Economia

Proposta de investimento do sul-africano Mark Shuttleworth na ilha do Príncipe envolve Aeroporto e Porto regionais

Desde o ano 2008, que o estado são-tomense assinou acordo com o grupo holandês liderado por Rowmbont Swarbont, para reabilitação do aeroporto da região do Príncipe, mas sem conclusão a vista. O milionário sul-africano, Mark Shuttleworth, que assinou acordo de investimento com o governo regional, promete investir na modernização do aeroporto e no cais regional.

O aeroporto da ilha do Príncipe e o cais da cidade de Santo António são duas infra-estruturas de base fundamentais, para o desenvolvimento do turismo de alto nível que o milionário sul-africano Mark Shuttleworth, pretende desenvolver na Região Autónoma.

Por isso segundo o Presidente do Governo Regional,  o empresário sul africano, está interessado em participar na sociedade criada pelo empresário holandês Rowmbont Swarbont, para reabilitação e gestão do aeroporto regional. José Cassandra assegurou ao Téla Nón, que o milionário sul-africano, pretende alargar a pista do aeroporto regional com vista a receber aviões de maior porte. «A proposta dele provoca uma revolução no projecto inicial de reabilitação do aeroporto», afirmou o Presidente do Governo Regional.

O projecto de modernização do aeroporto do Príncipe, é um dos pontos das negociações que prosseguem entre o milionário sul-africano e o empresário holandês que desde o ano 2008, o estado são-tomense concedeu direito de exploração e gestão do aeroporto regional, assim que terminasse as obras de reabilitação da infra-estrutura. Infelizmente as obras ainda não terminaram.«O empresário sul-africano pretende entrar na sociedade encarregue da reabilitação e futura gestão do aeroporto», assegurou José Cassandra.

Para além do aeroporto, Mark Shuttleworth, manifestou interesse em melhorar o funcionamento do cais do Príncipe, outra infra-estrutura fundamental para garantia de sucesso do projecto turístico cuja implementação está a ser negociada com os actuais detentores do direito de exploração do ilhéu Bombom e da Praia Macaco.

Segundo o Governo Regional do Príncipe o milionário sul – africano, considera o aeroporto e o porto da ilha como infra-estruturas fundamentais, para dar sucesso ao ambicioso projecto turístico que pretende implementar no Príncipe.

Abel Veiga

    29 comentários

29 comentários

  1. Republica Federal do Brasil

    15 de Fevereiro de 2011 as 10:43

    Outra vez aeroporto e Porto… Credo…. Falam menos e trabalham mais…Deixe de enganar esse povo humilde!

    Não tarda esse Sul Africano paga 2 ou 3 viagens para Tó Zé ir visitar Lua, enquanto a população do Príncipe ficará cá na terra a chuchar no dedo, a levar com grandes festanças do senhor secretario das finanças regional aos fim de semana, a moda do senhor Sílvio Berlusconi (1º Ministro de Itália).

    Tó Zé e Elito e outros seguidores, “aqui se faz aqui se paga”.

    • Hedilberto Lima

      15 de Fevereiro de 2011 as 15:16

      Assim mesmo senhor governador. Avança, sempre em frente. Quem não quer ver o Príncipe a avançar que vá fazer boi dormir. Chega de uêchismo, inveja, confusão, brincadeira, corrupção e outras coisas.
      Segue o seu caminho em trabalho cívico e político para o seu povo. Se o Príncipe desenvolver S.Tomé também estará bem. É disto que precisamos: investimento estrangeiro para criar postos de trabalho para a população do Príncipe e de S.Tomé.
      “Aqui se faz aqui paga” só serve para quem não quer trabalhar e tem inveja dos outros. Está na hora de todos nós, forros, moncôs, angolares trabalharmos para o futuro da nossa terra e não ficar a espera que o governo e políticos façam tudo para nós. Este investimento se for para frente será bom para o Príncipe e bom para S.Tomé. Temos que deixar as pessoas trabalharem. Se a pessoa, como dirigente político, consegue fazer coisas é porque faz e não deveria fazer. Se a pessoa não faz nada dizem que não faz e que é incompetente. O que é que vocês querem afinal? Vocês não querem investimento privado para a vossa terra? Vocês não querem um governador que faz coisas para vocês? O que é que querem afinal? Sinceramente…
      Eu acho o Tozé Cassandra um dos maiores políticos da sua geração. É pena o país não ter mais cinco ou seis políticos como ele.
      Fui
      Hidelberto Lima

      • Revoltoso Arrependido

        16 de Fevereiro de 2011 as 13:51

        Mais uma ilusão do To Zé, mais uma vez é posto em causa a inteligência do povo de Príncipe. Só quem vive certa realidade pode dar opinião, de facto o governo de Tó Zé e os seus amigos é pura ilusão e uma enorme decepção, nós do Príncipe não merecemos esse desgoverno que reina no Príncipe, encabeçada pelo senhor Secretario das Finanças Regional, o tal que alguém apelidou de Elito Berlusconi, pois é esse nome certo para este senhor, não vale a pena entrar em pormenor o porquê deste nome, a diferença é que Berlusconi de Itália é um homem rico o seja tem a sua própria riqueza esforço do seu trabalho empresarial, enquanto que o Berlusconi do Príncipe (Secretario das Finanças Regional), não sabemos de onde vê tanto dinheiro para tanta festa e outras coisas mais.
        Enfim são políticos que temos, o pior é que o Governo central não está nem ai por tudo que graça no Príncipe.

        Contribui tanto para correr com Damião Vaz de Almeida do poder no Príncipe, hoje a única coisa que me resta é pedir desculpas a senhor Damião Vaz de Almeida e dizer-lhe que afinal era um bom dirigente, com ele havia respeito, ordem e muita organização no Príncipe.
        Mais uma vez senhor Damião, peço as minhas sinceras desculpas fui uma das pessoas que fui a sua casa buscar a chave do carro no dia da revolta.
        Termino desejando que o Tó Zé mude de atitude pelo bem do Príncipe para seu próprio bem enquanto politico.

        • Felizardo Lopes

          17 de Fevereiro de 2011 as 15:15

          Damião de novo? Credo Deus Pai Todo Poderoso! Seria a última coisa que poderia acontecer ao Prícnipe.
          Felizardo Lopes

        • Januário Ceita

          17 de Fevereiro de 2011 as 17:01

          Damião Vaz de Almeida? Credo Deus Pai Todo Poderoso.
          Fui
          Januário Ceita

        • Octávio Lavres

          17 de Fevereiro de 2011 as 17:35

          Deus nos livre outra vez deste senhor? Credo!
          Octávio Lavres

          • Piguimeu

            17 de Fevereiro de 2011 as 21:28

            Pior que Damião chama se Elio Lavres ou senhor Berllusconi, teu prio, só não digo mais porque porque…

    • BLAGA PENA

      15 de Fevereiro de 2011 as 19:50

      De modo a reforçar o que diz deixo esta breve escrita
      É na esquina do rio papagaio que reside a esperança de ver esta nossa primorosa Ilha emergir e começar a escalada rumo ao desenvolvimento com uma política de iniciativa ilusória fala-se mais do pretérito que não nos orgulha e não se descortina objectivos na agenda política para o futuro, entretanto a UMPP cria e alimenta mecanismos de eliminação do espaço dos que o contestam, com o desaparecimento do espaço tribuna do cidadão, como a estratégia passa por ter o “media” impulsionado por figuras que promova o pseudo-partido e declara apoio irrestrito, portanto lamentar a falta de compreensão dos opositores, ultrapassa o limite da moralidade,
      Com um optimismo deostilista que por um lado quer ludibriar criando a ilusão de que tudo esta bem e que devemos viver o presente com uma concepção do futuro a medida dos nossos sonhos e por outro lado é o que se vê uma Ilha cada vez mais pobre em que o custo de vida tem aumentado de forma galopante, é pois um governo que insurge-se de forma reactiva, a falta de um plano de estabilidade e crescimento regional tem descentralizado de forma sistemática do que deve ser objectivos com impacto directo na melhoria de condição de vida de todos que residem na Ilha, portanto já é um problema recorrente, esconder-se por detrás de concepção de desenvolvimento para justificar actos e omissões que são manifestação de falta de destreza para solucionar os problemas da Ilha não poderia deixar de ser uma política imoral e sem principio, a visão populista e simplista pensar que se resolvem os problemas da ilha com ideologia sem sustentabilidade, existe uma situação geográfica de falta de criação de oportunidades e não de dupla insularidade pois esta é estanque, e é um adjectivo que caracteriza políticos inimputável.
      O desafio é tornar a Ilha auto sustentável, e não é com um orçamento regional de cifras sem noção de rigor e eficiência financeira e que revela extrema preguiça e incompetência do governo. Pois sem a sua contribuição para gerar riquezas, e com o défice cada vez mais acentuado que o desenvolvimento da Ilha deixará de ser uma utopia, porém “quem vê quer ver” , e porque a transparência é um dos valores fundamentais da democracia deve haver vontade política no sentido de criação de autoridade de supervisão financeira para controlar os donativos, e receitas irrisórias geradas mas entretanto como a ignorância dos nossos políticos é tão grande que até esta a transformar numa espécie de iluminação, que faz dos senhores do poder lideres máximo de competência mínima.
      Para reavivar memórias a função do governo é garantir o bem-estar da população, a gestão técnica que deve fazer para sustentar essa garantia é única e exclusivamente da sua competência.

      • Januário Ceita

        16 de Fevereiro de 2011 as 12:01

        Esta gente escreve tão mal, meu Deus! Eu li este texto 50 vezes e não percebi nada do que este senhor “Blaga Pena” escreveu.
        Isto parece um compêndio de mal escrever.
        Fui
        Januário Ceita

        • Mario Valente

          17 de Fevereiro de 2011 as 21:29

          Ilustre Januário Yalá olha o facto de não entenderes nada não ti da o direito de dizer o que diz pois tu não percebes e nunca vais perceber o teu problema é que tens o intestino grosso ligado ao cérebro.

  2. COCO NZUCU

    15 de Fevereiro de 2011 as 14:03

    Acima Principe, mostra que voces sao mais inteligentes.
    O vosso atraso deve-se ao empatas e invejosos do governo central em ST.

  3. Ate quando nosso São Tomé e Principe

    15 de Fevereiro de 2011 as 14:32

    Óptima ideia. Se no caso não for possível fazer uma aeroporto de alto nível que seja uma coisa simples mas moderna.

  4. JOJO

    15 de Fevereiro de 2011 as 18:11

    Coisa Simples e moderna, que ligue a ilha com o mundo e não dependa de STomé com aquele aviao de 16 lugares que nem nos pertence.

  5. Samangwana

    15 de Fevereiro de 2011 as 20:43

    Ora Vejamos…
    1. Zona Franca = Mentira
    2. Porto de Água Profunda = Mentira
    3. Modernização de Aeroporto = Mentira
    4. Requalificação da Capital = Mentira
    5. Extração de Petroleo = Mentira
    6. Bunquer em Neves da Sonangol = Mentira
    7. Casa Conferencia em Santana = Mentira
    8. Inicio de Hotel LAICO em Dezembro de 2010 = Mentira…

    Há muito mais mentiras que se forem citados não caberão neste modesto espaço.

    Minha gente. É tudo mentira. Propaganda política que envolve a rede nacional e internacional com o objectivo dos nossos maquiavélicos governantes ganharem tempo, nas suas governações que tradicionalmente não chegam ao fim.

    … Pessoal… acreditem numa mentira do Diabo do que na verdade dos nossos políticos…

    A única verdade é que tenho que bazar, porque senão o curto circuito no multibanco do Banco Central pode me queimar… e a VERDADE é que ninguém se responsabilizará por isso.

  6. ovumabissu

    15 de Fevereiro de 2011 as 23:15

    Ora aí está|
    Os contornos deste negócio já começam a estar mais nítidos. O holandês fez “moloso” e convenceu as entidades do Príncipe que tinha muito dinheiro para investir e, à custa disso, conseguiu vários direitos. Agora, aparece o sul-africano com as mesmas intenções. O holandês vende os direitos ao sul-africano e realiza (em menos de 3 anos) mais-valias chorudas. Não me espantaria nada que 3 anos depois este venda a um neo-zelandês e por aí fora.

    Os principenses bantem palmas e gritam:”viva sr. Governadô!!!!”.

    No meu dicionário de negócios este tipo de esquema chama-se “enganar o preto”.

    Tózé, juízo. Muito juízo!
    Vales bem mais que isto. Não te deixes deslumbrar pelo poder e pelo dinheiro.

    • Januário Ceita

      16 de Fevereiro de 2011 as 11:58

      Muito bem senhor governador

      Para frente é que é caminho. Deixe o Ovumabissu e outros chorarem.
      A sua linguagem de “enganar o preto” é suficiente para se qualificar a pessoa.
      Quem não o conhece que o compra.
      O senhor Ovumabissu que vá trabalhar ou fazer algo de útil para o seu país. Deixa de ser parasita. Produz alguma coisa para o seu próprio país.
      Fui
      Januário Ceita

      • ovumabissu

        17 de Fevereiro de 2011 as 13:29

        E você acha que agindo assim (seguidismo cego e absurdo) está a prestar um bom serviço ao Príncipe e ao Tozé?!

        Engana-se. São os seguidistas cegos que levaram STP ao estado em que está.

        “Enganar o preto” não é coisa do passado. Hoje continuamos a trocar ouro por missangas, espelhos, bugingangas e garrafões de vinho.

        Se não querem, ou não gostam de ouvir, então deixem de fazer negócios à preto. Caso contrário você (e outros) vai voltar a ouvir isso e muito pior.

        • Januário Ceita

          17 de Fevereiro de 2011 as 15:18

          Senhor Ovumabissu

          Sabe uma coisa: vai ver se está a chover.
          O senhor deveria fazer como pintar a sua cara de branco.
          Fui
          Januário Ceita

          • Octávio Lavres

            17 de Fevereiro de 2011 as 17:38

            Xiêê… Este senhor não é branco já?
            Tetê Lima Lavres

    • Celsio Junqueira

      16 de Fevereiro de 2011 as 17:10

      Caro Ovumabissu,

      Espero bem que esse seu vaticinio não se concretize a bem da população da RAP.

      Mas intriga-me o valor do dito negócio. É caso para dizer quando a esmola é demais o pobre e o santo desconfiam.

      Finalizando, temos de ser esperançosos e positivistas, pior que estamos não ficamos, o que vier tem de ser para melhor.

      Abraços,

      • ovumabissu

        17 de Fevereiro de 2011 as 13:43

        A(s) notícia(s) está(ão) cheia(s) de… vazios.

        Apresenta-se negócio privado como sendo público, confunde-se intenções com realizações… não se sabe se o sul-africano irá substituir o holandês, ou se passarão a ser sócios. Se o holandês sai, vai receber alguma coisa do sul-africano? Se sim, qual o racional desse pagamento?

        Se o holandês vai sair, o Tozé deve uma explicação ao povo de STP (sim, não apenas à população do Príncipe) porque há menos de 3 anos apresentou o mesmo como sendo o grande salvador do Príncipe e quase originou um motim contra o Governo.

        Não posso ler estas coisas e começar logo a aplaudir só porque são anunciados uns quantos milhões que não se sabe de onde vêm nem para onde vão.

        Continuo a preferir o cepticismo.

        Abrç

        • Januário Ceita

          17 de Fevereiro de 2011 as 15:19

          Este senhor Ovumabissu está nervoso. O que é que se passa com o senhor?
          Fui
          Januário Ceita

        • Celsio Junqueira

          18 de Fevereiro de 2011 as 10:06

          Entendido meu caro,

          Aguardemos pelo desfecho deste negócio e o aclarar das águas, anda muita coisa turva.

          Fez bem em recordar a história do Holandês, deviamos pedir contas ao Pres. Tozé que acho que também devia pedir ao Holandes. Tem de se fazer sempre uma avaliação dos erros, para não se repetir.

          Abraços Grandes e Optimistas,

  7. Búzio sem Pena

    16 de Fevereiro de 2011 as 7:26

    É bom que se investa no país, é emprego a mais famílias. Príncipe é uma maravilha natural e precisa ser bem gerida o seu ambiente natural

    • Mimi

      16 de Fevereiro de 2011 as 8:12

      Adoro a ilha do Príncipe com a sua natureza sem igual. Espero que este e outros projectos tenham sempre em conta a preservaçao desta natureza e que o progresso nao tarde em chegar.

  8. Ze Bimbi

    16 de Fevereiro de 2011 as 9:51

    Que tal da fabrica da montagem do computador Magalhaes? Isso sera pra quando?
    Alguem pode me explicar?
    Abraco!

    • Celsio Junqueira

      16 de Fevereiro de 2011 as 17:06

      Meu Caro,

      Não faça perguntas dificeis!

      O Governo ao ritmo nacional de “leve-leve” irá responder a estas e outras perguntas.

      Mantenho a calma e a serenidade, aguardando tal como Santo Tomé, o começo da marcha para o Desenvolvimento.

      Abraços solidários,

  9. vanda bonfim

    18 de Fevereiro de 2011 as 15:57

    se vai trazer beneficios a ilha ça va…

  10. manu mau

    20 de Janeiro de 2012 as 9:34

    é pena que as coisas saiem bem para um e outros não.
    senhor hidelberto lima se as coisas do teu lado esta bem, do outro não vam bem.
    então temos que alargar a rede para toda localidade do principe não só para famila cassandra, ambulina.prazer e managem ok

    ate já
    manu mão

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo