Governo promete produzir 250 toneladas de carne de porco nos próximos anos

No quadro do projecto de segurança alimentar financiado por Taiwan, no valor de 10 milhões de dólares e por um período de 6 anos, o Ministro Agostinho Fernandes, garantiu que o país vai produzir 250 toneladas de carne de porco, e dezenas de toneladas de outros bens alimentares.

O Ministério do Plano e Desenvolvimento, está a dar sinais fortes que visam o arranque da produção agrícola e pesqueira no país. O Ministro Agostinho Fernandes, que lançou o novo programa de segurança alimentar com financiamento de Taiwan na ordem de 10 milhões de dólares para os próximos 6 anos, projectou o aumento da produção alimentar, a partir de 2013. «No domínio da suinicultura o que se prevê é a produção de aproximadamente 252 toneladas de carne de porco o que vai necessariamente melhorar a dieta alimentar dos santomense», precisou o ministro.

50 criadores de porcos já estão seleccionados, ao mesmo tempo que na Roça Nova Olinda funcionará a principal unidade do projecto de produção de suínos.

Agostinho Fernandes, já fez também as contas de outros produtos alimentares cuja produção deverá aumentar nos próximos anos. «Vamos produzir cerca de 5 mil toneladas de milho, 1160 toneladas de batata-doce, 5100 toneladas de mandioca, 2150 toneladas de matabala, e 750 toneladas de soja. Tudo isso vai se desenvolver em cerca de 120 hectares de terra disponível e vai beneficiar mais de 621 pequenos agricultores», explicou o ministro.

Cerca de 226 comunidades agrícolas estão envolvidas no projecto de segurança alimentar.

Ainda na passada sexta – feira, o jurista que dirige o sector da agricultura, deu mais um importante sinal, na política de segurança alimentar e de aumento da produção interna. Na comunidade piscatória de Santa Catarina no norte de São Tomé, Agostinho Fernandes, testemunhou a assinatura do contrato que vai permitir a abertura de uma linha de micro crédito a favor dos pescadores e palaiês (vendedoras de peixe), no valor de 200 mil euros.

O BGFI – Bank, unidade bancária de capital gabonês, vocacionada para o investimento, garante a linha de financiamento que vai permitir a aquisição de motores fora de bordo, e canoas do tipo PRAO, para os pescadores da zona norte de São Tomé.

Segundo o Ministro o Governo vai assumir os juros do crédito.

Sónia Lopes

Notícias relacionadas

  1. img
    JOSE CARLOS Responder

    Força Dr. Agostinho Fernandes é disso que este povo precisa, sei que você não defrauda as expectativas que em si foram depositadas….

  2. img
    País da treta Responder

    “Segundo o Ministro o Governo vai assumir os juros do crédito” Pois o banco é de Patrice logo povo paga tudo, juro será pago pelo povo a favor dos negocios de senhor Patrice!

  3. img
    jacarando Responder

    A imagem / noticia.
    Sao porcos ou vacas?
    deixem de truquis.

    • img
      nô molê Responder

      Governo promete…? espero ver cumprir!

  4. img
    Joker Voz do Povo Responder

    A minha tristeza nisso tudo é que só seleccionam militantes do ADI. Pequeno agricultor que não é do ADI, não é são-tomense?! Mas de qualquer forma meus parabéns Agostinho.

  5. img
    Carlos Ceita Responder

    Muito boa noticia caso venha a ser concretizado. Ainda assim parabéns ao Governo.
    Já é tempo de começarmos a aprender a pescar ao invés de receber peixe.
    Espero que o Governo não fique por aqui e avance na criação de gado bovino para a produção de leite e crie condições para instalação de uma industria alimentar no país.

  6. img
    n.monteiro Responder

    já ‘e um bom passo , mas temos que apostar também na criação de vacas leiteiras, por forma a produzir leite e carne o que julgo eu ser mais saudável para saúde do que carne de porco.

  7. img
    ze_agricultor Responder

    Vamos produzir cerca de 5 mil toneladas de milho, 1160 toneladas de batata-doce, 5100 toneladas de mandioca, 2150 toneladas de matabala, e 750 toneladas de soja. Tudo isso vai se desenvolver em cerca de 120 hectares de terra disponível

    Ora vejamos tudo isto somado dá 14.000 toneladas, o que associado aos 120 hectares mencionados dá um rendimento de 116 toneladas de produto por hectare cultivado.

    Isto é uma coisa fantástica, pois passaremos a ser o país mais avançado do mundo em termos de cultivos.

  8. img
    Bodon Kulu Responder

    Muito bem.já não era sem tempo. Pode ser que assim deixemos o gato em paz e sossego. Credo!

  9. img
    Ludmilo Tiny Responder

    Cara Jornalista Sónia Lopes,

    Permita-me dar os sinceros parabéns pela clareza e simplicidade de linguagem com que redigiu a notícia.

    Todavia, gostaria de notar que o título da notícia parece transmitir uma ideia diferente da que vem explicitada no desenvolvimento. O Governo não pode, porque não deve “produzir 250 toneladas de carne de porco nos próximos anos”. Humoristicamente, dir-se-ia que tal coisa só podia ser possível na Coreia do Norte do famoso “Dear leader”, onde não há mercado, não há propriedade privada, enfim…

    Repara que diz algures no texto que “50 criadores de porcos já estão seleccionados”, o que nos faz crer que serão estes os produtores da carne. Embora se saiba que foi o Gov. quem desenvolveu o esforço para obtenção de financiamento, é pouco rigoroso afirmar-se que este produzirá a carne.

    O Gov. já se preocupa – muito estranhamente diga-se -com a importação de arroz, sabão de lisboa, caldo de galinha, pastilha, pasta de dente, etc. Se se aventurar na produção de carnes, non molê!

    Se me pedissem para escolher um título para a notícia em apreço, diria, ainda na linha da sua opção jornalística e recorrendo às suas palavras, o seguinte: “Governo apoia a produção de 250 toneladas de carne de porco”, ou então, “Taiwan financia a produção de 250 toneladas de carne de porco”.

    Deixo este reparo, sem, contudo, tirar o mérito do trabalho que efectuou. Suponho que tenha mais dados sobre este assunto, mas soube escolher e destacar aqueles que realmente nos interessam a nós leitores.

    Grato.

    Saudações respeitosas.

    Ludmilo Tiny

  10. img
    A chave Responder

    Vc esta a falar de porcos mas a foto é de vacas.

    Mas é uma boa noticia.

  11. img
    Telavive Responder

    E o problema de fábrica de mandioca em Margarida Manuel. Já pronta e que nunca funcionou. A continuar assim, não será um mau exemplo?

  12. img
    Xuna Baby Responder

    Kua sé sa ploco mé? Ploco ku chifre! Goveno sé ska gana non tan!

  13. img
    ANCA Responder

    Muito bem

    Necessário, torna-se desde já, efectivar, organizar, planear, investir, em matadouros, talhos, certificação dos processos de criação de porcos, investir na certificação da garantia de qualidade da carne de porco produzida, através da fiscalização, denominação de origem, selo de garantia, garantir a qualidade das culturas agrícolas, garantir o escoamento no mercado interno, sensibilização/formação de qualidade, de gestão para a sustentabilidade e futura, do projecto “segurança alimentar”,no País, que deve ser extensível a todos os Distritos e a Região Autonóma.

    Investir nos Mercados Abastecedores Distritais e Regional

    O conceito de Mercado Abastecedor, implica um espaço, uma infraestrutura, com a dimensão do Mercado Feira de Ponto, onde o Productor Agricula Distrital/ais, dispõe de infra-estruturas, de frio, para a preservação e conservação de seus productos, de um espaçõ de venda para conservar/escoar sua produção, para os retalhistas e feirantes, numa determinada hora do dia.

    Por exemplo;

    Se se produzem durante o dia vendem durante a noite aos feirantes e retalhistas, para que estes por sua vez, no dia seguinte venderem no mercados municipais.

    Estruturar o sector agricóla, o sector da pescas e Mar, o sector da Pecuária, para que jamais caíam em declínio e abandono.

    Sempre de modo á garantir, á sustentabilidade ambiental, e a viabilidade da qualiadade e quantidade, da produção agricóla nacional, bem como o progresso e modernização dos processos de produção local, distritais, regonais e nacional, no seu todo.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençõe São Tomé e Príncipe

    Bem haja

  14. img
    Respeito Responder

    Olha à informação é boa, mas o grande erro jornalistico, na escolha da foto, põe em causa à credibilidade da noticia.

  15. img
    pagagunu Responder

    Força, este governo tem tocado no ponto, ou seja a necessidade de produzirmos mais , no lugar de creditos populistas sem qualquer impacto na economia, como era habito. penso que a aposta em pequenos ruminantes deveria ter sido tomada em conta ,pela sua rapida multiplicação e baixa exigencia alimentar. outrosim devemos começar começar a pensar na produção avicula…

  16. img
    Brigadero Responder

    eu diria que a foto não diz nada, o conteúdo é que nos interessa… como disse o Ludmilo Tiny, Se me pedissem para escolher um título para a notícia em apreço, diria, ainda na linha da sua opção jornalística e recorrendo às suas palavras, o seguinte: “Governo apoia a produção de 250 toneladas de carne de porco”, ou então, “Taiwan financia a produção de 250 toneladas de carne de porco”. Ao em vez de (Governo promete produzir 250 toneladas de carne de porco nos próximos anos)
    Bem haja a todos,,,,,,

  17. img
    alexandre Pinto Responder

    e tem frigorifico para guardar essa carne toda? se nao tiver vai apodrecer tudo… para mim e tudo tao pouco preparado que da ate medo … o que vao fazr com o coco desses animais todos? cada vaca bota 5 kg de coco por dia… cada porco cerca de 4 kg… sera que planejam jogar tudo no mar?
    um projeto desses para funcionar precisa de ter o aproveitamento das fezes dos animais, senao vai ser impossivel limpar tanta caca… como e possivel que ninguem pense em energia eletrica… se tem bosta de vaca e porco , pode transformar em energia eletrica, ganhar dinheiro com os creditos de carbono, gerar energia , produzir gas metano para alimentar geradores eletricos e fogoes (evitando o desmatamento)… quem quiser saber mais eu explico … so perguntar… fico estupefacto ao reparar que quem esta governando STP nao faz ideia do que esta fazendo e possivelmente nem sabe o que fazer ou onde quer chegar. triste ne?

Deixe um comentario

*