Introdução das Caixas Automáticas no mercado financeiro adiada sine die

Tudo por causa de um curto-circuito que ocorreu no momento em que os equipamentos estavam a ser testados. O Governador do Banco Central, Luís de Sousa(na foto) que tinha prometido para segunda quinzena de Janeiro a entrada em funcionamento das caixas automáticas, pede desculpas ao público.

Não está a ser fácil a introdução de novos sistemas de pagamento no mercado financeiro são-tomense. O Governador do Banco Central que anunciou para Janeiro último a entrada em funcionamento das caixas automáticas, veio agora dizer que o processo está atrasado por causa de um erro técnico cometido por uma empresa são-tomense que foi contratada para instalar o sistema eléctrico no centro das operações. «Em Janeiro tínhamos programado a entrada em funcionamento deste sistema, num momento de teste com todos os equipamentos cá, aconteceram situações desagradáveis, e que porão em causa este processo por algum tempo. Porque houve um curto-circuito derivado de defeitos na instalação do sistema eléctrico. Os aparelhos queimaram. Realizamos dois testes e os dois equipamentos queimaram», afirmou o Governador do Banco Central.

Luís de Sousa explicou ao Téla Nón que os dois equipamentos que queimaram são processadores de comunicação para as caixas automáticas. O Governador do Banco Central, acrescentou que quando se deu o primeiro curto-circuito no processo de testes, a equipa técnica estrangeira contratada para instalar os novos sistemas de pagamento, pensou que fosse consequência da oscilação da corrente eléctrica. Por isso foi realizado o segundo teste que resultou na queima do segundo equipamento.

Com a realização do segundo teste, a equipa portuguesa descobriu que o curto-circuito, resultava de erros técnicos na instalação do sistema eléctrico no centro das operações, e que não tinha nada a ver com a corrente eléctrica fornecida pela EMAE.

A empresa contrata para fazer a instalação eléctrica do centro das operações localizado no rés de chão do chamado prédio do Banco, é são-tomense. O erro já foi corrigido, garante o Governador do Banco Central.

Os equipamentos que queiram, e que garantem o sistema de comunicação das caixas automáticas, já foram encomendados. «São equipamentos que são comprados no exterior e que só são fabricados por encomenda. Segundo o relatório que temos instrutores a encomenda leva 4 a 5 semanas. São situações que não prevíamos, que não dependiam dos sócios nem da autoridade supervisora. Em nome dos sócios pedimos desculpas ao povo são-tomense por este atraso», referiu Luís de Sousa.

Segundo o Governador do Banco Central, a empresa são-tomense que instalou o sistema eléctrico no centro das operações, deverá ser responsabilizado pelo erro que provocou prejuízos a sociedade gestora do sistema, composta pelo estado são-tomense, através do Banco Central, os Bancos Comerciais e a empresa de telecomunicações, CST.

Desta vez o Governador do Banco Central, prefere não arriscar qualquer data para a introdução dos novos sistemas de pagamento no mercado nacional. «Pensamos que brevemente poremos o sistema em funcionamento», concluiu.

Depois de largos anos de espera, São Tomé e Príncipe, continua sem conhecer as vantagens dos novos sistemas de pagamento, por causa de um curto-circuito provocado por erro técnico.

Abel Veiga

  1. img
    Politico da Elite Corrupta de STP Responder

    Palhaçada, cunha e mais cunha na adjudicação obras publicas. As instalações não foram antes testadas por pessoas competentes!!!? Já agora publique o nome da empresa que fez tamanha barbaridade!!! Ou será que tem mão dos políticos na sociedade de tal empresa!!
    Outra coisa senhor Governador a concessão deste serviço público pereceu algum concurso público? Si sim diz-nos quando e quais foram empresas concorrente, se não por favor demita o facto roça a corrupção, porque mesmo eu que sou corrupto estou a ficar cansando de vós, de tanta falta de vergonha e falta de competência!!!

    O senhor Governador – zinho faz-nos rir… Sempre com desculpas, sempre coisas mal explicadas… Só mesmo em STP.. è só lá..
    Mais calma que um dia, tenho esperança que a vossa sentença será lida…

    • img
      Celsio Junqueira Responder

      Concordo 100%

  2. img
    Lamartine Responder

    Santa incompetencia, os testes devem ser realizados etapa por etapa antes da fase de integraçao. Se integram depois para fazer teste isto é nem fizeram teste de instalações antes, é obvio que ficam dependente deste tipo de coisas

    • img
      Tentado a ler Responder

      Duvido que esse pessoal que andou nas instalacoes de a olho saiba o significado e a importancia da integracao. Vergonha pior teria sido se a fritura fosse na altura dos testes de aceitacao

  3. img
    Ana G Responder

    Como sempre, a nossa imcompetencia a vir ao de cima… Se o sistema é pioneiro no País, calculo que não havia empresas sãotomenses com know how para instala-lo como deve ser. então porque foram contratar uma? A culpa também é de quem os contratou. O nosso proprio governador é fraquissimo e não entende nada daquilo.
    Devia desde o inicio n avançar com datas porque em STP ninguem cumpre o que esta planeado. Nunca!

    • img
      uebeto Responder

      Se a senhora prestasse mais atenzao, ou se tivesse melhores conhecimentos tecnico, saberia que o que aconteceu nao tem nada a ver com falta de conhecimento tecnico, pois a falha foi no sistema energetico, e para montagem desses sistemas temos varios tecnicos capacitados para tal. Esse sistema e universal idenpedentemente da tecnologia usada, e desde que tenha o conhecimento do consumo dos equipamentos em causa, pode se instalar a alimentazao. Temos que valorizar mais os nossos profissionais e deixar daquela mentalidade de que o profissional estrangeiro e sempre melhor. Ora vejamos, se os tecnicos estrangeiros que vierao montar o sistema fossem tao bons, pq que depois de terem queimado um equipamento, voltaram a ligar o outro sem antes fazerem um verdadeiro diagnostico da situazao, avariando assim um outro equipamento? Os tecnicos nao se podem basear em suposizoes, temos que trabalhar com resultados concretos antes de avanzar mos com o trabalho… Desculpem o erro, o teclado n e portugues.

  4. img
    BARAO DE AGUA'-IZE' Responder

    Sr. Governador Luis de Sousa, quanto custa cada aparelho? Uma fortuna, com certeza.
    O Banco Central ainda vai continuar a confiar na mesma empresa? Nao acredito, nao acredito. Sao erros demasiados primarios. Nao se pode pactuar com falhas desta natureza.
    Por favor, STP nao anda a nadar em dinheiro. CREDO.

  5. img
    zeme almeida Responder

    Que tristeza e que vergonha!Sera que o nosso Pais nao tem tecnicos em altura sem ser submetido a fiscalizacao dos outros?Ate quando podemos com confianca,valorizar o que e nosso.Viva STP

  6. img
    Buter teatro esquecido Responder

    Senhor Governador está sua justificação não convence criança de dez anos. Porque as máquinas modernas vêm já com pequeno dijuntor que faz desparar sem queimar ou causar qualquer outros danos em caso de curto-circuito. Provalvelmente compraram coisa velha avariada.

    Como o país nunca montou isto deveriam pagar a deslocação, fabricação e montagem a uma só empresa.

    O banco central deveria deixar a compra e a instalação ao banco privado porque o Estado nunca foi bom gestor.

    • img
      Pumbu Responder

      Bem dito!

  7. img
    edy Responder

    Mesmo ki fosse da oscilacao da corrente, nao se admite nos tempos de hoje. Ha aparelho sustificado para a detencao anticipada oscilacao electrica ou mesmo para detetar se a falha na montagem antis do teste.Sabemos ki pais e pobre sim e queremos ajudar uns ao outros como santomense mais ha ki optar-se pela copetencia.

  8. img
    no escuro Responder

    por nada me surprender aqui na terra, por isso é que apenas pergunto: alguém esperava algo diferente disso?

    • img
      Elise Responder

      né???

  9. img
    Bambú Responder

    Primeiramente, alerto que o texto desta notícia possui algumas gralhas mas, depreendo que deve ser dos nervos a redigir tais notícias…que de facto da nervos e vergonha escrevê-la!
    Bem, indo ao cerne da questão, começo por dizer que isto é uma verdadeira vergonha, uma palhaçada e tamanha falta de respeito pelo nosso Povo. Como é possível, um projecto desta natureza não seguir as fases e os procedimentos de execução que deve seguir normalmente um projecto com esta envergadura! NÃO HOUVE TESTES DE VERIFICAÇÃO EM CADA FASE DO PROJECTO? NÃO ME DIGAM, QUE NEM SABEM QUAL É A TENSÃO DA CORRENTE ELÉCTRICA DO NOSSO PAÍS E NEM TÃO POUCO OS INPUT’S DE CADA EQUIPAMENTO! EPAH, NUNCA OUVI QUE INSTALAÇÃO ELECTRICA ABORTOU UM PROJECTO DE BANCO CENTRAL DE UM PAÍS …AHAHAH!
    Tenham vergonha pah…entendo o vosso lado, como bons projectos raramente acontecem em S. T. P então, mal se fala de um projecto, já definem logo a data de conclusão, pelos vistos nunca incluem/incluíram período de testes dos projectos na vossa agenda, devido pressa de anunciar as boas notícias…uma corja de profissionais rascas…!
    Engraçado é que ficamos a saber que isto aconteceu e ponto final. O Sr. Governador nem se quer deu ao trabalho de dizer ao povo de S. T P, se a tal empresa irá ser responsabilizada ou não. No entanto pediu desculpas e ao mesmo tempo informou que já se encomendou novos equipamentos…tudo muito simples e fácil! Vcs tratam o nosso povo como bando de parvos sinceramente…!

    • img
      Pumbu Responder

      Parvo eh o comportamento dele…

  10. img
    D Responder

    Aonde estava o UPS??
    O Senhor deveria chamar alguém da área pra orientar. Pressa em ser artista. Como dizia Osvaldo Abreu, todos querem ser o artista e, quando não são, preferem ser o chefe de bandido.
    Tenha calma e chame pessoas qualificadas, que tudo dará certo.

    • img
      D Responder

      O UPS estava nas alfandegas, juntamente com os materiais da TVS. Brincadeira.

  11. img
    madalena Responder

    Dr
    Não é verdade a sua explicação.
    Pergunta Dra Maria das Neves ela te explica.
    Ponto final.
    Concurso viciado e mais.

  12. img
    Tagarela Responder

    Não havia nenhum técnico que pudesse falar sobre este assunto que não fosse o Governador do Banco? Ele não tem outras coisas muito mais importantes que requeiram a sua atenção para tratar e falar que não seja sobre as caixas automáticas?
    Mesmo qua a sua implementação seja inédita em STP, não justifica o pronunciamneto do Sr. Governador sobre tal assunto. Preserve-se. Apareça quando o assunto realmente justificar a intervenção da figura máxima da Instituição. Viva STP!!!

  13. img
    joana Responder

    Sao incompetentes.

  14. img
    N.C Responder

    ja era de esperar

  15. img
    realista Responder

    essas maquinas ja foram compradas com problemas com fins negativos por isso digo
    mais um burla cometido pelo os senhores do banco brincadeira de mal gosto agora pergunto quanto custa cada maquina?
    de certeza se foi comprado cada 15000euro vao dizer k custou ao pais 45 ou mais mil euros 20 ou trinta mil vao encaixar nos bolsos so mesmo em S.TOME CASO SERRIA EM PORTUGAL ESSE GOVERNADOR JA IRRIA PRA RUA E O GOVERNO TERRIA QUE DA EXPLICACAO AO PAIS mais ate quando sinto-me triste e revoltado com sistema politico do meu pais mais uma coisa e certa quem chora no principio ri no fim. Boa noite meu pais 4ever no coracao

  16. img
    Alberto Nascimento Responder

    Palhaçada!

  17. img
    Edson dos Prazeres Responder

    Um amigo meu em USA apostou comigo que caixa eletronica em STP não será realidade nem daqui 10 anos, tive que lhe chama de pessimista…afinal nos os santomense temos dificuldade em ser realista….não acredito em mais nada de STP….fuiiiiiiii

  18. img
    Virtual Responder

    Se só para a instalação já estamos com essa crise toda, imagine quando isso estiver em plena operação!!?
    E não se esqueçam que estamos a falar de caixas automáticas que vão trabalhar com dinheiro!!!
    Só mesmo no meu país!

    Então teste significa pegar no cabo de força (cabo de tensão) e pimba!? Só faltava-me ficar a saber que o próprio governador de BCSTP é o responsável técnico pelo projecto! Porque se não é, porquê que esse responsável não deu as caras? As pessoas têm que ser responsabilizadas pelas suas incompetências não? Dê ao César o que é do César! Adewa congo!! Santomé ê!!!! Awó!

  19. img
    blaga pena Responder

    Será que os nossos dirigentes nunca conseguem implementar um projecto com sucesso? A ganância pelo dinheiro fácil certamente está na base de todos esses fracassos…

  20. img
    Macabeu FM Responder

    Meus caros leitores, não se iludam com isto, são pré acontecimentos deste novo projecto em são Tomé e príncipe. Numa análise cuidadosa usando como sempre o senso comum é se salientar o seguinte.

    1-O Banco Central para além de ser a instituição fiscalizadora do projecto é também sócio. Brincadeira, pergunta: VAI FISCALIZAR O QUÊ OU QUEM? EM BENEFICIO DE QUEM? DOS SEUS PARCEIROS OU DOS UTENTES? Mau muito mau…
    Fala não pode….fuiiiiiiiiiiiiiiiiiiii.

  21. img
    Flogá Responder

    Déjà Vu!

  22. img
    insonia da costa Responder

    Tanta incopetencia tenha santa paciencia,,ja estamos fartos disto sera q o stp n tem gentes e nem tecnicos capazes de instalar um equipamento deste calibre duvido o q falta é n a padrinhagem e ao clientelismo faça um concurso de logica e verão q ha de terquem saiba dar resposta a certos casos…badas merdas de porrrrrrrraaaaa incopetencia desde cima ate baixo

  23. img
    António Martins Gomes Responder

    Será que os dirigentes são-tomenses não aprimoraram a ética e moral na sua formação académica e/ou profissional? Dada a notícia, pode depreender três conclusões: (i)os trabalhos foram encomendados à duas empresas (incompetentes), claro! por adjudicação directa ou seja sem o concurso público, (ii)as entidades com a responsabilidade na conclusão desse importante projecto omitiram e/ou não elaboraram os TDR- Termos de Referência do projecto, tanto quanto sabemos esse instumento de gestão além de vincular as partes, traça as principais linhas orientadoras do projecto e (iii)odoriza a corrupção.

  24. img
    J'aime STP Responder

    C’est dommage car finalement il faudra toujours prendre de l’argent sur le marche parallèle , et le plus grand perdant est encore l’économie sao tomeenne. Mais quand est ce que ce pays (que j’aime) va s’en sortir ?

    • img
      Pumbu Responder

      jamais!!!!

  25. img
    san Responder

    Que miséria, que humilhação, que raiva………

  26. img
    ovumabissu Responder

    Compatriotas,

    Não se exaltem. Não é incompetência.
    O BCSTP esqueceu-se foi de contratar um DJAMBI para afastar os maus espíritos que tomaram conta de rede eléctrica.
    Temos que organizar um DJAMBI geral em todos os funca-funcas de STP.
    Sem isso… nada feito.Nada vai funcionar na “grota”.
    Anda tudo e todos tomados por espíritos malignos!!! Não há outra hipótese!!!
    Eu contribuo com €5,oo para o Djambi Geral.

    • img
      Andrade Catanhede Responder

      Tens razão meu caro.

  27. img
    jaka doxi Responder

    Abaixo censura.
    fui

  28. img
    ZEME TA Responder

    O que e que o Mauricio faz no banco como Informatico ?
    perder tempo no face book ?

  29. img
    Digno de Respeito Responder

    Muito sinceramente, sendo essa a justificação ou não, entendo que para casos como esses não é para pessoas com esse cargo que deva justificar as possíveis falhas, sucessos ou insucesso institucional mas sim alguém, um técnico especializado em matéria de Comunicação e Relações Institucionais, ou como queira designar, simples Acessor de Imprensa.

    Já é tempo dos serviço terem imagens mais favoráveis junto da opinião pública. É preciso lavar o rosto e quando necessário saber defendê-lo.

  30. img
    By: Gm Responder

    Estes trabalhos não fora desenvolvidos por técnicos mas sim por mécanicos, porque só pode ser. Não aceito um erro desde se a empresa fornecedora certamente existe técnicos para explicar e testas e deixar a conclusão a São Tomé. Porquê chamar os que não sabem nem o que têm a frente? Para pagar menos? Ou para avariar mesmo no sentido de burlar de novo?

    É de mais ver coisas repetitivas acontecendo sempre no país… Santo Deus pah

  31. img
    honder Responder

    a unica forma de discrever isso é falta de responsabilidade total: supostamente essas makuina devia ser instalada por um profisional credencial.entregar makuinas dessas ha um carpinteiro para instalar francamente até parece brincadeira.é bom k as pessoas assume suas responsabilidade muito meis kuando se trata do nosso dinheiro ou seja dinheiro do povo.

  32. img
    Bombástico Responder

    Vamos lá chamar as coisas com o seu propio nome, a razão não se baseia em curto circuito é um conjunto de mA focionalidade das estruturas básicas para funcionamento do sistema multi caixa, 1- com esse sistema de comunicação ( internet) que CST nos fornece não da para qualquer operação bancaria que a base de dados para garantir a segurança é muito pesado.
    2- os flash eléctrico fornecido pela EMAE não da para poder funcionar os multicaixa porque nem as baterias da ups carregam
    3- se o problema é curto circuito mostram nos os cartões encomendados
    4- os maustratos das notas faram k apenas 40% da cédula é k iram circular
    Senhor governador nos temos uma luz de conhecimento, não vem pra aki atirarmos areia nos olhos. Seja mais homen em prol de STP melhor.

    • img
      uebeto Responder

      Nao venho ca desvendar detalhes tecnicos a ignorantes que cometam sem conhecimento, mais fique sabendo que a comunicazao usada nesse circuitos n se baseiam em internet, mais sim em circuitos dedicados 24 horas com largura de banda de sobra para as operazoes bancarias…Ao menos dessa vez a falha n esta na cst…

      • img
        Bombástico Responder

        Sou tão iguinorante que sei escrever comunicação operações . Olha se for uma caixa completa pra cartão visa não preciso de internet ta bom o vosso sistema esta desenvolvido é por isso que queimou. Vc não quer assumir o seu erro queres ser comentador anuciante e advogado das tuas asneiras.

  33. img
    BARAO DE AGUA'-IZE' Responder

    A simples instalacao e’ assim, como sera’ a manutencao, Sr. Governador ? Andamos a brincar com os parcos recursos do pais.
    Ate quando, meu Deus ?
    Nao seria mais rentavel pegar nesse dinheirinho, comprar uns colchoes e oferecer ao hospital central ?

  34. img
    COCO NZUCU Responder

    Estoiraram dois aparelhos e ja mandaram pedir mais dois? Que grande fartura, Sr. Governador! E nossos estudantes no estrangeiro sem dinheiro ha 6 meses ?
    Cuidado com a sua cadeira.
    A proposito nao sera apenas o fuzivel do proprio do aparelho. Os entendidos na materia dizem que esses aparelhos devem ter o circuito protegido por um sistema de fuziveis que salvaguardam a integridade do resto.

  35. img
    justiça Responder

    Só quem não faz nada não erra. Acho que o governador teve a coragem de levar a STP um aparelho de alta exigência porque queria o melhor para o sistema financeiro.
    Creio que não se pode ver as coisas somente num prisma negativo, porque os grandes paises passaram por experiências negativas em vários dominios até que conseguissem superar-se.
    É verdade que estes erros têm custos, e acho que a empresas em causa deve ser responsabilizada financeiramente porque o país não se pode “dar ao luxo” de despender recursos sem retorno.

    • img
      Parlamento de STP Responder

      Coragem? Ele é muito corajoso, ele está sempre desde lá entrou a justificar coisas injustificáveis…. Credo… Esse Governo é um grande erro de Casting… Muito fraco como dirigente, talvez possa ser um grande Técnico, mais isso só ele e os seus colegas saberá..

      • img
        Politico da Elite Corrupta de STP Responder

        “Governador”

        • img
          Parlamento de STP Responder

          Ok Obrigado

  36. img
    ME PÓ FELADU Responder

    k bom

  37. img
    Fia Luxinga Responder

    Não como foi efectuado nogocio mas sei que na europa tudo tem garantia. Sabendo que erro ocorreu na fase inicial a garantia é obrigado a cobrir o prejuizo, por outro lado é obrigatoriamente a empresa que instalou a corrente electrica ser responsabilizada por sucedido, temos que começar a ser responsaveis por nossos actos. Poe isso esperoque saibam conduzir este caso. Agora pergunto como será da empresa Portuguesa que se encontra no país a fim de colocar a caixa a funcionar? Antes dos testes não podiam verificar as instalações efectuadas. Ao meu ver é uma historia muito mal contado

    • img
      Politico da Elite Corrupta de STP Responder

      Garantia não cobre incompetências, só erros e anomalias de fabrico.
      Isso é que faltava, garantia cobrir incompetências, se fosse assim muitas indústrias ia a falência!!!..

      Povo de STP é que devia ter garantias que o senhor (Des)governador ia ser corrido devido sucessivas incompetências que vem revelando… ao longo desse erro de Casting que o Patrice Viagem teve quando o nomeou como (Des)governador de Banco Central de STP.

  38. img
    Santo Responder

    Se existe uma entidade criada para gerir o sistama de pagamento(SPAUT), que tem um corpo directivo, penso que deveria ser seus responsaveis a vir justificar isto e não o Governador de Banco Central!!
    Alguém entende isto..????

  39. img
    Dasafrica Responder

    Banco Central é que super culpado.Esses equipamentos milindrosos, voces deveriam fzer o contrato com a maquina montada e não vir pagar a empresa nacional uma mesquinha de dinheiro pq kerem poupar.
    Sr Governador, pela proxima, faço contrato aparelho montado e a funcionar como os tawaneses fizeram a nossa central electrica.Barrato sai carro.
    Obg

  40. img
    HFM Productions Responder

    Ora vejamos: segundo as informações do Jornal online Tela Non de onde eu acompanho as notícias proveniente das ilhas, eu pude constatar que os equipamentos teriam sido montados pelos técnicos estrangeiros meramente os Portugueses, se realmente era isso previsto, o porquê de erro depois das montagens é exposto ao público que a falha tinha sido cometida pela empresa Santomese? Onde é que estavam os técnicos Portugueses que foram contratados para a referida montagem? Se o Sr Governador do Banco Central tivesse tido amenos um pingo de vergonha na cara não podia ter dito o que disse para o público. Para um país que nunca usou tecnologia deste género como é que irão contratar empresa Nacional se nem se quer nunca tinha tido uma formação inicial para a montagem dos mesmos equipamentos electrónicos? Até onde vai chegar a corrupção no nosso país? Se tivesse no lugar do Sr Governador nesta altura pedia a minha demissão. Já que contrataram os Portugueses para a montagem dos equipamentos, seriam responsável pelos os mesmos até o momento dos testes e depois do trabalho concluído ai sim, seria lançado um concurso público para a manutenção das máquinas e aquela empresa que estivesse dentro das condições exigida no concurso recebia uma formação intensiva da mesma empresa que fez a montagem para o devido efeito… Meus corruptos procuram uma outra estratégia de por patente ao público aquilo que mais gostam de fazer…

Deixe um comentario

*