Economia

São Tomé e Príncipe defende redução das despesas de funcionamento da Autoridade Conjunta

A proposta são-tomense foi apresentada a parte nigeriana na reunião do conselho ministerial conjunto realizada em Abuja. O orçamento da Autoridade Conjunta está avaliado em 12 milhões de dólares. Por causa da crise financeira internacional, São Tomé e Príncipe, considera que é preciso fazer cortes.

O orçamento da Autoridade Conjunta órgão criado pela Nigéria e São Tomé e Príncipe para administrar os recursos na fronteira marítima comum, deverá ser reduzido. A proposta apresentada por São Tomé e Príncipe, deverá ser aprovada em Março próximo na reunião extraordinária do Conselho Ministerial Conjunto.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros, Salvador Ramos que chefiou a delegação ministerial são-tomense, realçou a necessidade de se conjunto, marcada para Março de 2012, será aprovado o novo orçamento da Autoridade Conjunta.

Salvador Ramos, considerou que dos 4 blocos da zona conjunta adjudicados em concurso público, o bloco 1, sob intervenção da companhia francesa Total, dá melhores garantias de exploração de petróleo a curto prazo, enquanto outros 3, estão ainda em fase de estudo.

Abel Veiga

    7 comentários

7 comentários

  1. kua li

    26 de Dezembro de 2011 as 15:01

    Ok,estou de acordo quando dizem que o orçamento da Autoridade Conjunta está avaliado em 12 milhões de dólares. Por causa da crise financeira internacional, São Tomé e Príncipe, considera que é preciso fazer cortes.
    Mas este corte deve começar pelos orgãos de soberania sem excepção,ou se aplica a política de austeridade para todos ou não se aplica a ninguém! Isto sim é uma política e não politiquisse!
    As viagens constantes e frequentes dos membros do governo devem ser também cortadas! Deve-se privilegiar as viagens que trazem benefício para o País,para a nação e não benefício individual! Isto sim seria uma excelente política de austeridade! E não o que se vê por ahí como política de marginalidade e de abusividade!

  2. Horácio dos Santos

    26 de Dezembro de 2011 as 15:08

    Um bom caminho a percorrer, haver vamos.

  3. João Bosco Menezes de Pinho

    26 de Dezembro de 2011 as 15:57

    Será quue já pediram o relatório e contas dos exercioos anteriores? Ou só foram la receber cabazes de natal?. Cuidado o povo está a observar-vos. Salvador Ramos já não engana ninguém.Nem Pinto da Costa nem Trovoada, Nem Fradique muito menos o Dr. Patrice. Nós sabemos quem tu és… Ah ah ah ah

    • OLHO

      28 de Dezembro de 2011 as 3:37

      meu caro amigo , salvador eh dos poucos q ainda pode se dizer , que possui uma conduta ilibada nesse pais… pelos vistos nao conheces o seu país

  4. realista

    26 de Dezembro de 2011 as 23:20

    bla bla bla bla mais um pra povinho dormir enquanto o comboio vai passar.

  5. Anca

    27 de Dezembro de 2011 as 1:00

    É de enaltecer

    Pois que na altura de crise, mas ainda e sobretudo para um país(população/território), como o nosso, a contenção, o rigor, e o empenho deve ser a primazia das instituições e autoridades competentes.

    Pois que no passado já cometemos imensos erros, pela nossa maneira de ser estar e fazer, por não saberemos ou nunca querermos saber e saber fazer.

    O nosso lema transversal a toda nossa sociedade, em particular os cidadãos Santomenses, deve ser Unidade, Disciplina, e muito muito empenho e gosto, pelo trabalho árduo, de modo a invertermos a situação de miséria e pobreza extrema que assolam o nosso país(território/população), delinear-mos um caminho e rumo futuro de progresso/crescimento e desenvolvimento social/cultural, político, ambiental/económico e financeiro, salvaguardando a gerações tanto presentes como futuras, através de integração social infantis,juvenis,adultos e idosos, educação/formação de qualidade(primaria, secundária, básica, técnica e superior), na saúde, à nível de transporte e comunicação, integração no trabalho/emprego, no desporto e lazer, na segurança social(prestações e seguros sociais), acesso a tecnologias de informação, etc,etc…

    Bem haja

    Independentemente das cores políticas,

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem Santomenes

    Como diz o ditado;

    Nas costas dos outros vemos a nossa, deixemos de falar(fazer) mal uns dos outros, trabalhemos para mudar construir um país(território/população), moderno e desenvolvido e sustentável a nível social/cultural, político, ambiental, económico e financeiro.

    Pois assim todos os cidadãos Santomenses, independentemente, das suas paixões, credos, e cores políticas, sairemos a ganhar, como sociedade, como país(território/população) São Tomé e Príncipe.

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  6. Madalena

    27 de Dezembro de 2011 as 12:10

    So agora?
    Assim vão dar tempo aos prevericadores de aruinarem a coisa do povo.
    Sindicancia geral e completa em nome do povo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo