Navios do porto flutuante não pagaram taxas de estacionamento ao Estado são-tomense

Nenhum tostão entrou nos cofres do Estado são-tomense desde Junho passado, altura em que começaram a chegar com maior frequência à costa são-tomense, os navios de grande dimensão, no quadro do anunciado porto flutuante. A Direcção da ENAPORT fala de dívidas na ordem de 300mil dólares.

Segundo a Direcção da ENAPORT, empresa que administra os portos de São Tomé e Príncipe e que arrecada receitas resultantes de impostos aduaneiros, para alimentar os cofres do Estado, o primeiro navio chegou a São Tomé em Março. Na altura o próprio Primeiro-ministro visitou a embarcação, tendo anunciado negociações com vista a criação de um porto flutuante.

A partir de Junho, a presença dos navios foi mais evidente. «Mas eu não sei precisar concretamente o que é que eles estão a fazer», declarou Antero d´Oliveira Diretor Geral da Enaport.

Mais do que não saber que tipos de operações efectivamente os navios têm feito, ao largo de São Tomé, a ENAPORT, garante que as taxas de estacionamento previstas na lei, não foram pagas. «Ainda hoje(quinta – feira) tivemos encontro com a agência isso porque a dívida já ronda  cerca de 300 mil dólares. A agência acaba de dizer que chegaram os responsáveis máximos da empresa para resolver esta questão do pagamento», assegurou o Director Geral.

A denúncia feita pelo partido MLSTP, na segunda-feira, terá forçado a administração da empresa proprietária dos barcos a reagir no sentido de cumprir as suas obrigações com o Estado são-tomense. Obrigações que foram reduzidas em 60%.

A Direcção da Enaport explicou que tendo em conta a dimensão dos navios, o regulamento das taxas de estacionamento fixado por lei, obriga que a empresa pague entre 12 a 15 mil dólares por cada navio e por dia. No entanto o Estado são-tomense decidiu reduzir o valor da taxa, para cerca de 5 mil dólares por cada embarcação. «Acabamos por fazer alguma redução porque até queriam desistir do nosso porto. Então eles voltaram e estão cá desde junho. O regulamento foi aprovado por decreto, mas permite também que façamos a redução do valor. Assim fizemos uma redução de 60% sobre o valor fixado por lei. Neste momento eles estão a pagar 40% do valor, ou seja cerca de 5 mil dólares», explicou.

A empresa proprietária das embarcações, é taiwanesa, chama-se Blue Whale Corporation, e é representada em São Tomé pela filial Whale Port STP Limitada. Segundo a Direcção da ENAPORT, o valor de cerca de 5 mil dólares, por dia e por embarcação, não foi pago pelo menos até  a última quinta – feira, totalizando uma dívida para com o Estado são-tomense na ordem de 300 mil dólares.

Na polémica sobre os barcos e o desconhecimento pela opinião pública de tais operações, pela primeira vez as autoridades ligadas a capitania dos portos se pronunciaram publicamente. Numa conversa exclusiva com a Televisão do Estado, a Capitania dos Portos e a Guarda Costeira, consideraram que as operações são legais. «Eles estão aqui com o objectivo de fazer o trabalho de porto flutuante para fazer transbordo de mercadorias para outros navios. É só isso que poso dizer neste momento», declarou Idalécio João Comandante Interino da Guarda Costeira.

O oficial superior da guarda costeira, acrescentou que na primeira aparição em Março o barco gigante estava carregado com viaturas e outros equipamentos. «Mas os que estão aqui actualmente estão vazios. Eles estão aqui a fazer ensaios, para ver se a operação é boa», acrescentou.

O Chefe da Guarda Costeira, garantiu que a sua unidade tem fiscalizado os navios tanto através das suas lanchas, como por via dos radares que foram instalados pelos Estados Unidos de América.

Rui Vera Cruz que dirige a Capitania dos Portos, precisou que «todos esses navios estão aqui de forma legal. Cumprem todas as formalidades».

IMAP, outra instituição ligada a administração do mar e dos portos, explicou que trabalha em parceria com as agências que representam as embarcações, no sentido de controlar a entrada e a saídas das mesmas.

Pela primeira vez, uma ponta do véu é levantada sobre o negócio do porto flutuante, que desde Junho passado até a última quinta – feira, não deu nenhum tostão aos cofres do Estado.

Abel Veiga

  1. img
    Ildefonso Lima Barbosa Responder

    Tudo muito pouco transparente. Uma coisa desta deveria ser do conhecimento de todo o povo através dos órgãos de comunicação social, do próprio governo, das próprias empresas estatais envolvidas no caso, etc. Como é possível que, passados quase um ano, desde Março, que se falou boca-a-boca no referido projecto, ninguém do governo, ou da capitania, ou da gestão portuária, apareceu junto do povo a explicar os meandros do referido projecto ou negócio?? Como é possível uma coisa desta?? Quando foi o projecto de construção de central eléctrica, por exemplo, toda o povo ouviu falar deste projecto, a comunicação social falou deste projecto, o governo falou deste projecto, os próprios responsáveis de Tawain falaram deste projecto. Quando foi o projecto de construção de casas sociais toda a gente falou deste projecto, a comunicação social falou deste projecto, o próprio governo falou deste projecto, etc. Mais recentemente, quando foi do projecto para Agricultura oferecido pelo governo Espanhol, toda a gente falou deste projecto, a comunicação social falou deste projecto, o governo falou várias vezes deste projecto, o próprio representante do governo espanhol falou deste projecto. O que é que este projecto tem de diferente, juntamente com o projecto de Doca Pesca, que ninguém falou deles, ninguém sabia nada sobre eles, até a última semana???? É ai que está o problema. Estes projectos indiciam a existência de falcatruas e falta de transparência. Aqui tem coisa para explicar ao povo. Se fosse coisa boa todo o governo já teria vindo explicar através dos órgãos de comunicação social as características destes projectos. Porquê que não vieram ainda????? Aqui tem gato… Ninguém percebe nada disto. Porquê que em relação a outros projectos apareceram ministros a falar, a dar entrevistas, e neste projecto ninguém quer falar e endossam a responsabilidade para os técnicos das alfândegas e de gestão portuária????? O povo não é burro. Podem enganar o povo uma vez, duas vezes mas três já é exagero. O povo não é estúpido.

  2. img
    zeca Responder

    PATRICE TROVOADA,vc é perigoso!!!!
    Nós Jovens estamos muito preocupados.
    Shiê…afinal isto é coisa que tá aquí!!Meu Deus.Então TVS e Patrice Trovoada mentiu toda gente.Por isso que director de Enaport tava a tremer.
    Muito obrigado Abel.Então quer dizer que proprio ENAPORT não sabe quê que estão fazendo aqui:Militares dizem transbordo,IMAP diz Estudo e Prospecção!!!Enfim se eles não mentirem ao Povo eles vao ser corridos,como o Director do Banco.
    Okakaô nón molê.
    MLST leva mesmo até as últimas consequências. E Pinto da Costa tem que ter estas informações do Director da ENAPORT porque TVS nao falou disso.E 1º dia falaram coisa de 300 mil dólares e na otícia do dia seguinte eles cortaram essa parte porque nós já não ouvimos.

  3. img
    Lede di alame ça ua Responder

    Provavelvente entrou, de certeza, mas nos bolsos de alguns, incluindo o 1° ministro, se isso for tudo verdade o povo deve sair a rua e exigir o seu dinheiro de volta, afinal a terra e do povo santpmense e nao de patrice trovoada

  4. img
    ferpenapandopo Responder

    Meus amigos s.tomenses,esses navios são
    petroleiros disfarçados com gruas de carga
    e descarga,o negocio e ligado aos petroleos da zona,e respectivas mafias.
    não acreditem em “navios portos” flutuantes
    isso tecnicamente e muito dificil e perigoso para cargas convencionais,isso e
    “ouro negro”…..

  5. img
    ZE PEDRO Responder

    Tanto secretismo o que prova que o Primeiro Ministro tem interesses obscuros nesse negócio. Por outro lado, não se percebe porque razão o senhor Primeiro Ministro não responde às questões colocadas e passa a vida a fazer-se de vitima

  6. img
    Sr. Parvo Responder

    Muito mal, Primeiro Ministro tem que explicar isso…Não podemos continuar neste tipo de lenga, lenga…chove não molha… alguém tem que tomar decisão… vivemos 37 anos governando pelos corruptos…. eis a razão de tudo isso… S.T.P, nón molé…. Depois muitos ignorantes dizem deixa Governo trabalhar, triste saber que meus compatriotas estão tão ignorantes no que diz respeito a transparecia, honestidade. Enfim, só com Cristo.

  7. img
    Cobra Responder

    Isso é o que da quando temos um Presidente “FRACO”. Patrice Trovoada da a entender que é dono de STP.

    • img
      Mbé Za Responder

      na verdade não éporque o Presidente é Fraco.
      O nosso pais com o regime seme.presidencial não dá ao precidende pdoeres pra intervir nas ações do presidente da repýublica!

  8. img
    sum mé chinhô Responder

    Nunca ouví nada igual. Barco chega a costa de um país, é logo 1ºMinistro é que vai dar entrada ao mesmo? Este tipo nem sabe desfarçar as artemanhas. Isto é autêntico tráfico. Pior governante que STP já conheceu. É pena.

  9. img
    l.conceiçao Responder

    meus caros irmaos,sao coisas de leve-leve,paciencia.
    (ine sum cu ca zuga cupi ba liba pala cala cuê)saotomé ééé leve leveéééé
    zemé só.-

  10. img
    budo dawa Responder

    De facto, analisando friamente, começo a entender que o 1º Ministro foge qualquer coisa. No comunicado do MLSTP eles levantaram algumas questões, que creio eu, num estado de direito, normais. Anormal é a reação do 1º Ministro. A reação levanta muitas dúvidas. Será que existe de facto algum problema? O Santo Tomé é poderoso. Se alguma coisa esta intencionalmente escondida, quando menos esperarmos virá ao de cima.

  11. img
    Zé do Camargo Responder

    Em S.Tomé e Príncipe, todos somos Dotores. Por isso é que o país está como está.
    Todos entendem de navios, todos entendem de negociações petrolíferas, todos entendem de tudo.
    Quando não existem empresas a investirem no país, quando não há emprego, quando não há arroz, o Governo é que tem culpa. Quando o Governo arranja investimentos, quando o Governo tenta atrair investidores, todo o povo quero negociar, todo o povo quero exigir as empresas a sua parte, todos falam mal, até que a empresa decide ir-se embora, é que ficamos todos satisfeitos. O Fôro é mesmo mau, preguiçoso e só quero andar nas fofocas, e a pedir dinheiro aos outros. Com este tipo de intervenção, perdemos no passado a construção de aeroporto pelos sul africanos, que decidiram fazer na ilha do Sal, perdemos no inicio a zona franca, que foram instalar nas Caraibas, perdemos a PETROBÁS que queria investir no país, porque os mandabocas santomenses sempre impediram que qualquer coisa de bom se instalasse no país. Fazia na realidade que entrasse neste país uma verdadeira fome, para que as pessoas preocupassem com o trabalho em vez de estar sempre nas fofocas.
    BANDIDOS

    • img
      Temóteo Santos Oliveira Responder

      Bandido és tu. Você deve ser um dos governantes deste governo cá de S.Tomé. Pela maneira como falas deves ser uma pessoa que eu bem conheço, provavelmente meu vizinho.
      Só que tás a mandar bocas sobre investimentos estrangeiros eu pergunto-te. O que é que vocês fizeram aos nossos irmão do Príncipe quando o Sul Africano quis investir lá no Príncipe??? Vocês do governo criaram problemas aos nossos irmãos do Príncipe, não queriam aceitar este investimento, fizeram tanta confusão até que o investidor quis ir embora. Agora apareces aqui a falar sobre investidores estrangeiros. Então porquê que vocês fizeram aquilo aos nossos irmãos do Príncipe???? Porquê que vocês não queriam que investimento fosse para a nossa ilha irmã???? Quem começou com este hábito irresponsável de atormentar os investidores estrangeiros são vocês do ADI. São uns autênticos irresponsáveis e maus governantes. Deviam estar todos na cadeia. Malvados.

    • img
      Ancrajoty Responder

      Amigo, qualquer tipo de investimento publico como
      o próprio nome diz deve ser publico e não as escuras. O território Santomense pertence ao seu
      legitimo POVO. Tudo deve ser aprovado por órgãos
      competentes. Se isto continuar assim jamais, repito, jamais esta terra ira sair deste buraco que se encontra . Tudo deve ser esclarecido doa a quem doer. São Tome e Príncipe não e’ propriedade familiar; E’ uma terra rica, basta explorar todos os recursos que a natureza nos deu em prol de todos
      e nao somente de 1/2 duzia de caloteiros.

      • img
        Timóteo Responder

        É isto mesmo!!!! Concordo consigo. Por isso é que o povo tem que saber tudo sobre estes barcos que estão na nossa água a dar riqueza ao senhor Patrice.

  12. img
    problematica Responder

    é verdade , estamos bem mal, de maneira que estou a ver isso, ta me aparecer que stp é do Patricio Trovoada .Nunca vi um primeiro ministro tão negociante como este. e não deixa verdadeiro comerciante da terra trabalhar, é só presiguição e de todas as maneiras . Tanta terra que está abandonados em S.Tomé. porque que não negoceia com estrangeiros para vir montar fábricas ou fazer agriculturas para ajudar o povo pequeno a arranjar empregos, é tudo de mão limpas.
    É demais, é só viajar mais viajar. a tratar de sua vida.

  13. img
    paparazzi Responder

    quando e que o procurador geral da reopublica vai chamar o mlstp a mando do sr patrice ao tribunal.isso e mesmo brincadeiras nem o patrice nem a procuradoria da republica tem nocao daquilo que andam a fazer de animo leve.pode ser que desta vez o governo caia por falta de sentido de estado do primeiro ministro

  14. img
    paparazzi Responder

    com essas atitudes anti patriotico do primeiro ministro e bom para o povo saotomenese melhor mudar a constituicao e para ja acaba se com partidarios nos servicos e aplica se a competencia.porque senao vejamos nesta atitude de exonerar o director do banco por ter lido um comunicado do seu partido entao patrice mostrou se que nao e primeiro ministro de todos os saotomenses
    perdeu sentido de estado.demita se

  15. img
    paparazzi Responder

    navios nao pagaram a taxa pq tiveram cortesia do primeiro ministro segundo as provas do mlstp.isso e grave primeiro ministro deve fazer uma comunicacao ao pais e isentar se dessas denuncias do mlstp senao se sente comprometido com o caso ate levar ao tri bunal entao deve por o cargo a disposicao.falhas graves

  16. img
    Nando Vaz (Agostinho Neto) Responder

    Politica, e muito nobre. Nao e para todos! A questao que fica e:
    - Que tipo de administracao publica que diversos sectores, com afirmacoes destinta ou seja divergidas.
    Desculpa, voces sao mesmo bandos de estado falhados!

  17. img
    mina di Célivi Responder

    isto é pra rir!!! fizeram “batimento” de 60%??? Brincadeira! o Sr Patrice pegou STP e transformou em sua casa.
    Patrice Trovoada QUIDALÊÔÔÔ!!!!!!
    Sun na cá flá védé fá, ca li façu façu só, cá pega tela non fé modu cu sun mêcê?!!
    Sun na sá clupadu fá ê! clupadu sá fata di ninguê tamém ni quinté!

  18. img
    silvestre Responder

    Creio que os esclarecimentos solicitados no comunicado do MLSTP está claro, sabem que os navios estão legal com as autoridades do Instituto maritimo, a Capitania, so que devem a ENAPORT (usd 300000. Mas a questão sao a esclarecer sao poucas: a) Tipo de mercadoria transbordado;
    b) Acordo assinado entre o governo e a firma de taiwan; c) A competencia da ENAPORT em reduzir para 40 porcento a taxa aplicado aos navios dentre outras.

  19. img
    Féde ká Dóxi Responder

    Não sei até qdo vamos estar nessa e quando vamos sair tb dessa.
    Aonde é que se viu que num país que se chama país que uma taxa pré-estabelecida, faz-se batimento?
    Aonde é que estamos? No café de Sun Mé Clé Clé? Qdo a empresa entendeu instalar o negócio em S.Tomé, não consultou as leis? Não sabia das taxas??
    Convenhamos.
    A ENAPORT (Sr. Inspector Antero de Oliveira)reuniu com as entidades competentes para tomar esta decisão? A Assembleia tem conhecimento? Me respondam estas p+erguntas apenas.
    Mto obrigado.

  20. img
    Falo Verdade Responder

    quer dizer ao povo santomense para não acompanharem esses comentários que estão contra o 1º ministro, porque são comentários feito por éx-comedor do denheiro do povo santomense, que ja não tem como comer e so ficaram a falar mentiras contra o 1º ministro, que todos nos sabemos que esta a trabalhar para este povo.
    quer dizer mas aos éx-comedor do dinheiro do povo que mentiras não vai só, há de acabar um dia, o senhor ta de olhio aberto.

  21. img
    agua viva Responder

    como é possivel que um governo que implementa uma politica de conteção orçamental( redução da despesa pública) tendo em conta a crise financeira mundial, é incapaz de reter uma politica fiscal coesa capaz de suster o tesouro publico? como é possivel um pais com tanta dificudade financeira o governo reduz 60% de uma divida que poderia ajudar em alguma coisa……. que gestão é essa? como o governo pretende enriquecer o tesouro publico? mandando mais funcionários para casa?

  22. img
    Zugú-Zugú Responder

    Caros Amigos, leitores do Téla Nom.
    A àqueles que aindam não tinham nascido no ano de 1977, ficam a saber que:

    Em Abril de 1977, o Conselho de Ministros era composto por: Primeiro Ministro e Ministro da Coordenação Económica, Cooperação e Turismo Sr. Miguel dos Anjos Trovoada – Ministro dos Negócios Estrangeiros, Leonel Mário d’Alva, – Ministro da Informação e Cultura Popular, Alda do Espirito Santo – O Ministro da DCefesa e Segurança Nacional Daniel dos Santos Daio, – O Ministro de Educação Nacional e Desporto e da Justiça, Celestino Rocha da Costa, – O mInistro do Equipamento Sociala e Ambiente, Flávio Pires dos Santos, – O MInistro de Agricultura e do Trabalho e Previdência Social, Henrique Pinto da Costa – O Ministro-Delegado da Presidência, Manuel Quaresma Costa – O Ministro da Saúde, Frederico José H. Sequeira, – O Secretário do Estado de Administração Territorial, Evaristo do Espirito Santo Carvalho, – O Secretário do Estado de Estado de Agricultura, Carlos Alberto Bragança Gomes, todos eles foram Membros do MLSTP. Quando se traz ao baile, os problemas dos barcos e aviões que se suspeitava em 1977, parece que o Sr. Patrice Trovoada está a tirar devaça ao seu Pai que ra Primeiro Ministro.

    Não se pode confundir os barcos que estão actualmente no Porto de São Tomé com os problemas passados naquela altura.

    Por outro lado, os funcionários públicos não podem ser reféns do Primeiro Ministro, como aconteceu na recente visita que Sua Excelência o Presidente da República fez à Escola de Formação do Quadro da Saúde, já no fim da visita na ausência do Presidente da Republica, quando a Sra. Directora da Escola dava entrevista na Comunicação Social – TVS, a Sra. Ministra da Saúde impediu a entrevista dizendo que a Sra. Directora não está autorizada de dar nenhuma entrevista. Abra os olhos, amigos. Estamos mal.

  23. img
    santomense tambem Responder

    O desenvolvimento de um país depende muito mas muito dos seus dirigentes políticos, mais do que os seus recursos naturais. Infelizmente STP é um caso perdido. Com essa mentalidade tão retrogada nunca sairemos do subdesenvolvimento. A cultura de pedintes está tão enraizado que ninguém deixa ninguém trabalhar. Não faz nem deixa os outros fazerem. Se há alguém que está informado acerca dos PORTOS FLUTUANTES TAIWANES é o sr Jorge Amado. Ele que até bem pouco tempo foi embaixador neste país sabe como as coisas funcionam neste país. Ele sabe ou devia saber de tudo que é negócio e cooperação entre esses dois países. Mas os interesses partidários e pessoais para ele está acima de tudo. Oposição não é isto sr Jorge Amado. Deixa de Má Fé. Tira os óculos e usa binóculos. O lixo está mesmo na sua porta.
    Haja paciência.

  24. img
    Povo Piqueno Responder

    “Segundo a Direcção da ENAPORT, empresa que administra os portos de São Tomé e Príncipe e que arrecada receitas resultantes de impostos aduaneiros, para alimentar os cofres do Estado, o primeiro navio chegou a São Tomé em Março”. Quem cobra impostos aduaneiros não é Enaport mais sim os serviços das alfândegas. Enaport cobra taxas aeroportuária. Taxa não igual a imposto, pelo menos foi isso que estudei.

  25. img
    original Responder

    Governo!

    Já agora dá para negociar o IRS dos trabalhadores como fizeram com armador de navios tendo em conta que está a custar água na barba para quem trabalha?

  26. img
    Vocês por lá Responder

    “Eu não sei o quê que eles estão a fazer aquí”-Disse director da Enaport.
    Então Patrice Trovoada diz ao Povo “O quê que eles estão a fazer aquí”.

  27. img
    nora Responder

    REDUÇÃO DE 6O% QUE DESELEGANCIA. É MESMO UM NÉGOCIO ENTRE PATRICE TROVOADA E O EMPRESÁRIO TAIWANÊS. EU JA TINHA CHAMADO ATENÇÃO DE UM ENCONTRO SECRETO OCORRIDO NO CLUB SANTANA, ENTRE PATRICE TROVOADA, VARELA, RAMI, ILISIO TEIXEIRA E O TAIWANÊS MILIONÁRIO. CERTAMENTE A PRESENÇA DO VARELA E DO ILISIO FOI EM QUESTÃO DE NORMATIVOS PARA REDUÇÃO EM 60%. PORQUE O NEGÓCIO É MESMO DO PATRICE. NUNCA NA HIST´RIO DA REPÚBLICA É ISENTADA EM 60% AS EMBARCAÇÕES COM INTERESSES NEGOCIAIS EM SÃO TOMÉ E PRINCIPE. SANTO DEUS, SÓ COM CRISTO. PATRICE QUIDALEOOOOOO.

  28. img
    DA e DOI Responder

    Ouvi mas não entendi. Sera que o Patrice Trovoada deixou de ser 1º.Ministro e agora é pescador? Se assim fôr talvez mais peixe santomé terá. Fui…

  29. img
    fa do pinto Responder

    pescador do bem de stp sim ,oque k povo ta espera

  30. img
    assumido Responder

    eu acho que o diretor da enaport eo enves de falar dos barcos que é da competencia das alfandegas deveria falar dos aviões particulares que chegao na calada da noite onde o sr. BALA nonangamba de patrice recebe malas e malas-baus de trafico- e nao deicham registo nenhum. ou seja o sr. patrice tem control total nas embarcações de entradas e saidas d ouro negro, dogra, lavagem de dinheiro e muito mais.. todo mundo sabe mas fingem que não sabem porque? porque todo mundo ja sabia que ele era traficante mesmo antes de ser primeiro ministro. agora nao me venham co lero lero porque é a população mesmo que permitiu e permite isso.

    enfim… sao factos

  31. img
    santomense tambem Responder

    Sr. “Assumido” que idiota me saiste.
    Avioes na pista so com lanterna.
    Haja paciencia.

  32. img
    Barão de Água-Ize Responder

    É natural que São Tomé não receba taxas de estacionamento. STP não precisa de dinheiro e o Senhor Liberville acha natural ………

  33. img
    Zugú-Zugú Responder

    Aquando da deslocação do então Presidente da Repúblida de STP (Fradique de Menezes) à Nigéria, para tomar conhecimento de negociação petrolífera, houve alguns casos males detetados por ele, o que deu lugar a que Patrice Trovoada não gostou, pegou no avião e regressou à STP, sem conhecimento do Presidente, Fradique ao regressar, numa conferência de imprensa, alertou ao Povo Santomense de que o negócio está a necessitar de revisão. Porque não é possível, aquilo que o mesmo viu lá. E diise ainda mais, que o País não é dos Trovoadistas. As pessoas de boa memória ainda se lembram? Abram os olhos. Não dêmos motivos para sermos enganados pelo Patrice Trovoada.

  34. img
    vive ku sa ni governo nom Responder

    Sou apartidario,apenas vou responder o comentário de um tal de “O Mundo Real”;quando diz que “o Pais tem falta de dinheiro para pagar salarios”.
    De facto é, mas esquece que não ha dinheiro para pagar salarios devido a tanta modormia em que vive os membros do governo,muitas viagens desnecessarias sem se ver o fruto nenhum,ate parace que os Ministros e que vao executar as tarefas,e os funcionarios publicos,nao tem direito a formaçao e estagios?Adquiriram viaturas de luxo,veja o jeeps de Estado que adquiriu o Ministro das Finanças!Quantas viagens fez o Sr.Patrice Trovoada e os membros do seu governo? Achas que havera dinheiro para pagar salarios?

  35. img
    Mimi Responder

    Sera que alguem vai cobrar juros de mora aos “nossos” amigos donos do navio? Ou sera que sao tao pobres (ja que lhes fizemos tamanha reducao) que nao podem tambem pagar pela demora no pagamento do que nos devem?…

  36. img
    Dêçu tê péna nom Responder

    Nós vivemos á base da lógica, ora vejamos,O sr Patrice Trovoada é bom em propagandas enganosas, ele é bom alarmistas e qdo fala , faz-se de coitado, de vítima e às vezes qdo nota que está a falar mentiras ele sorri com rosto de hipocresia e malvadez e é um cara que vai querer sempre dar nas vistas para tentar conquistar pontos políticos através da mídia. Pessoal, abram os olhos porquê que todo projecto ele aparece na TVS e fala à respeito e que o negócio dos barcos ele até esta data não pronunciou nada e deixou a tarefe para as instituições ligadas às actividades maritmas e julgo eu que cada director de cada instituição foi pressionado a dar os depoimentos aleatórios e fabricados.Pessoal, a miséria que vive os santomenses torna-os vulneráveis, insensatos com falta de patriotismo. Iném quê muê a bili uê punda dêçuôô, se prestarem bem atenção, em todas as instituições do estado, desde que o Patrice começou a governar, os trabalhadores perderam as suas línguas, todos têm medo de expressar-se livremente, só passam a vida a murmurar, que venha ser isto pá! O país é do sr Patrice Trovoada. OLHA, ATENÇÃO QUE ESTAMOS À BEIRA DE UMA DITADURA SIMULADA QUE TENDE A SER UMA REALIDADE.Minha gente, eu amo falar livremente e não quero nunca ver essa liberdade morta e enterrada. O meu amigo Américo Barros lêu um comunicado do nosso partido e viu-se no dia seguinte destituido do cargo que ocupava. O senhor Pires Neto falou no parlamento q o governo actual é o de vabu vabu, no dia seguinte foi afastado do GGA. Que país é esse , porra!
    O Patrice Trovoada é um ditador e bandido, sacarna.Dêçu bi valê nom ni boca di sun sé fan!

Deixe um comentario

*