Ministro das Obras Públicas anuncia entrada para breve de nova operadora de telecomunicações

Com cabo submarino nas mãos, o Ministro das Obras Públicas, Carlos Vila Nova, que tirou casaco para puxar o cabo submarino, esta terça feira em Praia Melão, localizada cerca de 3 quilómetros da capital, anunciou para primeiro semestre de 2012 a entrada no mercado nacional de uma nova operadora de telecomunicações.

O mercado nacional de telecomunicações foi liberalizado, desde o ano 2004, mas até agora nenhuma operadora entrou no mercado para concorrer com a CST. A chegada do cabo submarino esta terça – feira ao país, trouxe incentivos para a concorrência no sector das telecomunicações.

Carlos Vila Nova, que despiu o casaco para puxar o cabo submarino na comunidade piscatória de Praia Melão, fez questão de anunciar que o monopólio do mercado das telecomunicações, está aprestes a terminar. «Temos que ter em conta que neste momento São Tomé e Príncipe tem um único operador e a vinda do cabo vai nos permitir alargar o leque», assegurou o Ministro.

Acrescentou que o governo está a trabalhar no sentido de criar as condições para contratar uma nova operadora de telecomunicações. «Já decorrem trabalhos para permitir a entrada de um segundo operador, tudo indica que até finais do primeiro semestre do próximo ano, teremos a entrada em acção de um segundo operador. Vai ser feito por concurso público», sublinhou.

Possibilidade de concorrência real no mercado nacional, que não assusta a CST. «A concorrência correcta de acordo com a regulamentação é bem-vinda. Temos de aceitar e não tememos a concorrência. Temos respeito pela concorrência. O nosso trabalho é olhar para os nossos clientes. A CST é um operador que tem investido e tem desenvolvido o sistema», declarou José jardim, administrador delegado da CST em São Tomé e Príncipe.

Abel Veiga

  1. img
    Ramos Dias Responder

    Melhor tarde do que numca,pelo menos minimiza o monopolio e a exploração da CST aos seus clientes.

  2. img
    Antonio Santos Responder

    CST tem nvestido em STP. Muito engraçado. Pois, nos contentamos com migalhas e nada de fundo. Sera que estamos meso bem com a CST. Com os custos praticados, quem andou a enriquecer, quem ficou mais pobre. Bom, muitos politicos não gostam deouvir isso.

  3. img
    ESMERALDA Responder

    BOM SINAL

  4. img
    rapaz de riboque Responder

    muito bem é o que temos falta também só espero quw não apareçam ca comentários a criticar e a falar mal como é uso da nossa gentinha

  5. img
    Paracetamol 500mg Responder

    O José Jardim não explica por que motivo não se consegue ligar de certos países para stp. Ele tem que explicar essa situação. Qual o problema técnico existente que desvia a chamada para a rede erótica…

  6. img
    António Nunes Responder

    A CST investiu tanto, que a rua que está a frente do seu edificio comercial, está transformada em terra batida amontuada de britas.
    A CST investe tanto que está no edificio dos correios construído à século.
    A CST investe tanto que o seu edificio comercial ao lado do posto médico de`´Agua Grande, até parece uma daquelas barracas de contentor.
    Porque é que a CST não cópia o Banco AFRIKLAND, que em menos de cinco anos de intalar no país, construiu um edificio digno de investimento.
    A CST deve estar a investir talvez em Portugal, porque em S.Tomé não se vê. O que se vê, é que uma chamada de alguns segundos, desaparece cerca de cinco mil dobras, isto é 1/4 de dólar.
    Deveriam ter vergonha
    Se estivessem na Europa ou num país da America Latina, e com o monopólio que têm tido e a massa que fazem anualmente, aí sim seriam obrigados a investir e não a enganar o povo com alguns telemóveis da última categoria e algumas camisolas.
    Quem de direito não diz nada, porque estão a defender os dois mil euros que rcebem mensalmente no Conselho de Administração.
    Assim vão enganando o povo

    • img
      luisó Responder

      àcerca:
      - se os passeios em frente estão em terra batida devia era mandar um email de queixa ao presidente da câmara kiney ou não;
      - a CST não é nenhum banco para construir um edificio porque o dinheiro da CST tem fiscalizadores o mesmo não se passa os bancos em STP que não se sabe de onde vem o dinheiro, nem os investidores nem para onde vai, às vezes é só para lavar dinheiro;
      - se o mercado em STP fosse muito rentável, o que não é concerteza, aí poderiam fazer-se mais coisas, mas se até o governo não tem dinheiro como vão ter estes…

    • img
      Voz da razão Responder

      Meu caro António Nunes

      Estou plenamente de acordo consigo e digo mais. Se em STP a defesa de direito do consumidor estivesse em “funções” como a DECO em portugal ou se houvesse um istituto de certificação de qualidade, a CST estaria proibida de vender telemóveis, porque não se pode aceitar que uma companhia considerada de bem, venda telemóveis falsos à população com objectivo apenas de atingir o n.º de clientes desejado. Marketing faz-se mas isso é enganar os consumidores.
      Que seja bem vinda a nova operadora!

  7. img
    Carlos Ceita Responder

    Obviamente que outros itens como agricultura, pesca, energia, turismo e petróleo são importante para o nosso desenvolvimento. Mas não podemos menosprezar este investimento. Investir no conhecimento no acesso rápido a informação na era da sociedade de informação e desenvolvimento é dar sempre um passo a frente para o progresso e para a modernização. Felicito o actual governo pela concretização da obra e como é logico o anterior governo também teve o mérito de ter apostado nesta importante infraestrutura.

  8. img
    Gé Borges Responder

    Só tenho a dizer FELICIDADES STP
    BEM HAJA O NOSSO PAÍS

  9. img
    Anca Responder

    Muito bem

    Modernização da estrutura do país(território/população), com ganhos para reias para a economia e finança nacional, que deve ser de uma forma sustentável, com bases solidas para o futuro.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  10. img
    Voz da razão Responder

    Somos sempre os últimos em tudo. Mas ainda assim antes tarde que nunca. VIVA STP

  11. img
    Até quando nosso São Tomé e Príncipe Responder

    Excelente trabalho do CST.
    Hoje não se pode mover o pais com a internet que temos em São Tomé e Príncipe. O grande problema do nosso pais é sem duvida os esquemas que as pessoas fazem por de traz dos balcões de atendimento ao publico. Informações de dados ainda em papel não proporciona nenhum tipo de controle. Precisa-se implantar sistemas de controle de tudo, principalmente de pagamentos nos sectores públicos do pais e centralizar todos eles ao Banco, seja ele publico ou privado. Não se pode continuar a admitir que cada um faça do sector publico a sua fabrica de fazer dinheiro.

    Implantar sistemas de controle sem internet de qualidade é impossível.

  12. img
    luisó Responder

    duvido muito seriamente que haja mercado para outro operador, a ver vamos…

  13. img
    XXX. Responder

    ESPEREMOS QUE ESSE ANUNCIO NÃO FIQUE SÓ PELA CONVERSA FORA COMO O QUE ACONTECEU COM O DO “PORTO DE AGUAS PROFUNDAS”.

    ESPEREMOS QUE SEJA MESMOS VERDADE!!!

    SERIA MUITO BOM PARA STP…

  14. img
    Coisas & Lugares Responder

    Sabiam que:A Critica faz parte da essencia humana, desde que ela seja construtiva.Criticar para melhorar os nossos comportamentos,a currigir em grande rigor da palavra para apreendermos inovar,reinventear e por conseguinte evoluir faz bem.Ninguem critica por criticar! A critica mesmo que seja avulça ajuda a despertar, faz crescer e aponta o caminho para evitarmos de repetir sempre os mesmos erros.Há quem diga na nossa giria que, se não formos criticados é porque não estamos a viver neste mundo e quando se trata de coisa política ou coisa pública, maior é ainda a critica e o grau de responsabilidade.Quem não quer ser lobo não veste a pele.É preciso saber lidar com as criticas,com o olhar de aviso, com o reparo de um amigo, etc,etc…Coisas & Lugares está ciente disso e sabe criticar, quando é para criticar, aplaudir quando é para elegiar, e dar um surriso rasgado ou bater palmas. Congratulo-me e é de louvar a iniciativa.Entretanto, não canço de insistir na necessidade de existir projectos de sustentabilidade nos sectores terciários.Ex:Apostar na criação de mais postos de trabalho,o surgimento de mais fabricas, na agricultura, no sector das pescas, no cemercio e no turismo,medidas essas, capazes de gerar riquezas e trazer mais qualidade de vida a nossa juventude e as populações em idade activa.Estou a falar de iniciativas privadas,da empregabilidade,de incentivos para as empresas, do empreendedorismo,das parcerias publico-privadas, de aposta numa política de economia social mais forte,onde a solidariedade social seja um facor de crescimento,de ordenamento do território,favorecendo assim o Urbanismo c/ habitações mais condignas c/ zonas verdes e c/ mais infra-estruturas sociais,da descentralização,das reformas da adminstração pública e do sector da justiça de modo a permitir o combate ao inimigo público de qualquer sistema de estado:”A Corrupção”, da moralidade do estado e da classe política, boa governação, entre outras “REFORMAS PROFUNDAS”.Porque o estado não tem onde crescer mais.É disto que se trata para alavancar o País e claro sem excluir acções como estas.O Governo deve começar a dar sinais positivos nesta direcção. De qualquer forma, há que dar mérito a quem merece,tendo em conta que ferramentas como estas contibruem para o desenvolvimento do País.Acredito que passo a passo lá chegaremos. O País está de parabens. Fica a minha menção honrosa para este Governo!Coisas & Lugares.

  15. img
    Digno de Respeito Responder

    Concordo com o comentário do senhor António Nunes e complemento qustionando:

    - Alguém aqui poderá explicar o serviço/desvios para a linha erótica no nosso País?

    - Se existe a linha erótica ao serviço público em STP, quem estará ou ganhar com esse serviço?

    - Para onde vai o dinheiro proveniente desse suposto serviço activo/desactivo no País?

  16. img
    Santomista Responder

    Pois, se investiram 100.000,00 euros o lucro deve ter sido de 1.000.000,00 euros. Então não fala disso como se fosse um favor que vocês nos têm feito. Pelo contrário, a CST tem vindo a explorar o povo Santomense com preços altos e péssima qualidade de serviço.
    Que seja bem-vinda a concorrência e que o monopólio feudalista da CST acabe já.

  17. img
    Pobre do Povo Responder

    Bem haja investimentos. Mas o governo deve ver tudo a sua volta. deve dar uma olhadela nos seus Ministérios. O das Obras Públicas por exemplo. O sr. Ministro Vila Nova devia ter vergonha de ter como colaboradores alguns Directores. No caso concreto das da Direçóes de Obras Públicas e de Cadastro. Pergunto ao sr. Ministro o que estes dois Directores fazem nas respectivas Direcções. Perguntem aos utentes destes serviços.Nestes dois sectores existem a chamada “ENERCIA TOTAL” em prejuizo dos utentes. Pergunto a S.Exª e se tiver coragem responda: O Sr. não tem conhecimento das barbaridades que passam nestes sectores? Pois tem. O sr. é um colaborador destes males. Só sei é que alguns trabalhadores estão super aborrecidos com a situação e o público utente também, e é bom o sr. começar a
    agir.
    O conselho não doi a barriga

  18. img
    vava sovietico Responder

    muito positivo a entrada de outra operadora mas verdade seja dita onde estava esta dita ou estas ditas operadoras antes do cabo submarino? a 8 anos que o mercado é livre e so agora é que se interessam pelo nosso mercado?!!! abramos os olhos porque de certeza que vem fazer com que os preços disparem pois pode existir concorencia mas se não tiver uma fiscalização seria por parte de quem regulamenta nada feito,nem sempre a concorencia tras consigo a baixa de preços abraços.abraços

Deixe um comentario

*