes do patrice Trovoada ser Primeiro Ministro ele mostrava muita dinamica acerca do dossier do nosso petróleo; mais agora como chefe do Governo não tem apresentado soluções emergentes em beneficio do povo.

  12. FILHO DA TERRA

    28 de Janeiro de 2011 as 14:33

    O povo de STP, que se cuida…!!!
    Ninguém quer mudar nada, só querem é encher os seus bolsos…
    Já estou cansado de todos os políticos de STP sem excepção!!!
    São todos iguais apresentam um projecto no decorrer da campanha e quando são eleitos vão para lá encher os seus currículos…
    Quem ainda tem esperança que isso vai mudar, que acabe com o crime do banho, que faça com que o pais pare, sim pare o pais…
    Façam algo de novo!!!
    Mostrem para eles que queremos mudança em casa, não mudança de corruptos…
    Este pais só terá uma meia mudança quando a mentalidade de todos os santomenses sem excepção mudar…

    Ps:FILHO DA TERRA

    • aluno do Januario

      29 de Janeiro de 2011 as 4:25

      meu amigo todos politicos tem uma unica filosofia na campanha gastar 100 mil para recolher 300 mil depois de ganhar
      acabaram com matires de 03 de fevereiro por causa das aguas profundas,tentaram fazer doca pesca ja venderam,aeroporto novo nunca deu a luz verde,agora estao a tentar o cabo submarino para ver se sai algum dinheiro,tudo isso a estrada que liga angolares parece um inferno so buracos.

    • Fernanda Alegre

      29 de Janeiro de 2011 as 21:53

      Todas essas desgraças só acontecem no nosso País…n sei porquê fazem campanha se os que vão ser eleitos são os piores santomenses do nosso País!
      Podem enganar este e aquele mais a mim n enganam, Pinto da Costa, Manuel Trovoada, Fradique Menezes entre outros governantes um é pior que outro. A única coisa que querem é estar ali em cima ter fama e dinheiro a custa do povo que até entao tem olhos «tapados» ou seja estao sugeitos as ordens injustas dos nossos governantes.
      Um País serio, será como possivel! se pessoas que passam por ai são piores pessoas que existem na face da terra. Só lamento muito…e as vezes o meu coração até doi de ver tudo isso, quando temos um País com potencial a ser degradado!
      É pena muitos santomenses ñ terem acesso a internet e poder ver a realidade de outros Países e povos. Pois saberiam que nós estamos ainda no seculo 15 enquanto que outros estão no sec.21!!
      Fogo vcs são mesmo malvados, estão sempre a viajar conhecem coisas mesmo assim deixam o nosso País a fundar-se. isso é uma doença incuravel, eu ainda ei de dar o meu contributo em breve sei que será pouco mais fará a diferença.

      Um abraço a todos santmenses de verdade, pois os que são verdadeiramente santomense luta pelo seu País!

      « SÃO TOMÉ E PRINCIPE »

  13. Isidoro Porto

    29 de Janeiro de 2011 as 3:05

    Mais uma vez o ARRUMA e logo a seguir o DESARRUMA,
    Mais uma vez o ASSINA e logo a seguir o RESCINDE,
    Mais uma vez o CONCORDA e logo a seguir o DISCORDA,
    Mais uma vez o AVANÇA e logo a seguir o RECUA.

    Curiosamente, arruma-se para melhor,
    E desarruma-se também para melhor,
    Melhor para São Tomé e Príncipe e o seu povo.
    Para as gerações futuras.

    Paradoxalmente, assina-se para melhor
    E rescinde-se também para melhor,
    Melhor para São Tomé e Principe e o seu povo,
    No presente e no futuro.

    O tempo passa
    E a história regista,
    O futuro julgará,
    Nao tenhamos dúvidas.

    Assim foi com os 500. Assim foi com os 15.
    E assim será com os actuais 20,
    30 ou 40 até a consciência acordar.
    Acordar e fortalecer para mudar.

    Queremos tudo,
    Mas não aceitamos nada,
    Sonangol e a GALP fora.
    Gritamos nós.

    Os outros assustaram-se
    E retraíram-se, provàvelmente por insegurança,
    Hoje, pela nossa língua
    Lamentamos a ausência dos GRANDES.

    Tarde demais? Talvez sim. Talvez não.
    Energias renováveis avançam galopantemente.
    E com este vai e vem infindável.
    Provàvelmente quando jorrar, só valha tostões por barril.

  14. Piá cu uê Txilá

    1 de Julho de 2011 as 22:33

    Senhor Patríco Trovoada, vela se mexes
    ja andas um bom tempo no governo e ainda esta tudo parado…
    começaste com boas actitudes, uma dela que vi de bom grato foi a medida que tomas-te em persevar as viaturas do Estado.E paras-te por aí; ja fizes-te as contas com o Senhor Delfin? ou sera que essa dívida passou a ser mais um pesadelo público? a não ser que também tens rabo preso!!!

  15. leonel pinto

    24 de Julho de 2011 as 9:45

    Pois meus amigos, esse governo só fala e nada faz.
    Antes das eleições disse tudo mais alguma coisa, afinal só queria estar andar de cú tremido, e de estar no pódio das nuvens. Esse sr. Patríce Trovoada até então nada fez para que a corrupção diminuice,este homem só sabe é viajar, viajar de madrugada e entrar e sair quando bem lhe apetece. O sr. tem que se mexer mais, teve aquela reacção no início da sua tomada de posse e nada mais.Faz alguma coisa sr. Patrice.Acho k o sr. tem o cú entalado com alguma coisa.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo