Economia

Cortes e mais trabalho para enfrentar a crise

O Governo apela a todos os são-tomenses no sentido de pegar na enxada para PLANTAR e consumir os produtos nacionais. Anunciou também novas medidas de contenção das despesas. O executivo antevê que a crise financeira internacional provocará choques mais duros para economia nacional a partir do próximo ano.

Cortes nas despesas suportadas pelo Estado, é a principal medida adoptada pelo Governo. Reunido em Conselho de Ministros, o executivo decidiu reduzir em 15 % todos os subsídios atribuídos aos membros do governo e que são calculados fora do salário.

Despesas com telefone também são cortadas. O Governo impôs um tecto máximo «para o serviço móvel e telefone de todos os titulares de cargos públicos e especiais suportados pelo orçamento geral do estado», refere o conselho de ministros.

Cortes também em 10 % nos gastos com os combustíveis. Apenas os sectores da Saúde, Educação, Defesa e Segurança Pública, estão isentos.

O Conselho de Ministros da última semana, acrescentou ainda que o governo vai «aplicar de modo estrito os dispositivos da lei 5/91 particularmente no que respeita aos honorários dos ex-dirigentes e os seus direitos e regalias incluindo as despesas com água e electricidade.

Para enfrentar os choques do próximo ano, o executivo lançou uma veemente exortação a todo o povo de São Tomé e Príncipe. «O venerando conselho de ministros, exorta todo o povo a cultivar cada pedaço de terra disponível e a fazer do consumo massivo dos produtos locais uma realidade para que possamos vencer a crise».

Abel Veiga

    34 comentários

34 comentários

  1. francisco Santos

    24 de Setembro de 2012 as 10:58

    Esses cortes tem de passar pelas alfandegas muita dinhora entra e é mal distribuidos, os altos funcinários estão aviver bem com várias casas, têm tanto dinheiro que tem de construir para não colocar no banco…isso não pode ser, enquanto o povo chora par comer um pão…dviam demitir tambem a Directora desse sector. A Justiça não funciona e tam bém rola muito dinheiro por la, épreciso atacar os tribunais, e fazer parar a distribuição desse tal “bolo” ou então canalizar essas somas para outros fins…Quanto ao PSTJ em abril irá para casa.
    Cortes sim, mais em sectores onde a receita é grande e mais trabalho em vez de passarem a vida nos cafés da praça!

  2. original

    24 de Setembro de 2012 as 11:21

    Não é 1ª vez que oiço isto o que é certo é que nunca se aplicou na prática e cortes devem começar de cima para sensibilizar quem está em baixo e outro problema é que o bolo é dividido entre 10 a 15% da população e o que chega cá em baixo é só lixo.Quem dá cabo das receitas do Estado com mordomias,viagens fantasmas
    remunerações fora de controle,saco azul etc,é o povo? Só uma pessoa gasta o que 100 indivíduo não consegue gastar qual receita que aguenta? Organizem-se lá em cima que terá impacto cá em baixo.

  3. Helmer

    24 de Setembro de 2012 as 11:24

    Antes tarde que nunca… parabéns!

  4. Hector Costa

    24 de Setembro de 2012 as 11:35

    Muito bem!

  5. NOKIA

    24 de Setembro de 2012 as 11:41

    O PT manda plantar, faz cortes para poupar dinheiro para conseguir viajar mais e esbanjar mais. Gostaria de perguntar ao seu PT, que ganhos o país terá com a sua visita a Alemanha? O país podia ser representado somente pelo Felisberto Segundo o recém patenteado bricadeiro. S.Tomé seria muito bem represntado pelo brigadeiro. O Sr. PT, só quer é viajar e depois vir anunciar cortes, quando sabemos que tudo isto é mentira. Os ministros , os colaboradores mais chegados ao Sr. PT, os seus lambebotados e informadores têm subsidios extras e sem limites. A maioria da população não sabe disto!

  6. eu

    24 de Setembro de 2012 as 11:41

    Agora sim. Vou votar em si. Mas o senhor fala e fala mas tudo fica no papel. Olha a questão das viaturas do estado, todas já circulam a noite. Portanto não acredito muito nas suas promessas. Frente que é caminho estamos consigo, porque pelo menos o senhor tem corragem de anunciar, os outros nem o faziam.

  7. Justo

    24 de Setembro de 2012 as 12:31

    não isso é uma brincadeira eu ja cheguei a ouvir os nossos economistas a dizerem que essa crise não nos atingia pois é de europa e estava sustentada nos sectores bancário que tinha a economia sustentado no sector imobilhario, então afinal ja nos ta a tocar muita ingenuidade Sr. primeiro ministro não deve so cortar na despesas mas tb deve propor medidas de criação de emprego e controlar o défice.

  8. LEVE-LEVE

    24 de Setembro de 2012 as 12:41

    Caros compatriotas,
    Não vejo vosso comentário qdo o Governo toma uma boa medida. Isso é mau.
    Não gosto muito de algumas figuras desse governo, mas adoro muito essas medidas de contenção das despesas públicas.

    Somos pobres e vivemos de ajuda externa. Temos que trabalhar mais.

    Caro Dr. Patrice Trovoada,
    Acabe por favor com a semana Inglesa e estenta o horário de trabalho para as 16 horas.
    Se o Senhor não sabe eu tenho o prazer de o informar que não se trabalha no sector Publico a tarde em São Tomé e Principe.

    Pela pátria e pela independencia financeira.

    Obrigado

  9. Mimi

    24 de Setembro de 2012 as 12:55

    Esta devia ter sido tomada ha dois anos atras. Perdeu-se muito tempo a ir e vir do estrangeiro, enganar os seus eleitores com promessas falsas e descabidas quando a olho nu se sabia que nao ia haver milagres. Finalmente, ao cair na real (so agora?), o governo manda o povo trabalhar.

  10. verdade

    24 de Setembro de 2012 as 13:24

    parabens.gostei…

  11. Passos Trovoada

    24 de Setembro de 2012 as 13:32

    Agora vai ser preciso o governo levar essa ideia à prática.

  12. Fernando Castanheira

    24 de Setembro de 2012 as 14:04

    Gracas a Deus. Falta a pratica

  13. Antonio Gonzaga

    24 de Setembro de 2012 as 14:08

    Agora sim, há muita gente neste pais que não trabalha. Precisam saber que para comer devem trabalhar. antes tarde do que nunca.

  14. abuso

    24 de Setembro de 2012 as 14:17

    É preciso governo fale com garantia baseada em números e ter visão o país real seguir o seu programa. Eu esperava ouvi algo os últimos anúncio feito do primeiro-ministro sobre o porto de água profunda, a loja do povo, arroz de Japão mais barato isso sim (Isso tudo já caiu em esquecimento?), agora está pedir para povo sofredor martelado irem cultivar (muita brincadeira)… Cuidado o povo não está dormir, o povo está sim na hibernação… muito cuidado.

  15. mudança

    24 de Setembro de 2012 as 14:29

    Fantochada.Quanto custa o avião em que o PT viaja ( no min 2 x por mês) alugado? Cada frete deve custar 1 ano de toddo esse subsidio. E depois, eu sei que o subsidio principal deles vem na mala. Não passa pelas finanças, logo não será “cortado”. Vai enganar macaco, Patrice!!!!

  16. ZE PEDRO

    24 de Setembro de 2012 as 15:01

    Eu enquanto cidadão são-tomense que em nada beneficio com as ditas regalias do Estado, vejo com bons olhos estas medidas, mas por outro lado inquieta-me o seguinte;
    1. Não serão mais medidas para ficar no papel ou para fazer “inglês ver” ?
    2. A serem tomadas tais medidas, que sejam feitos os respectivos balanços daqui por algum tempo para se apurar os reais beneficios das mesmas para o País
    3. Doutra forma, de nada valerá estar a fazer esses anúncios

    • Fidelio Castro

      25 de Setembro de 2012 as 8:07

      Oi Ze Pedro para reforçar a sua já boa ideia, gostaria de saber quanto será arrecadado com essas medidas. Os economistas podem fazer contas e prever quanto o Estado santomense conseguirá arrecadar com estas medidas, pois, só assim saberemos se elas são suficientes.

    • Mimi

      25 de Setembro de 2012 as 12:53

      Esta de reduzir as despesas dos titulares de cargos publicos foi so mais uma manobra de diversao. Para enganar os que se querem deixar enganar e ir queimando o tempo… quanto e que se gasta agora e quanto e que esta reducao representa para os cofres do estado?

  17. sebe

    24 de Setembro de 2012 as 15:48

    Brincadeira.

  18. Jamaicano Charp Maria Amelia Sem Cabelo

    24 de Setembro de 2012 as 23:12

    Pt es um grande terrorista porque o que fazez com o povo desta terra chama-se terror. Este ano ja se descobriu duas bombas da segunda grande guerra na Alemanha so espero que voce nao as envias para nos eliminar todos e depois ires a nova York vender o territorio para os Americanos potque que eu saiba quem representa politica externa de STP chama-se Pinto da Costa.

  19. torresdias

    25 de Setembro de 2012 as 8:20

    Este comunicado do governo depois da sessão do conselho do Governo que anuncia o corte nos subsídios em 15% aos membros do governo é uma fachada, truques, porque estes membros recebem mais tarde recebem 100 veses mais nas mãos do Patricio só para fim de semana USD 1.000 dolares.
    Este corte também é recompensado nas viagens, tudo truques e má fé. Que crise afeta STP? Um país em crise um 1º. Ministro não se dá a luxo de oferecer membros do seu governo tanto dinheiro com falta de medicamento essencial no hospital, nem tão pouco em aviões sem proviniencia clara faz variadíssimas viagens em nome do povo desta terra e regressa com pasta cheia de promessas imaginárias.
    Convenhamos. Ja é o momento de governarem e não desgovernar conselho de amigo.
    Passar bem.

  20. Santosku

    25 de Setembro de 2012 as 8:38

    Na minha de pensar creio que o sr. Presidente ada REpública já está deixar este PT ir longe de mais. Politica Externa do País é da competência da Presidência da República e deveria ser o PR a seguir para Nações Unidas ou indicar o Ministro dos Negócios Estrangeiros a representá-lo. Homem gosta de viagens.

  21. Zugú-Zugú

    25 de Setembro de 2012 as 8:45

    Penso que esses dirigentes estão feitos. Cheios de dinheiro, nada lhes falta, altas casas com piscina. Abenildo, tú não és culpado, já vinhamos a plantar banana, antes de tú nasceres, nem tú, nem os que te dêem ordens. Ainda bem que tudo isto fica.

    Há quem, não tem aonde plantar.

    Você tem a sobrar. Veja como eras e como és hoje.

    Já resolveste o problema do homem baleado por seu guarda-costas? Deus não dorme.

  22. vinia

    25 de Setembro de 2012 as 9:21

    Toda essa história é muito bonita, pois sabemos que falar é fácil o fazer(a prática) é muito mais complicada. Estamos fartos de promeças vagas discussões sem valia, queremos ver a mudança que prometem e que não aparece. è uma cristeza o povo estar nessa escoridão que se encontra com o recurso climático que temos. Se tivermos que falar em cultivação de terrenos, ha que ter terrenos para se cultivar pk a maioria de terras em S.tomé ja têm donos, donos esses que são os governantes, garantem a vida dos filhos , netos e bisnetos, “dia mais dia eu que me encontro fora de pais , não irei ter um pedaço de terra no meu pais para contruir algo”

  23. Tennylson Neves umbelina

    25 de Setembro de 2012 as 11:16

    Caros compatriotas!
    A politica de contençao da despesa do estado é um bom principio tendo em conta a conjuntura em que vive a europa actual(crise financeira)mas pode nao ser o suficiente para enfrentar situaçoes futuras, por isso, sugiro ao governo que tente olhar mais o sector bancario no sentido de motivar os investidores estrangeiro a investir e criar assim mais empregos para os jovens.Por outro lado,como ja sabemos o maior recurso de um país sao os seus homens,para quê ter recursos naturais como é o caso de STP se nao temos recursos humanos para os gerir? daí, uma especial atençao ao sistema educativo santomense seria uma mais valia para o país.
    saudaçoes a todos que amam Sao-Tomé e principe Téla Nón.

  24. ora viva

    25 de Setembro de 2012 as 12:59

    é verdade deve ser dita … devemos deixar das campnhas …. fazer para crer … dixar bla bla blá…

  25. ÔSSÔBÔ

    25 de Setembro de 2012 as 18:15

    É verdade!!

  26. Engenheiro

    25 de Setembro de 2012 as 19:29

    Pois é, bem falado!

    Deve criar um IMPOSTO SOBRE GRANDES FORTUNAS.

    HÁ GAJOS AÍ COM GRANDES BENS

    MOBILIÁRIOS FEITOS COM DINHEIRO ROUBADO,

    GRANDES NEGÓCIOS E FOGEM AOS IMPOSTOS

  27. o mundo real

    25 de Setembro de 2012 as 21:53

    É bom que o povo santomense tenha consciencia de que, nós precisamos de produzir no mínimo aquilo que consumimos.

    Se continuarmos com essa IMENSA dependência do exterior, nós estaremos totalmente arruinados, e PADECEMOS com todo choque externo.

    Neste momento, IMPORTAMOS quase tudo que comemos, que bebemos, que vestimos, que utilizamos para levar às escolas e universidades, etc.

    Ou seja, a PRODUÇÃO INTERNA É PRATICAMENTE NULA!

    Isto é péssimo!

    Eu penso que é chegado ao momento do Governo começar a retirar terras matagais que se encontram espalhadas pelo país todo e atribuí-las a quem efectivamente as quer transformar num verdadeiro recurso de criação de EMPREGOS, riquezas, etc.
    Ao invés de se utilizar terras para fazerem quintas que não servem para nada, deveriam é utilizá-las para gerar boas quantidades de emprego e dar rendimentos às pessoas que querem trabalhar.

    O governo tem que saber que se avançar com esta medida, virão os politicoides que não sabem trabalhar nem gostam de trabalhar a sério, contaminar a população rural de que, o Governo lhes está a retirar terras para dar aos estrangeiros.

    Se os estrangeiros ou mesmos os nacionais querem investir na terra para gerar empregos, criar riquezas, pagar impostos e aumentar a produção interna, então que seja retirada essas terras, seja da mão dos pequenos agricultores que as receberam e não as trabalha, seja dos médios empresários que fizeram o mesmo.

    E não se importar com alguns fulanos aqui da nossa praça que passam vida nas comunidades rurais a incentivar a população para fazerem revolta contra o Estado devido retirada de terras.

    Nós temos que trabalhar mais.

    • o mundo real

      25 de Setembro de 2012 as 21:58

      Há muitos preguiçosos neste nosso país.

      Só querem jogar biscas nas horas laborais, tomar copos, e andar atrás das catorzinhas, e fazer politiquices arrumados em politicos.

      Trabalhar que é mesmo MUITO BOM, nada!

      E o Estado lhes habituou a financiar esses vícios por muito tempo.

      É tempo de lhes dizer, VÃO TRABALHAR!

  28. Verónica

    26 de Setembro de 2012 as 7:57

    A medida é bôa porque vai ficar no papel.
    Os membros do Goveno recebem esta diferença por outras fias. Tudo isso é tretas. Isto é para fazer boi dormir.
    Plantar? pra quê?
    Qto custa cada viagem do PM em aviões privados? Se é boleia, ele terá que retribuir. Como é feita essa retribuição? o povo pagará.
    É necessário o Governo tomar medidas com os roubos feitos nas glebas. Isto tem dado mto prejuizo e desmotivado mto os pequenos Agricultores.
    Se houver uma tomada de posição nesse sentido. O Governo não terámãos a medir, porque o mercado estará inundado de produção local.

  29. jorceley afonso

    26 de Setembro de 2012 as 11:45

    fico mui satisfeito a ouvir assas palavras,temos que começar a cultivar e espero que no orçamento o governo priveligia o ministerio de agricultura,nos somos um país que vive da expotação se não começamos a produzir a crise vai ainda ser mui pior…esse tipo de medidas tar a ser tomado em vinel geral nomiadamente em europa….e nós temos outro problema mair que é depender da ajuda externa isto é um coisa que vai diminuir porque a crise é mundial mas um mutivo prara apostamos na produção da nossa propria sustentabilidade…..(sélá pôvô tómá cuxença ximia tudo quâ cú téla´nóm cádá….)

  30. o mundo real

    28 de Setembro de 2012 as 10:17

    Francamente, gostaria de conhecer qual é a politica do Governo para ESTANCAR ou pelo menos diminuir o roubo nas parcelas agrícolas.

  31. Barão de Água-Ize

    30 de Setembro de 2012 as 5:57

    O primeiro corte deve ser nas viagens do Primeiro Ministro e das comitivas ou pessoas que o acompanham e de membros do Governo. Para que servem os embaixadores e consules no exterior?
    STP está a preciar de uma segunda Independência que represente o corte com o passado e ponto de partida para um combate duro contra a pobreza através da Economia.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo