Economia

Rede de telecomunicações da CST na ilha do Príncipe alimentada com energias eólica e solar

É uma resposta da CST, à visão estratégica de desenvolvimento definida pelo Governo Regional do Príncipe, assente na preservação do meio ambiente. A nova estação que produz em simultâneo energia eólica e solar, alimenta a rede de telecomunicações da CST no Príncipe.

Com a produção de energias renováveis, para alimentar as unidades de telecomunicações instaladas na ilha do Príncipe, a CST acredita que a médio prazo o custo de exploração das telecomunicações no Príncipe vai baixar de forma acentuada.

Antes, a CST utilizava grupos autónomos de geradores para garantir os sinais das telecomunicações na ilha do Príncipe. A despesa com o gasóleo inflacionava o custo de exploração das redes de telecomunicações na região autónoma.

A primeira estação de produção conjunta de energias eólica e solar, custou a CST mais de 120 mil euros. Uma infra-estrutura que segundo a administração da empresa, vai de encontro a visão estratégica de desenvolvimento do Príncipe, definida pelas autoridades regionais. «A escolha da CST da ilha do Príncipe, não foi por acaso. Numa região onde se impõe a preservação da natureza, quis a CST assim contribuir com bons exemplos», declarou José Jardim, administrador delegado da CST.

O Administrador delegado da CST, garantiu aos dirigentes do Príncipe, que podem contar com a empresa no processo de desenvolvimento da ilha. O Presidente do Governo Regional disse que a CST interpretou e bem a visão estratégica de desenvolvimento que Príncipe escolheu. «Isso para nós é motivo de grande satisfação, porque se a CST interpretou bem a nossa visão estratégica de desenvolvimento cabe-nos a nós também sermos responsáveis para garantir o funcionamento desse sistema energético na ilha», frisou José Cassandra, Presidente do Governo Regional.

As novas tecnologias de comunicação e informação, também chegaram na última semana a escola secundária do Príncipe. CST em parceria com o projecto Escola + financiado pela cooperação portuguesa, instalou uma sala de informática no centro de ensino da ilha.

Note-se que há alguns meses a Praça Marcelo da Veiga no Príncipe, tornou-se numa praça digital, fruto da parceria entre o Governo Regional e a empresa de telecomunicações, CST.

Abel Veiga

    21 comentários

21 comentários

  1. cybordays

    2 de Maio de 2012 as 7:03

    «… Numa região onde se impõe a preservação da natureza, quis a CST assim contribuir com bons exemplos».

    Esta frase causa arrepios.
    O que se pretende com as outras regiões do nosso belo STP?

    • cybordays

      2 de Maio de 2012 as 15:10

      A frase causa arrepios no sentido positivo. Pelos comentários que se vão ouvindo, não era de esperar projectos com preocupações futuras a serem levados avante sem se limitarem a simples promessa.
      O compatriota José Cassandra como o presidente da Câmara de Mé-Zochi, já começam a surprender pela positiva.
      Continuem e nós vemos.
      Vivam o Bons folhos de São-Tomé e Príncipe.

  2. Fernando Castanheira

    2 de Maio de 2012 as 7:44

    Avante TOZE. Evite apenas o
    suborno por favor se for o caso.
    Obrigado

  3. C & C

    2 de Maio de 2012 as 8:25

    blefss

  4. Quem é a verdade?

    2 de Maio de 2012 as 9:22

    Quero dar os meus parabéns aos responsáveis da Região Autónoma de Príncipe na pessoa do Sr. Cassandra pelo trabalho desenvolvido na nossa ilha. Este é um passo muito significativo pelos diversos benefícios que advirão. Congratulação e saudação de S. Tomé aos benfeitores de Príncipe. Os grandes passos são preparados com as pequenas passadas.
    Bem-haja

  5. Bom Samaritano

    2 de Maio de 2012 as 10:16

    Antes de mais quer desejar meus parabes para os meus irmãos da ilha do príncipe, principalmente ao presidente Tó Zé Casandra.
    Com esse grande passo a ilha do Príncipe vai crescer,é motivo da minha alegria.Força Principe, em frente seremos vencedores.

  6. Gamboa Costa Larga

    2 de Maio de 2012 as 10:50

    O custo de manutencao desses aparelhos elioticos e solares sao alto, por isso nao acredito que isso venha reduzir o custo de exploracao das telecominucacoes de maneira acentuada.
    Mas pronto, haver vamos!

    • Minu yéé

      2 de Maio de 2012 as 17:19

      Já queres desmotivar a empresa?…. és tão pejorativo…..Gamboa Costa Lerga

  7. minu da ilha

    2 de Maio de 2012 as 11:11

    Meus amigos,
    Não quero ser pessimista, nem tão pouco, quero ser encarado como alguém que seja do contra, muito pelo contraio! Acho que deveríamos ter atenção a certos pormenores, antes de aplaudirmos algumas iniciativas, só pelo simples facto de haver investimentos.
    Governo regional, juntamente com a CST, deveriam antes de tudo, fazer um estudo aprofundado, de modo a saber se valia ou não apenas esse investimento na ilha do príncipe. Levanto essa questão, por simples facto de estarmos hoje com grandes problemas de acesso a TVS, quando chove. Agora aparecer mais essa! Ou seja, no meu entender, é que querem cada vez mais a ilha do príncipe mais insolada do resto do mundo, para não falar da ilha de s.tomé.
    Já vivemos problemas que vivemos, com isolamento de ligação entre as ilhas, com problema grave de TV quando chove, e agora surgi a vez da comunicação.
    Não entendo, como é possível que a CST faz um investimento dessa natureza, sabendo que a ilha do príncipe é uma ilha muito chuvosa e com pouco vento? E também não entendo como é que presidente do governo regional aplaude uma iniciativa dessa, sabendo que daqui mais uns dias estaremos com grandes problemas de comunicação!
    Espero que reflictam sobre esta matéria… porque já estamos fartos de ser enganados com ditos investimentos sem reias benefícios para povo… CST reduz os seus custos (que muito lhes interessas enquanto empresa), e povo paga as despesas, vivendo em desespero e frustração permanente…

    • Minu yéé

      2 de Maio de 2012 as 17:29

      Amigo se é que está interessado realmente em descobrir ou conhecer as realidades das coisas queria simplesmente lhe tirar a dúvida.

      Para a energia eólica não sei bem explicar porque não formei na área especificamente, mais não é necessário um temporal para fazer girar as pás da instalação, basta um vento de 5, 10, á 20 km/h é suficiente para dar energia.

      E quanto a energia solar também não precisa um sol 20 nem 30 graus basta a luz do dia existir que o aparelho capta e transforma em energia eléctrica.

      E nem um nem o outro não irá interferir com emissão porque não tem nada a ver.

      A emissão é uma questão a parte.

  8. cabo verde

    2 de Maio de 2012 as 12:41

    Espero que isto tenha impacto nos preços dos serviços da cst, isto é k mais interessa. significa que com esta medida os custos operacionais estão a baixar, logo temos que sentir os benefícios nos preços finais. CST TA EXPLORANDO ESSE POVO AO MAXIMO, TERÁ QUE HAVER CONCORRENCIA NESTE SECTOR.OS PREÇOS ESTÃO EXAGERADOS, PARA NÃO FALAR DA PÉSSIMA QUALIDADE DOS SERVIÇOS.

  9. Mimi

    2 de Maio de 2012 as 12:45

    A CST nao me convence! Talvez quando houver concorrência passe a ter outra opiniao.

  10. pické

    2 de Maio de 2012 as 17:34

    A cst não só vai vender o seu serviços de telecomunicações com também vai vender a energia para região do príncipe, pk só a cst não vai não vai conseguir consumir toda a produção de energia dos aerogeradores eólico (se for dos bons)…
    mas pronto é bom explorar os nossos recursos com externalidades negativa..

    • Mimi

      3 de Maio de 2012 as 8:21

      Nao tera a CST investido somente no necessario para fazer funcionar os seus equipamentos. Tera a CST sido tao generosa ao ponto de produzir tao mais do que precisa?

  11. N.C

    2 de Maio de 2012 as 18:28

    O desenvolvimento se faz com investimento e obras.Penso que a CST tem efectivamente investindo,gradualmente e progressivamente para o desenvolvimento das telecomunicacoes no pais,e essas energias renovaveis e um exemplo disso
    Sendo a CST um operador economico,no ambito das atribuicoes e participacoes Socias que as Empresa propocionam ao estado,a CST junto a Emae,O Governo Central e Regional,nao poderiam aproveitar essa onda de envestimentos nas energias renovaveis,barata e nao poluidoras de forma a abastecer a populacao?Acredito mesmo que a Emae ficaria a ganhar se optar por essa via do que a dos combustiveis

  12. janilza lima

    3 de Maio de 2012 as 10:41

    que bom assim já sei que não ando a formar em energias renovaveis sem motimo.

  13. Argenezio Antonio Vaz

    3 de Maio de 2012 as 15:49

    Muito bem, agora os comentarios que não agradam, são pura e simplesmente limpados. Muito bem continue assim. Volto a dizer, mesmo que não agrade a muitos, mude a foto, pois estão a enganar o povo, com fotos bonitas.

    • mosssad

      3 de Maio de 2012 as 20:02

      Concordo plenamente consigo quando dizes que os comentarios que nao agradam ao Abel veiga nao sao postados no forum. Gostaria de frisar mais uma vez .

      Qual a razao da sensura nesnte forum?
      Sera que os santomenses nao podem exprimir o seu descontentamento livremente?

      ou sera que temos que tomar outrs medidas mais serias para que acabem com asensura no forum?

  14. mosssad

    3 de Maio de 2012 as 20:00

    CAro Toze … a Energia Eolica e ecologia sim..mas tambem distroi a paisagem… entao cuidado com o numero de turbinas que vao colocar porque ate pode ficar a parecer a selva de Helices no mar ou outro local qualquer em que forem instalados.

  15. beny sacramento

    6 de Maio de 2012 as 19:09

    ninguem, querem esta ilha bem: so querem assim para disfurtarem como quer ja estamos farta disso forçab To Cassandra abraços para todos, do principe

  16. beny sacramento

    6 de Maio de 2012 as 19:14

    pomba braca,, dores de curtivelos,o nossa ilha do principe vai sair,desta enbrulhadas que esta-mos è so dores do peito obrigada TO Cassandra força

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo