Empresários de São Tomé e Príncipe e Cabo Verde pretendem dinamizar relações comerciais

Empresas são-tomenses e Cabo-verdianas pretendem incentivar as trocas comerciais entre os dois países. Prova disso mesmo é a assinatura do protocolo de cooperação entre as câmaras de comércio e indústria dos dois países.

Paulo Lima, Presidente da Câmara do Comércio e Industria de Sota Vento, considerou o protocolo assinado em São Tomé com o seu homólogo são-tomense Abílio Afonso Henriques, como oportunidade única para os empresários dos dois países dinamizarem as relações comerciais.

A nível da agricultura os dois países já assinaram acordo para exportação de produtos agrícolas são-tomenses para abastecimento do mercado cabo-verdiano. O sector privado dos dois países, admite para breve a abertura da ligação marítima entre os dois arquipélagos, para consolidar as relações comerciais.

Abílio Afonso Henriques, garantiu que os dois países têm produtos que podem satisfazer os dois mercados, através da parceria privada. Da parte de Cabo Verde, Paulo Lima, prometeu esforço do sector privado cabo-verdiano para investir em São Tomé e Príncipe ou fazer negócios em parceria com os empresários são-tomenses.

O protocolo de cooperação entre as duas instituições do sector privado foi assinado na sede da Câmara de Comércio, Indústria, Agricultura e Serviços de São Tomé e Príncipe localizada no edifício do Cinema Marcelo da Veiga.

Abel Veiga

  1. img
    Ribeira Formiga(Principe) Responder

    Não conseguem dinamizar transporte de bens e pessoas entre as ilhas do Principe e São Tomé, como pensam fazer com Cabo Verde?

  2. img
    Nikilay monteiro Responder

    Bom protocolo;mas é fundamental a ligação maritmia.

  3. img
    António Martins Gomes Responder

    …uma grande notícia!ou uma propaganda! A necessidade sentida pelas nações em promover, entre elas, trocas comerciais de mercadorias reveste um fenómeno tão antigo quanto a memória da vida em sociedade adoptada pelo homem. Em todo o caso, parecem remontar ao período da Idade Média as primeiras notícias consistentes relativas ao fenómeno em apreço. É nesta fase da história dos povos que temos hoje conhecimento sólido da necessidade de permuta de produtos da mais variada espécie (…). Para elucidar-dinamizar relações comerciais, pressupõe,no mínimo, os seguintes:adoptar os dois países de instrumentos de políticas em matéria de comércio bilateral; reconhecer nos dois países as infra-estruturas adequadas (portos e aeroportos);troca de itens comerciais especializados que constitui uma base importante do sistema e Dimensão Mínima Óptima (o mercado). Não nos devemos esquecer que o sistema comercial é valorizado tanto pelas mercadorias que supre como pelo sistema de interdependência que estabelece.

Deixe um comentario

*