Terra árida de Pinheira produz hortaliças

O governo são-tomense investiu dois bilhões de dobras na canalização água para irrigação em Pinheira a favor de 171 agricultores. Pinheira é uma região de São Tomé que tem enorme potencial, para a produção de produtos alimentares mesmo na estação seca.

Inscrita na carta agrícola como uma região de forte produção de mandioca, milho, feijão e abóbora, Pinheira vai passar a produzir também hortaliças.

Dos 171 agricultores 10 agricultores preparam-se colher a primeira produção cebola e pimentão, esta produção deve-se a entrada em funcionamento de um depósito de sessenta metros cúbicos.

10 de Agosto próximo o reservatório de cento e vinte metros cúbicos, estará pronto. Responsáveis do Ministério do Plano e Desenvolvimento acreditam que nesta altura mais agriculturas poderão dedicar-se ao cultivo de outras culturas.

O projecto de canalização de água para irrigação conta com o financiamento da União europeia e do governo taiwanês.

Carminda Viegas, coordenadora do PAPAFPA (Programa Alimentar de Agricultura Familiar), disse que o projecto visa reduzir o desemprego na comunidade.

No entanto, o número dois do Ministério do Plano e Desenvolvimento Wilson Bragança, condenou o atraso das obras de construção do depósito de 120 metros que incluiu a canalização da agua para diversas áreas agrícolas. « Infelizmente coisas desta natureza acontecem no nosso país e nos iremos tomar medidas pela próxima empresas desta natureza não beneficiaram de obras do nosso ministério», afirmou Wilson Bragança, no final da visita ao campo de agrícola de Pinheira.

A par deste projecto o governo são-tomense, comprou 19 motorizadas de marca Yamaha 125, para diversos sectores da agricultura. Objectivo é aumentar a produtividade. Segundo Agostinho Fernandes, ministro do plano e desenvolvimento as motorizadas foram compradas com verbas do orçamento geral do estado.

Ramusel Graça

  1. img
    lino Responder

    simplesmente fantástico!

  2. img
    Mendes Tavares Responder

    Simplesmente Fantastico é saber como é que encontram a correlação positiva entre motos De 125cc com aumento da produtividade agricola. Essa foi boa.
    Explique melhor senhor jornalista.

  3. img
    De Longe Responder

    Pois continuem com este apoio aos camponeses e nao so apostando na agricultura.

    Um bem haja a todos.

  4. img
    lupuye Responder

    Espero que esses depositos estejam sendo feitos seguindo as leis da construcao quando nao poderemos vir a ter pbs serios mais tarde. Vejo o tipo de blocos que fazem em STP hoje em dia e sei que muita gente deveria apanhar surra por isso. Blocos que pego e desfaco com as maos sem ser preciso martelo. As casas construidas hoje em dia acabam por rachar aqui e ali por causa da ma obra dos que a fazem. E pena.

  5. img
    Celsio Junqueira Responder

    Meus Caros,

    Esta noticia vem provar duas coisas:
    1- A nossa agricultura mesmo que para o consumo interno, nao esta “moribunda”.
    2- Nem tudo, nem no Governo e muito menos no pais é mal feito ou de má iniciativa.

    Para além desses dois aspectos importantes para o cidadao interiorizar, deve-se acrescentar que o numero dois do Ministerio do Plano e do Desenvolvimento, tem uma declaraçao que rompe com os “canones” da oralidade governativa nacional. Saudo a sua condenaçao, e espero que o espirito contagie os outros Ministerios e seus pares.

    A Agricultura deve e é um imperativo para o Desenvolvimento. O Estado deve ser “facilitador” e “congregador” de iniciativas. Congratulo o Governo por mais esse “gesto”.

    Só um senao, nao entendo as “motorizadas” no cenario agricola. Existem maquinas que sao multifacetadas para as diversas actividades agricolas, porque nao adquiri-las?

    Saudaçoes

  6. img
    Mário Fonseca Responder

    Eu conheço muito bem toda a roça Pinheira. A minha mãe tem um lote onde nós cultivávamos milho e agora somente mandioca. De facto a nossa área já tem água canalizada pronta para rega. Mas o grande pecado disto tudo é que não sabemos a cultura que vamos produzir! A quem vamos vender, qual o acompanhamento técnico. E vê-se que todos os pequenos agricultores que ali labutam fazem-no por gosto simplesmente. Não existe nenhuma motivação! Neste momento temos muita mandioca e não temos quem as compra. No meu ponto de vista penso que não existe qualquer política neste área. E é como tudo neste país. O governo faz coisas e depois atira-se para quem queira se apropriar delas! E cada vez que vou ao lote da minha mãe onde eu próprio trabalho com as minhas próprias mãos, vejo água que o Estado colocou à disposição dos camponeses a jorrar para chão. Porquê? Porque há um furo e ninguém se dá o trabalho de as vedar. Mas é o investimento que o Estado irresponsável faz nestas ilhas. Pois não existe ninguém com responsabilidade sobre a manutenção destes bens. O grande defeito de nós santomenses até não é fazer coisas, mas sim cuidar delas uma vez feitas!

    Muito Obrigado!

  7. img
    Edgar Faustino Responder

    Realmente a aquisição de motorizadas,está muito mal explicada, pois não se relacciona com o projecto de rega nem com a diminuição do desemprego no sector.
    Deveria haver um melhor esclarecimento para elucidar a opinião pública.

  8. img
    São-tomenses Responder

    Gostaria só de acrescentar que esta é a boa iniciativa por parte do governo, mas espero que essas hortaliças não tenham o produto químico ou seja não ser cultivada com o “dito adubo”.
    Porque da mesma forma que esse produto tóxico faz crescer planta rápido e more também rápido, é a mesma forma que faz crescer o homem rápido e mata também mas rápido o homens.
    conselho de amigo, por isso podemos apostar numa agricultura natural.

  9. img
    Madalena Responder

    STP tem todo tipo de clima. De mega termico a Arido, por isso podemos ter todas as culturas em todo ano, falta-nos planeamento.

  10. img
    Madalena Responder

    Ensaio de arroz com muita produtividade, ja foi feito em Roça D. Augusta. Por isso como temos ma memoria, e por amnesia tomou conta da gente, podemos reescrever a historia.Até trigo que diziam que so vegetava e não dava grão deve ser investigado.
    “Temu lizo”

  11. img
    DrºChiquinho Cabral Responder

    Esta iniciativa do governo em construir diques(reservatórios de água).no meu ponto de vista deverá ser acompanhada de outros projectos, em particular na area de transportes, permitindo a evacuação dos produtos e aprovisionamento rapido do mercado.

  12. img
    Higino Costa Responder

    É um dos muitos passos que serão necessarios para lançar a base para um desenvolvimento sustentado,pois como sabeis a agricultura é a base para qualquer país que pensa no desenvolvimento, no entanto fica ainda por fazer o mesmo para a região de mouro peixe ,fernão dias; sobritudo a elaoração e publicação de um mapa topoclimatico de forma que os técnico e agricultores possam seber os cultivos que melhor se adpata as sua regiões

Deixe um comentario

*